Casos de Sucesso

30 setembro, 2019 • Casos de Sucesso

Como começar um negócio com pouco dinheiro

Para tirar as boas ideias de empreendedorismo do papel, o maior vilão e o principal medo parece ser sempre o mesmo: o dinheiro. Ou a falta dele. Mas saiba que dá para começar um negócio com pouco dinheiro ou com o mínimo de recurso.

Será fácil? Não, mas é possível com boa vontade e muito planejamento porque a ideia precisa ser aprimorada, além de conseguir levantar uma grana e aplicar os lucros de forma correta. Só assim o seu negócio ganhará vida e poderá crescer de forma saudável.

Temos diversas histórias de empreendedores espalhadas pelo mundo que começaram um negócio com pouco dinheiro, principalmente no Brasil. Vamos nos inspirar em histórias que transformaram a vida de pessoas comuns em empreendedores de sucesso?

A água de Rick Chesther

Rick dá palestra em Harvard

O mais recente fenômeno da internet ficou famoso com um vídeo caseiro que publicou no seu canal do Youtube em abril de 2018 sobre como empreender com apenas R$10,00 e gerar um lucro de 750%.

Em apenas um minuto, de forma clara e objetivo, Rick – que não tem nenhuma formação escolar ou acadêmica – compartilha o seu conhecimento de vida sobre como vender água mineral em Copacabana, atitude que tomou quando se encontrou desempregado e com dificuldades para sustentar a família. De um dia para o outro, uma pessoa simples se tornou fenômeno da internet e sua vida mudou completamente.

Rick Chesther
Rick Chesther

A partir de então, Rick Chesther continua postando vídeos de um minuto com dicas para quem já é ou pensa ser um futuro empreendedor no Brasil. Ele já tem mais de 389 mil seguidores no Instagram, 82 mil inscritos no canal do Youtube, além de um livro publicado, contratos para propagandas de empresas, uma palestra em Harvard e embaixador da Brilive.

Mas não precisamos ir muito longe para termos histórias de garra e determinação, quando temos diversos exemplos de como começar um negócio sem dinheiro, ou bem pouco, aqui mesmo em Campo Grande.

O bolo da Andrea

Andrea Bolos

A história da empreendedora Andrea Carvalhal começou em 2002, quando estava desempregada, com dois filhos pequenos e uma situação bem complicada em casa, praticamente sem comida. Em um domingo, na casa da mãe, encontrou uma amiga que era feirante, dona Angélica, que deu a brilhante ideia de Andrea vender bolos na feira.

Como boa filha de padeiro, Andrea sabia fazer algumas coisas simples, porém deliciosas. Com R$ 30,00, comprou os ingredientes que precisava para fazer dois bolos. Assim se deu o início da vida empreendedora de Andrea, que na semana seguinte já estava na feira do bairro Lar do Trabalhador vendendo bolo. Ela nunca mais parou!

“Conheci o Sebrae pela indicação de um conhecido e fiz algumas palestras gratuitas do Nascer Bem. Ali, entendi que era uma empreendedora porque, pra mim, essa palavra era algo muito distante da minha realidade, nem sabia que com tão pouco eu já estava empreendendo”, conta Andrea.

Como começar um negócio com pouco dinheiro? Com muito planejamento!

Ineu Oliveira
Ineu Oliveira

Com muito planejamento e juntando dinheiro, em 2003, Andrea já tinha uma boa quantia reservada e foi quando o seu marido, Ineu Oliveira, parou de trabalhar para ajudá-la com o seu empreendimento, Andrea Doces, porque sozinha ela não estava dando mais conta de atender todos os clientes.

Com o tempo, ela foi descobrindo que havia um mercado grande de festas de casamento na cidade e começou a buscar especializações para atender esse público. Como não havia cursos de confeitaria aqui em Campo Grande, ela tinha que ir até São Paulo, mas os custos eram muito altos.

Mesmo assim, ela sabia que precisava se especializar e começou a se planejar, para ir pelo menos uma vez ao ano e aprender cada vez mais e expandir o seu negócio. E assim fez, até que ela e Ineu foram em 2010 para o primeiro curso fora do Brasil, de Pasteleria no Instituto Maussi Sebess, na capital da Argentina, Buenos Aires.

