Destaque

Música no trabalho ajuda ou atrapalha?

Se na sua empresa os funcionários passam a maior parte do tempo em frente ao computador, é comum ver que algumas pessoas optam por ficar ouvindo música no trabalho. Algumas empresas não veem problema nisso, mas existem gestores em dúvida se a prática durante o expediente ajuda ou atrapalha na produtividade do funcionário.

Para alguns, a música ajuda na concentração e faz com que o dia fique mais agradável. Há quem goste de trabalhar com fones de ouvido para que os barulhos vindos de fora não atrapalhem ou causem algum tipo de distração. Mas tem quem alegue que os sons podem ter um efeito oposto, tirando o foco.

Ouvir música no trabalho pode aliviar a tensão

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Miami constatou que quem tem esse costume conclui suas tarefas mais rápido e tem facilidade para ter boas ideias, pois a música tem o poder de alterar o humor das pessoas. Na verdade, ouvir sua banda preferida durante um momento complicado pode ajudar a aliviar a tensão, causando uma sensação de prazer. Essa sensação é provocada pela dopamina, substância liberada pelo cérebro em algumas ocasiões – ouvir aquele álbum de que você gosta muito é uma delas.

Porém, dopamina em excesso pode fazer com que você perca o foco. Por isso, em alguns casos, é aconselhável escolher músicas desconhecidas ou instrumentais para servir de fundo para seu trabalho, em vez de fazer uma playlist com seus artistas preferidos.

Outros estudos mostram que, em outros momentos, a música pode atrapalhar. Em um artigo da revista Galileu foi dito que a Universidade do Instituto de Gales divulgou em uma pesquisa que, se a tarefa a ser feita é algo novo e complexo, a música mais atrapalha do que ajuda. Mas, em contraponto, uma pesquisa publicada em um periódico científico sobre medicina nos Estados Unidos mostrou que médicos cirurgiões experientes realizavam cirurgias mais rápidas e precisas ao som de música.

Fones de ouvido podem ser prejudiciais?

Apesar de trazer alguns benefícios, ficar de fones de ouvido o tempo todo pode ser prejudicial. O recomendado é ouvir música até, no máximo, 90 decibéis, pois mais do que isso se torna prejudicial à saúde auditiva. O Conselho Regional de Fonoaudiologia faz periodicamente a campanha Saúde Auditiva, e recomenda também que, a cada 45 minutos de uso dos fones de ouvido, que existam sempre 15 minutos de pausa para os ouvidos descansarem. Além disso, promover algumas pausas em que os funcionários fiquem sem fone de ouvido é importante também para que exista interação entre os colegas de trabalho.

No caso de atendimento ao público, a relação dos funcionários com a música deve ser mais regrada. Se o atendimento é feito por telefone, o fone de ouvido pode ser liberado entre os atendimentos. Mas em caso de atendimento presencial, os fones causam impressão de indisponibilidade. Por isso, se sua empresa atende clientes em seu espaço físico, a alternativa é ter um fundo musical leve, apenas para minimizar os ruídos ambientes.

Além de ser algo pessoal – tem quem se sinta melhor ouvindo música, e por isso pode desempenhar melhor e ter resultados satisfatórios, e tem quem prefira ficar no silêncio – a maioria das pesquisas demonstrou que o poder de distração da música é relacionado com a experiência do funcionário. Pessoas mais experientes naquilo que fazem ficam mais concentradas ouvindo música, enquanto que funcionários mais inexperientes podem se distrair com maior facilidade.

Se sua empresa possui muitos funcionários que costumam ouvir música em fones de ouvido, mais importante do que proibir, é ficar de olho na produtividade da equipe. Conscientize sua equipe sobre as pausas e o volume adequado para manter a saúde auditiva de todos.

Em todos os casos, gestores e colaboradores devem seguir o bom senso, afinal, o bom andamento dos trabalhos e o sucesso da equipe devem ser levados em consideração por todos.

