Casos de Sucesso

15 abril, 2019 • Casos de Sucesso

Páscoa de otimismo: para crescimento e lançamentos

Depois que o Carnaval passa, a Páscoa é a primeira data comercial do calendário e chega trazendo sempre muito otimismo para os empreendedores. A previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é que os estabelecimentos do varejo alimentício faturem cerca de R$ 2,4 bilhões com as vendas voltadas para a Semana Santa deste ano.

A demanda específica por ovos e outros produtos de chocolate também tem previsão de aumento: faturamento até 10% maior que o registrado na Páscoa de 2018. É o que espera Rubens Luiz Triaca, proprietário da Comercial Pelicano, única indústria de ovos de chocolate de Mato Grosso do Sul, localizada em Dourados.

Por 15 anos, Rubens atuou como distribuidora de embalagens e doces e foi o sentimento de solidariedade que o impulsionou a colocar a mão no chocolate e fazer ovos de Páscoa em ações beneficentes.

“Nós pegávamos o material a preço de custo, fazíamos os ovos de maneira bem artesanal, com a ajuda de amigos em mutirões, e vendíamos. O dinheiro arrecadado foi usado para ajudar a construir e reformar a sede e a manter os trabalhos de dois centros espíritas da cidade. Uma vez, recebemos uma encomenda bem grande da prefeitura de uma cidade do interior e foi aí que percebemos que tínhamos tomado gosto pela coisa e que podíamos crescer”, relembra Rubens.

Há oito anos, chegaram as máquinas e equipamentos do Rio Grande do Sul e a fábrica de chocolates começou a funcionar em grande escala. Rubens foi atrás de capacitação do Sebrae e fez curso de Gestão Empresarial. Hoje, ele, a esposa e as duas filhas trabalham na empresa que, só na produção, emprega 12 pessoas. Nesse período de Páscoa, mais três foram contratadas, além das 30 promotoras de vendas para atender a supermercados de municípios de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

“Estamos prevendo 100 mil unidades somente para esta Páscoa; 7% a mais que a produção do período do ano passado. Recentemente, fizemos 3.600 ovos em apenas três dias, uma encomenda que vai para Belém do Pará”, conta.

Apesar da demanda ter crescido consideravelmente, a empresa não esquece suas raízes e continua realizando ações beneficentes em prol de ONGs.

Testar, conquistar, começar

A Páscoa tem animado não só quem já está estabelecido no mercado, mas também aqueles que estão, aos poucos, dando forma e vida para o novo e próprio negócio.

Isabela Mariotto é personal trainer e há seis anos aproveita o período da Páscoa para vender ovos de chocolate artesanais e faturar uma renda extra com a mãe. Por conta do perfil de seus alunos, a demanda por opções fit e sem lactoce aumentou e ela foi atrás de conhecimento para poder atender aos pedidos.

“No começo, eu fazia os ovos normais só para amigos e familiares, mas um foi falando para o outro e a demanda vem aumentando a cada ano. Ano retrasado foram cerca de 40 ovos, no ano passado fiz 80. Como eu sou sozinha e ainda divido os horários com as aulas de personal, acabo não extrapolando muito a quantidade porque não quero perder a qualidade. Alguns clientes me dão feedback, também tenho amigas nutricionistas que me auxiliam na degustação e ideias de receitas”, revela.

Recentemente, Isabela foi desligada da academia onde trabalhava e então um antigo sonho ganhou força: o de abrir um empório de produtos naturais e saudáveis, onde ela venderia, inclusive, chocolates e bolos feitos por ela mesma.

“Já havia pensado na possibilidade de abrir um negócio e tinha conversado com meu pai, que é empresário. Ele me deu algumas ideias e muito incentivo. Assim que saí do emprego, resolvi colocar em prática. Vamos começar a reformar o espaço e o empório deve ser inaugurado em julho. No início, tive um pouco de medo, porque a cidade já tem muitos estabelecimentos desse segmento; mas depois surgiram novas ideias para trazer algo inovador, além dessa aceitação dos meus produtos me passar mais segurança”, explica.

Momento propício

Para o analista técnico do Sebrae/MS, Gilmar Rosseto, a estratégia de Isabela é indicada para quem pretende abrir um negócio. “Testar o produto ou serviço é de suma importância para análise de mercado. Com nosso mercado globalizado, clientes exigentes e com fácil acesso à informação podem de forma prática buscar produtos substitutos ou similares. Essa fase ajuda a verificar se o produto pode solucionar o problema do cliente, se possui uma proposta de valor, se possui alguma vantagem competitiva diante os concorrentes, mensurando a aceitação dele pelo mercado”, explica.

Por outro lado, Gilmar indica cautela para quem pensa em abrir as portas do negócio em períodos de datas comemorativas. “O empreendedor deve se atentar que o movimento desse período não dará uma noção real do seu mercado consumidor, pois, existindo a sazonalidade, no decorrer do ano, as vendas poderão não acompanhar o mesmo ritmo”, comenta.

Para ambas as situações, Gilmar dá a dica: planejamento. Tanto para dar conta da demanda sem perder a qualidade quanto para realizar um pós-venda que gere fidelização do cliente, garantindo negócios futuros.

Se você se identificou com o assunto e quer saber mais sobre como testar suas ideias de negócio ou como abrir seu próprio negócio, o Sebrae/MS está de portas abertas e consultores a postos para te ajudar.

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário