Casos de Sucesso

27 novembro, 2019 • Casos de Sucesso

Vendas pelo WhatsApp: conheça casos de empreendedores locais e saiba como vender mais com a ferramenta

A união da tecnologia com a internet tem proporcionado infinitas possibilidades de comunicação. Vender, por exemplo, tornou-se um desafio diferente do que era anos atrás. Mais rápido, talvez, mas não mais fácil. Novas ferramentas exigem novos conhecimentos e novas estratégias. O WhatsApp Business, versão para negócios do aplicativo de mensagens, é um exemplo. Lançado no início de 2018, com funcionalidades exclusivas como opção de programar mensagens automáticas, colocar endereço e horário de funcionamento, além da opção de montar catálogo de produtos e serviços direto no aplicativo.

Quando completou um ano, no início de 2019, o aplicativo já era usado por 1,5 bilhão de usuários em todo mundo, sendo o Brasil o segundo maior mercado do serviço, ficando atrás apenas da Índia.

Reunimos aqui algumas histórias de empreendedores locais que utilizam o WhatsApp Business para atender seus clientes e realizar vendas. São micro e pequenas empresas que provam que – com planejamento – é possível atender bem, ainda que seja virtualmente. Confira:

Boralá Açaí

Depois de fechar a açaizeria que tinha com os tios e encerrar a sociedade, Thiego da Cunha, 32 anos, começou a fazer entregas do produto de bicicleta na região da Rua Brilhante e Avenida Bandeirantes, em Campo Grande (MS). Com o aumento no número de clientes, passou a fazer as entregas de carro. No entanto, os pedidos são sempre feitos da mesma maneira: pelo WhatsApp.

“Embora tenha tentado divulgar a empresa com panfletos, não vi resultados. Depois, tentei vender direto nas empresas, mas não deu certo porque o açaí derrete, então não é viável. Por fim, tenho focado mesmo nos clientes que já possuo, que em 90% são empresas e comércios da região. Eles também ajudam na divulgação e o WhatsApp facilita muito. Tenho feito dele minha plataforma. Além de alguns impulsionamentos pelo instagram”, explica.

A atividade do Boralá agora é feita em parceria com a mãe, Mariza, na casa dela, que inclusive passou por uma reforma para adequar um espaço para ser o local de montagem dos pedidos. Enquanto a mãe fica com a produção, o atendimento e a entrega ficam com Thiego.

Por dia, Thiego faz entregas em cinco locais diferentes, em média, independentemente da quantidade de pedidos, ou seja, não existe número mínimo.

Existem promoções de Fidelidade On-line também, como ganhar um Açaí 300 g de graça a cada 10 pedidos, isenção da taxa de entrega para pedidos acima de R$ 40,00 e isenção da taxa de entrega + 5% de desconto para pedidos acima de R$ 60,00.

A isenção de taxa é válida para alguns bairros específicos como Amambaí, Taveirópolis, Taquarussu, Jacy e Guanandy, por exemplo. Thiego conta que já tentou estender a área de atendimento, mas entendeu que, para ampliar o raio de atendimento, precisa de uma estrutura melhor. 

Além disso, a intenção é começar a abrir de manhã também (atualmente o atendimento é das 13h às 19h), porque açaí não tem saída de manhã, então seria um outro investimento, outros produtos e uma estrutura diferente. 

Quando um cliente entra em contato pelo WhatsApp do Boralá Açaí, Thiego logo envia uma mensagem padrão, um cardápio informando tudo que costuma ser as principais dúvidas dos clientes na hora de fazer o pedido. Tem informações sobre os tamanhos, valores, além dos acompanhamentos e adicionais. 

“Pelo WhatsApp, fica mais fácil também informar o cliente quantos pedidos têm na frente do dele, qual é o tempo médio de espera, porque como os clientes estão trabalhando, às vezes, não podem falar ao telefone”, conta.

MisturaVeg

Ao optar por um estilo de vida mais saudável, sem carne, a psicóloga e empreendedora Vitória Oliveira Almeida, 26 anos, passou pelas mesmas dificuldades que muitos vegetarianos passam: a dificuldade de encontrar pratos sem carne na hora das refeições, fora a frequente pergunta: “mas se você não come carne, o que você então?”.