Fontes:

Se na sua empresa os funcionários passam a maior parte do tempo em frente ao computador, é comum ver que algumas pessoas optam por ficar ouvindo música no trabalho. Algumas empresas não veem problema nisso, mas existem gestores em dúvida se a prática durante o expediente ajuda ou atrapalha na produtividade do funcionário.

Para alguns, a música ajuda na concentração e faz com que o dia fique mais agradável. Há quem goste de trabalhar com fones de ouvido para que os barulhos vindos de fora não atrapalhem ou causem algum tipo de distração. Mas tem quem alegue que os sons podem ter um efeito oposto, tirando o foco.

Ouvir música no trabalho pode aliviar a tensão

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Miami constatou que quem tem esse costume conclui suas tarefas mais rápido e tem facilidade para ter boas ideias, pois a música tem o poder de alterar o humor das pessoas. Na verdade, ouvir sua banda preferida durante um momento complicado pode ajudar a aliviar a tensão, causando uma sensação de prazer. Essa sensação é provocada pela dopamina, substância liberada pelo cérebro em algumas ocasiões – ouvir aquele álbum de que você gosta muito é uma delas.

Porém, dopamina em excesso pode fazer com que você perca o foco. Por isso, em alguns casos, é aconselhável escolher músicas desconhecidas ou instrumentais para servir de fundo para seu trabalho, em vez de fazer uma playlist com seus artistas preferidos.

Outros estudos mostram que, em outros momentos, a música pode atrapalhar. Em um artigo da revista Galileu foi dito que a Universidade do Instituto de Gales divulgou em uma pesquisa que, se a tarefa a ser feita é algo novo e complexo, a música mais atrapalha do que ajuda. Mas, em contraponto, uma pesquisa publicada em um periódico científico sobre medicina nos Estados Unidos mostrou que médicos cirurgiões experientes realizavam cirurgias mais rápidas e precisas ao som de música.

Fones de ouvido podem ser prejudiciais?

Apesar de trazer alguns benefícios, ficar de fones de ouvido o tempo todo pode ser prejudicial. O recomendado é ouvir música até, no máximo, 90 decibéis, pois mais do que isso se torna prejudicial à saúde auditiva. O Conselho Regional de Fonoaudiologia faz periodicamente a campanha Saúde Auditiva, e recomenda também que, a cada 45 minutos de uso dos fones de ouvido, que existam sempre 15 minutos de pausa para os ouvidos descansarem. Além disso, promover algumas pausas em que os funcionários fiquem sem fone de ouvido é importante também para que exista interação entre os colegas de trabalho.

No caso de atendimento ao público, a relação dos funcionários com a música deve ser mais regrada. Se o atendimento é feito por telefone, o fone de ouvido pode ser liberado entre os atendimentos. Mas em caso de atendimento presencial, os fones causam impressão de indisponibilidade. Por isso, se sua empresa atende clientes em seu espaço físico, a alternativa é ter um fundo musical leve, apenas para minimizar os ruídos ambientes.

Além de ser algo pessoal – tem quem se sinta melhor ouvindo música, e por isso pode desempenhar melhor e ter resultados satisfatórios, e tem quem prefira ficar no silêncio – a maioria das pesquisas demonstrou que o poder de distração da música é relacionado com a experiência do funcionário. Pessoas mais experientes naquilo que fazem ficam mais concentradas ouvindo música, enquanto que funcionários mais inexperientes podem se distrair com maior facilidade.

Se sua empresa possui muitos funcionários que costumam ouvir música em fones de ouvido, mais importante do que proibir, é ficar de olho na produtividade da equipe. Conscientize sua equipe sobre as pausas e o volume adequado para manter a saúde auditiva de todos.

Em todos os casos, gestores e colaboradores devem seguir o bom senso, afinal, o bom andamento dos trabalhos e o sucesso da equipe devem ser levados em consideração por todos.

Fontes:


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.







Comentários

  1. Karina disse:

    Muito legal o artigo!!




Deixe seu Comentário