Casos de Sucesso

14 dezembro, 2015 • Casos de Sucesso, Mercado e Vendas

Aos 80 anos, microempreendedor esbanja disposição e paixão pelo trabalho

80 anosAos 80 anos, Nemias Moreira de Souza certamente deixa muita gente jovem envergonhada pela disposição que esbanja e alegria com a qual fala da vida. Aliás, afirma que é gente jovem com toda razão: “Velho é o mundo, que tem muitos milhões de anos. Eu sou muito jovem”.

E quem duvida de alguém que caminha 10 horas sob o sol quente de Campo Grande, carregando nos ombros várias sacolas de panos de prato e toalhas de mesa para vender? Não bastasse isso, ele não perde uma oportunidade de contar a sua história de vida e a de seus livros quando encontra pessoas dispostas a ouvi-las.

Baiano de nascimento, vendedor de coração e apaixonado por História, Nemias lê 30 livros por mês e percorre há 26 anos os bairros da capital – tempo suficiente para se tornar amigo de quase todos os clientes. Sabe que as pessoas gostam de ver, pegar, sentir o cheiro dos produtos e, por isso, tem tudo sempre à pronta entrega.

Culto e muito educado, trata a todos com carinho. Mas ai de quem o chama de senhor. A bronca é certa. Décadas antes de ser comum ter um smartphone, ainda quando os primeiros celulares foram lançados no Brasil e quase ninguém os tinha, tratou logo de comprar o seu. Percebeu logo que um aparelho daqueles seria muito vantajoso para o seu negócio.

Empreendedor nato – Nota-se que Nemias é um empreendedor por natureza e, mais do que isso, uma fonte de sabedoria sobre negócios e finanças. Guia-se por uma meta diária de venda e, se não consegue alcançá-la, chega a trabalhar até três horas a mais do que o usual por dia. Assim, mantém um capital de giro e uma reserva para emergências. “O banco vive me dizendo que tenho limite e que posso pegar o dinheiro. Mas vou pegar por que se o dinheiro não é meu?”, indaga.

Até 2010, ele comprava suas mercadorias com o CPF e pagava um “absurdo de impostos”, como ele descreveu. Foi então que conheceu o Sebrae, recebeu orientações e se tornou microempreendedor individual. “Isso foi espetacular para mim, pois hoje pago menos impostos e sou legalizado”, enfatiza.

É bem possível que a maioria dos clientes de Nemias não tenha a dimensão da importância de adquirir os seus produtos, entretanto, eles estão contribuindo para manter o funcionamento de uma imensa engrenagem que representa 27% do PIB do Brasil e compõe mais de 95% das empresas do país: os microempreendedores individuais e as micro e pequenas empresas.

Uma das razões para comprar dos pequenos negócios é que o dinheiro gasto permanece no próprio bairro ou cidade, criando um ciclo de prosperidade local. Outro motivo é fazer com que exemplos de empreendedorismo, como o de Nemias, propaguem-se pelo país, já que cada vez mais a economia depende dos pequenos negócios para gerar empregos e distribuir a renda.

Texto: Fernanda Oliveira para a campanha do Movimento Compre do Pequeno – Sebrae.
Texto original publicado no Campo Grande News.

80 anosAos 80 anos, Nemias Moreira de Souza certamente deixa muita gente jovem envergonhada pela disposição que esbanja e alegria com a qual fala da vida. Aliás, afirma que é gente jovem com toda razão: “Velho é o mundo, que tem muitos milhões de anos. Eu sou muito jovem”.

E quem duvida de alguém que caminha 10 horas sob o sol quente de Campo Grande, carregando nos ombros várias sacolas de panos de prato e toalhas de mesa para vender? Não bastasse isso, ele não perde uma oportunidade de contar a sua história de vida e a de seus livros quando encontra pessoas dispostas a ouvi-las.

Baiano de nascimento, vendedor de coração e apaixonado por História, Nemias lê 30 livros por mês e percorre há 26 anos os bairros da capital – tempo suficiente para se tornar amigo de quase todos os clientes. Sabe que as pessoas gostam de ver, pegar, sentir o cheiro dos produtos e, por isso, tem tudo sempre à pronta entrega.

Culto e muito educado, trata a todos com carinho. Mas ai de quem o chama de senhor. A bronca é certa. Décadas antes de ser comum ter um smartphone, ainda quando os primeiros celulares foram lançados no Brasil e quase ninguém os tinha, tratou logo de comprar o seu. Percebeu logo que um aparelho daqueles seria muito vantajoso para o seu negócio.

Empreendedor nato – Nota-se que Nemias é um empreendedor por natureza e, mais do que isso, uma fonte de sabedoria sobre negócios e finanças. Guia-se por uma meta diária de venda e, se não consegue alcançá-la, chega a trabalhar até três horas a mais do que o usual por dia. Assim, mantém um capital de giro e uma reserva para emergências. “O banco vive me dizendo que tenho limite e que posso pegar o dinheiro. Mas vou pegar por que se o dinheiro não é meu?”, indaga.

Até 2010, ele comprava suas mercadorias com o CPF e pagava um “absurdo de impostos”, como ele descreveu. Foi então que conheceu o Sebrae, recebeu orientações e se tornou microempreendedor individual. “Isso foi espetacular para mim, pois hoje pago menos impostos e sou legalizado”, enfatiza.

É bem possível que a maioria dos clientes de Nemias não tenha a dimensão da importância de adquirir os seus produtos, entretanto, eles estão contribuindo para manter o funcionamento de uma imensa engrenagem que representa 27% do PIB do Brasil e compõe mais de 95% das empresas do país: os microempreendedores individuais e as micro e pequenas empresas.

Uma das razões para comprar dos pequenos negócios é que o dinheiro gasto permanece no próprio bairro ou cidade, criando um ciclo de prosperidade local. Outro motivo é fazer com que exemplos de empreendedorismo, como o de Nemias, propaguem-se pelo país, já que cada vez mais a economia depende dos pequenos negócios para gerar empregos e distribuir a renda.

Texto: Fernanda Oliveira para a campanha do Movimento Compre do Pequeno – Sebrae.
Texto original publicado no Campo Grande News.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.







Um Comentário

  1. […] Fonte: Aos 80 anos, microempreendedor esbanja disposição e paixão pelo trabalho […]




Deixe seu Comentário