Para Vitória, empreender sempre foi um sonho, mas não sabia em qual área exatamente. A faculdade de psicologia abriu algumas portas para ela nesse sentido, mas o amor pela cozinha venceu quando ela tomou a decisão de parar de comer carne.

“Como as opções vegetarianas são poucas, a gente acaba enjoando de comer sempre a mesma comida do mesmo lugar. Fui pesquisar receitas e descobri um grande público que não era atendido. Muitas pessoas querem ter uma alimentação vegetariana ou vegana, mas não sobra tempo ou não gostam de cozinhar, então comecei a fazer para vender e deu certo”, conta.

Assim, ao final de março deste ano, nasceu o MisturaVeg, uma marca que produz hambúrgueres veganos, 100% vegetais, sem colesterol, sem conservante e sem gordura trans. Até o momento, ela já desenvolveu cinco sabores: lentilha (que vai batata e cenoura também), feijão, ervilha , grão-de-bico e grão-de-bico com beterraba. Os hambúrgueres são vendidos por unidade e congelados, maneira em que duram 3 meses se armazenados no congelador, a R$ 5,00 cada. Tem também o combo com os cinco sabores, vendidos a R$ 23,00. 

Organizando para dar conta de tudo

Sozinha para captar e atender os clientes, gerenciar as redes sociais, preparar os hambúrgueres, administrar a empresa e pesquisar e testar novas receitas, Vitória foi atrás de ajuda. “Para oficializar tudo direitinho, abri meu MEI. Sempre fui fã do Sebrae, mas dessa forma me aproximei mais ainda. Aproveitei cursos e oficinas que me ajudaram muito. A gente que é empreendedor não pode se distanciar, o Sebrae é um canal muito rico”, declara.

Da cozinha de sua casa, Vitória faz os hambúrgueres de manhã e as entregas à tarde. A rotina é diária. Além do estoque para a venda ao cliente final, estão surgindo novos parceiros para disponibilizar os hambúrgueres de Vitória para serem vendidos congelados e para serem vendidos já no preparo do prato ou do lanche.

Praticamente todas as operações são feitas com o auxílio do WhatsApp que, de acordo com Vitória, é uma excelente ferramenta de atendimento e venda, principalmente se for aliada ao uso do Instagram. 

“São duas soluções diferentes que se complementam. O WhatsApp é muito bom porque é uma ferramenta muito simples de lidar e, hoje em dia, difícil um celular que não tenha o aplicativo instalado. Nele, dá pra criar listas de transmissão e, na hora da entrega, facilita bastante com o compartilhamento da localização. Por outro lado, no whats, tem gente que não baixa as imagens que você manda, por exemplo. O Instagram dá suporte para tudo isso, porque dá para investir em fotos bem bonitas, que encham os olhos dos clientes, dá para impulsionar posts, já que o algoritmo da rede limita a entrega dos seus posts. Lá também dá para produzir ou compartilhar conteúdos sobre saúde e bem-estar, porque a marca não se preocupa só em vender, mas se preocupa e quer contribuir com a qualidade de vida do cliente”, explica.

Na bio da página do MisturaVeg no Instagram, fica o link para ir direto para o WhatsApp da empresa. É tudo muito prático e já no primeiro contato o cliente recebe uma imagem apresentando os produtos, os valores e as promoções. 

Spring Donuts

Muito comuns em filmes norte-americanos, as famosas “rosquinhas” (feitas com uma massa açucarada e frita) sempre dão água na boca. Se tiver um recheio ou uma cobertura gostosa, então… 

Os donuts são o produto da Spring Donuts, uma marca de Campo Grande (MS) que nasceu em junho de 2017 depois que a publicitária Fabianny Ribeiro Mônaco, 26 anos, estudou e usou o case de sucesso de uma marca de castanhas para entregar seu TCC e concluir a faculdade.