Andrea Carvalhal
Andrea Carvalhal

Quando retornou para a capital morena, recebeu proposta para ministrar aulas na loja Palhacinho Rei das Festas. “Tive muito medo no início, mas decidi tentar e deu muito certo. Meu nome começou a ficar conhecido como professora também e até recebi um convite do Senac para ser instrutora no curso de confeitaria artística”, comenta Andrea.

Andrea é a prova de que é possível sim começar um negócio com pouco dinheiro

Ela conta que o Sebrae esteve sempre presente na sua vida como empreendedora. Participando do Empretec, conseguiu traçar metas para realizar o curso na Le Cordon Bleu em Paris, que era o seu maior sonho. Trabalhou duro por mais alguns anos e com muito planejamento, transformou esse sonho em realidade no ano de 2012.

Nessa viagem, ela ainda aproveitou para fazer mais especializações em chocolates na fábrica da Cailler Nestlé na Suíça. Hoje, Andrea trabalha no seu próprio negócio, além de ser professora em uma empresa de São Paulo.

Com diversos prêmios internacionais e estaduais, além do seu empreendimento ficar por quatro vezes consecutivas entre as 10 melhores do Brasil, pela revista Padaria Brasileira, Andrea finaliza sua história com a cereja do bolo, para aqueles que querem começar o seu negócio sem dinheiro:

“Com planejamento, disciplina e muito trabalho, todos os sonhos se tornam possíveis. Para mim, não é valor que importa, e sim, o que você vai fazer com ele”, finaliza Andrea.

E aí, gostou da história? Se o seu negócio também começou de forma semelhante, comente aqui. E se você ainda não tirou a sua ideia do papel, conte com a ajuda do Sebrae. Nossos cursos e consultorias vão nortear sua trajetória para abrir o seu negócio de forma segura e saudável.

Para tirar as boas ideias de empreendedorismo do papel, o maior vilão e o principal medo parece ser sempre o mesmo: o dinheiro. Ou a falta dele. Mas saiba que dá para começar um negócio com pouco dinheiro ou com o mínimo de recurso.

Será fácil? Não, mas é possível com boa vontade e muito planejamento porque a ideia precisa ser aprimorada, além de conseguir levantar uma grana e aplicar os lucros de forma correta. Só assim o seu negócio ganhará vida e poderá crescer de forma saudável.

Temos diversas histórias de empreendedores espalhadas pelo mundo que começaram um negócio com pouco dinheiro, principalmente no Brasil. Vamos nos inspirar em histórias que transformaram a vida de pessoas comuns em empreendedores de sucesso?

A água de Rick Chesther

Rick dá palestra em Harvard

O mais recente fenômeno da internet ficou famoso com um vídeo caseiro que publicou no seu canal do Youtube em abril de 2018 sobre como empreender com apenas R$10,00 e gerar um lucro de 750%.

Em apenas um minuto, de forma clara e objetivo, Rick – que não tem nenhuma formação escolar ou acadêmica – compartilha o seu conhecimento de vida sobre como vender água mineral em Copacabana, atitude que tomou quando se encontrou desempregado e com dificuldades para sustentar a família. De um dia para o outro, uma pessoa simples se tornou fenômeno da internet e sua vida mudou completamente.

Rick Chesther
Rick Chesther

A partir de então, Rick Chesther continua postando vídeos de um minuto com dicas para quem já é ou pensa ser um futuro empreendedor no Brasil. Ele já tem mais de 389 mil seguidores no Instagram, 82 mil inscritos no canal do Youtube, além de um livro publicado, contratos para propagandas de empresas, uma palestra em Harvard e embaixador da Brilive.

Mas não precisamos ir muito longe para termos histórias de garra e determinação, quando temos diversos exemplos de como começar um negócio sem dinheiro, ou bem pouco, aqui mesmo em Campo Grande.

O bolo da Andrea

Andrea Bolos

A história da empreendedora Andrea Carvalhal começou em 2002, quando estava desempregada, com dois filhos pequenos e uma situação bem complicada em casa, praticamente sem comida. Em um domingo, na casa da mãe, encontrou uma amiga que era feirante, dona Angélica, que deu a brilhante ideia de Andrea vender bolos na feira.

Como boa filha de padeiro, Andrea sabia fazer algumas coisas simples, porém deliciosas. Com R$ 30,00, comprou os ingredientes que precisava para fazer dois bolos. Assim se deu o início da vida empreendedora de Andrea, que na semana seguinte já estava na feira do bairro Lar do Trabalhador vendendo bolo. Ela nunca mais parou!

“Conheci o Sebrae pela indicação de um conhecido e fiz algumas palestras gratuitas do Nascer Bem. Ali, entendi que era uma empreendedora porque, pra mim, essa palavra era algo muito distante da minha realidade, nem sabia que com tão pouco eu já estava empreendendo”, conta Andrea.

Como começar um negócio com pouco dinheiro? Com muito planejamento!

Ineu Oliveira
Ineu Oliveira

Com muito planejamento e juntando dinheiro, em 2003, Andrea já tinha uma boa quantia reservada e foi quando o seu marido, Ineu Oliveira, parou de trabalhar para ajudá-la com o seu empreendimento, Andrea Doces, porque sozinha ela não estava dando mais conta de atender todos os clientes.

Com o tempo, ela foi descobrindo que havia um mercado grande de festas de casamento na cidade e começou a buscar especializações para atender esse público. Como não havia cursos de confeitaria aqui em Campo Grande, ela tinha que ir até São Paulo, mas os custos eram muito altos.

Mesmo assim, ela sabia que precisava se especializar e começou a se planejar, para ir pelo menos uma vez ao ano e aprender cada vez mais e expandir o seu negócio. E assim fez, até que ela e Ineu foram em 2010 para o primeiro curso fora do Brasil, de Pasteleria no Instituto Maussi Sebess, na capital da Argentina, Buenos Aires.

Andrea Carvalhal
Andrea Carvalhal

Quando retornou para a capital morena, recebeu proposta para ministrar aulas na loja Palhacinho Rei das Festas. “Tive muito medo no início, mas decidi tentar e deu muito certo. Meu nome começou a ficar conhecido como professora também e até recebi um convite do Senac para ser instrutora no curso de confeitaria artística”, comenta Andrea.

Andrea é a prova de que é possível sim começar um negócio com pouco dinheiro

Ela conta que o Sebrae esteve sempre presente na sua vida como empreendedora. Participando do Empretec, conseguiu traçar metas para realizar o curso na Le Cordon Bleu em Paris, que era o seu maior sonho. Trabalhou duro por mais alguns anos e com muito planejamento, transformou esse sonho em realidade no ano de 2012.

Nessa viagem, ela ainda aproveitou para fazer mais especializações em chocolates na fábrica da Cailler Nestlé na Suíça. Hoje, Andrea trabalha no seu próprio negócio, além de ser professora em uma empresa de São Paulo.

Com diversos prêmios internacionais e estaduais, além do seu empreendimento ficar por quatro vezes consecutivas entre as 10 melhores do Brasil, pela revista Padaria Brasileira, Andrea finaliza sua história com a cereja do bolo, para aqueles que querem começar o seu negócio sem dinheiro:

“Com planejamento, disciplina e muito trabalho, todos os sonhos se tornam possíveis. Para mim, não é valor que importa, e sim, o que você vai fazer com ele”, finaliza Andrea.

E aí, gostou da história? Se o seu negócio também começou de forma semelhante, comente aqui. E se você ainda não tirou a sua ideia do papel, conte com a ajuda do Sebrae. Nossos cursos e consultorias vão nortear sua trajetória para abrir o seu negócio de forma segura e saudável.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.







Um Comentário

  1. Jorgenete de Azevedo Gomes da Silva disse:

    Boa tarde ! Tenho um desejo de montar um pequeno negócio com alho negro, não sei quanto devo investir, por onde começar, como estocar e conseguir clientes. Como o sebrae pode me ajudar?
    Desde já agradeço a oportunidade.

    Atenciosamente Jorgenete Silva




Deixe seu Comentário