“Me apaixonei pelo ramo alimentício. Apesar de ser um ramo muito disputado, comecei minhas pesquisas para conseguir abrir algo que realmente fosse inovador. Na época (2016), fiz alguns testes de cookies, mas ainda não era o produto que eu gostaria de oferecer. Logo me lembrei das deliciosas rosquinhas americanas que eu tanto amava e que não encontrava em nenhum lugar para comprar. ‘É isso que eu vou fazer!’ pensei. ‘Mas como!?’ Eu não tinha ideia. Foi aí que comecei minhas pesquisas, foram muitos erros e o primeiro acerto veio mais ou menos um ano depois. Quando finalmente cheguei ao resultado desejado, abri para encomendas”, relembra Faby, que hoje tem o noivo Afonso Henrique Ferreira, 29 anos, como sócio.

A ideia inicial da Spring Donuts era de trabalhar por encomenda, então Faby atendia por todas as redes sociais comuns: Facebook, Direct no Instagram e WhatsApp. Após aumentar o fluxo de vendas, percebeu que seria mais viável, rápido e seguro direcionar todos os pedidos para um lugar só e escolheu o WhatsApp. “Hoje utilizamos o Instagram como vitrine e direcionamos os clientes para o WhatsApp, onde é possível oferecer um atendimento mais completo e intimista”, explica.

Com o slogan “O melhor das galáxias”, a maneira de atender pelo WhatsApp é bem peculiar. A mensagem de boas-vindas é assim: “Oii! Aqui é a comandante Venus, para ter os seus, é fácil! Siga os passos:” E então o cliente recebe o pdf o cardápio mais o passo a passo para finalizar o pedido.

No cardápio, o cliente encontra as opções de tamanhos de caixa, quantidades de donuts do pedido, sabores de cobertura, entre outras informações.

Na sequência, o cliente recebe uma outra mensagem: “Para efetivarmos o seu pedido, responda este formulário”, e logo abaixo um formulário que pergunta as informações do pedido, mas também passa novas informações ao cliente, como horário de entrega, valores e formas de pagamento.

Viu só quantos casos legais que servem como inspiração? Além disso, aqui você encontra dicas de como trabalhar melhor com o perfil da sua empresa no Instagram, e aqui dicas como usar melhor o WhatsApp para suas vendas.


A união da tecnologia com a internet tem proporcionado infinitas possibilidades de comunicação. Vender, por exemplo, tornou-se um desafio diferente do que era anos atrás. Mais rápido, talvez, mas não mais fácil. Novas ferramentas exigem novos conhecimentos e novas estratégias. O WhatsApp Business, versão para negócios do aplicativo de mensagens, é um exemplo. Lançado no início de 2018, com funcionalidades exclusivas como opção de programar mensagens automáticas, colocar endereço e horário de funcionamento, além da opção de montar catálogo de produtos e serviços direto no aplicativo.

Quando completou um ano, no início de 2019, o aplicativo já era usado por 1,5 bilhão de usuários em todo mundo, sendo o Brasil o segundo maior mercado do serviço, ficando atrás apenas da Índia.

Reunimos aqui algumas histórias de empreendedores locais que utilizam o WhatsApp Business para atender seus clientes e realizar vendas. São micro e pequenas empresas que provam que – com planejamento – é possível atender bem, ainda que seja virtualmente. Confira:

Boralá Açaí

Depois de fechar a açaizeria que tinha com os tios e encerrar a sociedade, Thiego da Cunha, 32 anos, começou a fazer entregas do produto de bicicleta na região da Rua Brilhante e Avenida Bandeirantes, em Campo Grande (MS). Com o aumento no número de clientes, passou a fazer as entregas de carro. No entanto, os pedidos são sempre feitos da mesma maneira: pelo WhatsApp.

“Embora tenha tentado divulgar a empresa com panfletos, não vi resultados. Depois, tentei vender direto nas empresas, mas não deu certo porque o açaí derrete, então não é viável. Por fim, tenho focado mesmo nos clientes que já possuo, que em 90% são empresas e comércios da região. Eles também ajudam na divulgação e o WhatsApp facilita muito. Tenho feito dele minha plataforma. Além de alguns impulsionamentos pelo instagram”, explica.

A atividade do Boralá agora é feita em parceria com a mãe, Mariza, na casa dela, que inclusive passou por uma reforma para adequar um espaço para ser o local de montagem dos pedidos. Enquanto a mãe fica com a produção, o atendimento e a entrega ficam com Thiego.

Por dia, Thiego faz entregas em cinco locais diferentes, em média, independentemente da quantidade de pedidos, ou seja, não existe número mínimo.

Existem promoções de Fidelidade On-line também, como ganhar um Açaí 300 g de graça a cada 10 pedidos, isenção da taxa de entrega para pedidos acima de R$ 40,00 e isenção da taxa de entrega + 5% de desconto para pedidos acima de R$ 60,00.

A isenção de taxa é válida para alguns bairros específicos como Amambaí, Taveirópolis, Taquarussu, Jacy e Guanandy, por exemplo. Thiego conta que já tentou estender a área de atendimento, mas entendeu que, para ampliar o raio de atendimento, precisa de uma estrutura melhor. 

Além disso, a intenção é começar a abrir de manhã também (atualmente o atendimento é das 13h às 19h), porque açaí não tem saída de manhã, então seria um outro investimento, outros produtos e uma estrutura diferente. 

Quando um cliente entra em contato pelo WhatsApp do Boralá Açaí, Thiego logo envia uma mensagem padrão, um cardápio informando tudo que costuma ser as principais dúvidas dos clientes na hora de fazer o pedido. Tem informações sobre os tamanhos, valores, além dos acompanhamentos e adicionais. 

“Pelo WhatsApp, fica mais fácil também informar o cliente quantos pedidos têm na frente do dele, qual é o tempo médio de espera, porque como os clientes estão trabalhando, às vezes, não podem falar ao telefone”, conta.

MisturaVeg

Ao optar por um estilo de vida mais saudável, sem carne, a psicóloga e empreendedora Vitória Oliveira Almeida, 26 anos, passou pelas mesmas dificuldades que muitos vegetarianos passam: a dificuldade de encontrar pratos sem carne na hora das refeições, fora a frequente pergunta: “mas se você não come carne, o que você então?”.

Para Vitória, empreender sempre foi um sonho, mas não sabia em qual área exatamente. A faculdade de psicologia abriu algumas portas para ela nesse sentido, mas o amor pela cozinha venceu quando ela tomou a decisão de parar de comer carne.

“Como as opções vegetarianas são poucas, a gente acaba enjoando de comer sempre a mesma comida do mesmo lugar. Fui pesquisar receitas e descobri um grande público que não era atendido. Muitas pessoas querem ter uma alimentação vegetariana ou vegana, mas não sobra tempo ou não gostam de cozinhar, então comecei a fazer para vender e deu certo”, conta.

Assim, ao final de março deste ano, nasceu o MisturaVeg, uma marca que produz hambúrgueres veganos, 100% vegetais, sem colesterol, sem conservante e sem gordura trans. Até o momento, ela já desenvolveu cinco sabores: lentilha (que vai batata e cenoura também), feijão, ervilha , grão-de-bico e grão-de-bico com beterraba. Os hambúrgueres são vendidos por unidade e congelados, maneira em que duram 3 meses se armazenados no congelador, a R$ 5,00 cada. Tem também o combo com os cinco sabores, vendidos a R$ 23,00. 

Organizando para dar conta de tudo

Sozinha para captar e atender os clientes, gerenciar as redes sociais, preparar os hambúrgueres, administrar a empresa e pesquisar e testar novas receitas, Vitória foi atrás de ajuda. “Para oficializar tudo direitinho, abri meu MEI. Sempre fui fã do Sebrae, mas dessa forma me aproximei mais ainda. Aproveitei cursos e oficinas que me ajudaram muito. A gente que é empreendedor não pode se distanciar, o Sebrae é um canal muito rico”, declara.

Da cozinha de sua casa, Vitória faz os hambúrgueres de manhã e as entregas à tarde. A rotina é diária. Além do estoque para a venda ao cliente final, estão surgindo novos parceiros para disponibilizar os hambúrgueres de Vitória para serem vendidos congelados e para serem vendidos já no preparo do prato ou do lanche.

Praticamente todas as operações são feitas com o auxílio do WhatsApp que, de acordo com Vitória, é uma excelente ferramenta de atendimento e venda, principalmente se for aliada ao uso do Instagram. 

“São duas soluções diferentes que se complementam. O WhatsApp é muito bom porque é uma ferramenta muito simples de lidar e, hoje em dia, difícil um celular que não tenha o aplicativo instalado. Nele, dá pra criar listas de transmissão e, na hora da entrega, facilita bastante com o compartilhamento da localização. Por outro lado, no whats, tem gente que não baixa as imagens que você manda, por exemplo. O Instagram dá suporte para tudo isso, porque dá para investir em fotos bem bonitas, que encham os olhos dos clientes, dá para impulsionar posts, já que o algoritmo da rede limita a entrega dos seus posts. Lá também dá para produzir ou compartilhar conteúdos sobre saúde e bem-estar, porque a marca não se preocupa só em vender, mas se preocupa e quer contribuir com a qualidade de vida do cliente”, explica.

Na bio da página do MisturaVeg no Instagram, fica o link para ir direto para o WhatsApp da empresa. É tudo muito prático e já no primeiro contato o cliente recebe uma imagem apresentando os produtos, os valores e as promoções. 

Spring Donuts

Muito comuns em filmes norte-americanos, as famosas “rosquinhas” (feitas com uma massa açucarada e frita) sempre dão água na boca. Se tiver um recheio ou uma cobertura gostosa, então… 

Os donuts são o produto da Spring Donuts, uma marca de Campo Grande (MS) que nasceu em junho de 2017 depois que a publicitária Fabianny Ribeiro Mônaco, 26 anos, estudou e usou o case de sucesso de uma marca de castanhas para entregar seu TCC e concluir a faculdade.

“Me apaixonei pelo ramo alimentício. Apesar de ser um ramo muito disputado, comecei minhas pesquisas para conseguir abrir algo que realmente fosse inovador. Na época (2016), fiz alguns testes de cookies, mas ainda não era o produto que eu gostaria de oferecer. Logo me lembrei das deliciosas rosquinhas americanas que eu tanto amava e que não encontrava em nenhum lugar para comprar. ‘É isso que eu vou fazer!’ pensei. ‘Mas como!?’ Eu não tinha ideia. Foi aí que comecei minhas pesquisas, foram muitos erros e o primeiro acerto veio mais ou menos um ano depois. Quando finalmente cheguei ao resultado desejado, abri para encomendas”, relembra Faby, que hoje tem o noivo Afonso Henrique Ferreira, 29 anos, como sócio.

A ideia inicial da Spring Donuts era de trabalhar por encomenda, então Faby atendia por todas as redes sociais comuns: Facebook, Direct no Instagram e WhatsApp. Após aumentar o fluxo de vendas, percebeu que seria mais viável, rápido e seguro direcionar todos os pedidos para um lugar só e escolheu o WhatsApp. “Hoje utilizamos o Instagram como vitrine e direcionamos os clientes para o WhatsApp, onde é possível oferecer um atendimento mais completo e intimista”, explica.

Com o slogan “O melhor das galáxias”, a maneira de atender pelo WhatsApp é bem peculiar. A mensagem de boas-vindas é assim: “Oii! Aqui é a comandante Venus, para ter os seus, é fácil! Siga os passos:” E então o cliente recebe o pdf o cardápio mais o passo a passo para finalizar o pedido.

No cardápio, o cliente encontra as opções de tamanhos de caixa, quantidades de donuts do pedido, sabores de cobertura, entre outras informações.

Na sequência, o cliente recebe uma outra mensagem: “Para efetivarmos o seu pedido, responda este formulário”, e logo abaixo um formulário que pergunta as informações do pedido, mas também passa novas informações ao cliente, como horário de entrega, valores e formas de pagamento.

Viu só quantos casos legais que servem como inspiração? Além disso, aqui você encontra dicas de como trabalhar melhor com o perfil da sua empresa no Instagram, e aqui dicas como usar melhor o WhatsApp para suas vendas.



Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário