Dicas de Empreendedorismo

Como ser protagonista de sua história

Empreendedorismo - EmpretecNas palavras do consultor e empresário Daniel Real, ser protagonista de sua história é responsabilidade de quem quer crescer como empreendedor. Como facilitador líder do Seminário Empretec no Brasil e Internacional Master Trainer (IMT), da metodologia junto à Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD/ONU), atuou recentemente nos países Índia, Moçambique, Rússia e República Dominicana.

Em entrevista para o jornal Conexão Sebrae, Real explica que o comportamento dos empreendedores é uma das ferramentas fundamentais nos negócios.

A proporção de brasileiros com uma percepção positiva da sua capacidade e habilidade de start-up é o segundo maior entre os países selecionados e fica próximo aos dos EUA (53,3%) e México (53,5%). Esta característica traz algum diferencial na visão de oportunidades do empreendedor brasileiro?

Daniel Real EmpretecA autoconfiança é, certamente, fator importante para empreender, em especial quando está alicerçada em conhecimento e preparação. Quando este não é o caso, pode ser arriscado.

Ao observarmos o histórico econômico dos últimos 10 anos do Brasil, com exceção de 2008 e este ano – 2015, vivemos anos de crescimento significativo.

Essa memória de oportunidades e observação de casos inspiradores favorece a percepção positiva da capacidade de empreender. Isso é bom e contribui para o contínuo crescimento da economia brasileira.

Capacitar-se constantemente e levar os conhecimentos para a empresa (sendo o seu negócio ou emprego) é uma forma de garantir integração entre conhecimentos aprendidos e aplicados. Possibilitando assim que tal percepção seja útil e gere resultados.

Se empreender promove o desenvolvimento, o que deve ser feito para se destacar no mercado e promover o empreendimento?

Destacar-se no mercado é uma junção de competências. Ter uma ideia de negócio validada por um estudo de mercado que demonstre demanda pelo produto ou serviço que pretende oferecer é o primeiro passo.

Se o empreendedor conseguir mesclar a isso um recurso subutilizado (sendo ele matéria prima ou mesmo profissionais com capacidade e desejo de trabalhar, mas com limitadas oportunidades), a chance de sucesso é ainda maior.

Mas de nada adianta o que foi listado acima sem persistência para superar os diversos obstáculos que surgirão entre você e seus objetivos empreendedores.

Ao mesmo tempo, o comprometimento do empresário com o que oferece a seus clientes (incluo aqui: prazo, qualidade, padronização) é fundamental para se destacar no mercado ao longo dos anos.

Desenvolver e alimentar uma rede de contatos também é fator determinante para a promoção do empreendimento. É através de contatos que oportunidades surgem e novos negócios acontecem.

Qual o diferencial da metodologia Empretec para a aplicação nas organizações e nos negócios?

Atuo como facilitador do Seminário Empretec, metodologia presente em 38 países do mundo e coordenada globalmente pela Organização Nações Unidas, no Brasil e através de missões

da ONU em diversos países. A razão de termos o Seminário Empretec como produto de ponta do Sebrae, um dos maiores casos de sucesso da instituição há mais de 20 anos, está diretamente conectada com o fato da metodologia ser vivenciada e ter comportamentos empreendedores como base de sua estrutura.

Em outras palavras, não tratamos de técnicas no Seminário, e sim de como o empreendedor de sucesso se comporta e como cada participante está se comportando. E aí surgem ricas análises munidas de percepções de oportunidades/necessidade de mudanças e melhorias. Esse é um dos produtos mais bem avaliado do Sebrae. Seus impactos nos negócios daqueles que vivenciam a metodologia são medidos anualmente.

Dentre os benefícios, temos: aumento do faturamento, redução da quebra dos negócios, aumento do número de funcionários e outros. Inclusive, um percentual daqueles que participam deixam de ser funcionários e empreendem.

O que você pôde observar de diferente ao trabalhar com o comportamento do empreendedor?

A singularidade de trabalhar com soluções e treinamentos comportamentais está no fato de que não treinamos pessoas de forma a ensiná-los a aplicar técnicas. Mas sim, tratamos de suas formas padrão de ação (comportamentos operantes). E aí, a profundidade das análises, discussões e, felizmente, mudanças é muito grande. Como o empreendedor é movido pelo desejo de conquistar resultados que ele mesmo estipula para si, trabalhar com grupos de diferentes culturas que buscam definir esses objetivos e/ou alcançá-los é a maior fonte e aprendizado que venho experimentando.

As realidades são diferentes e os problemas e as soluções também. Mas somos todos humanos, acertamos e erramos. Contribuir para que os acertos estejam cada vez mais presentes e possam impactar a nossa economia é a minha função.

Quais as diferenças observadas entre os empreendedores de diversos países tanto em comportamento quanto em visão de negócios?

Essa pergunta é interessante e me faz lembrar de ricas e surpreendentes experiências. Muito depende da história do país e região onde o empreendedor está, ou seja, o meio impacta na forma em que agimos. Em contrapartida, a criação e estímulos que recebemos também. Assim, alguém que não cresceu em uma família ou país que inspira o empreender, pode sim se tornar um empreendedor a partir do momento que tiver um objetivo claro e assumir para si a responsabilidade de escrever a própria história.

Fonte: Jornal Conexão Sebrae.

Fonte: Jornal Conexão Sebrae.

Empreendedorismo - EmpretecNas palavras do consultor e empresário Daniel Real, ser protagonista de sua história é responsabilidade de quem quer crescer como empreendedor. Como facilitador líder do Seminário Empretec no Brasil e Internacional Master Trainer (IMT), da metodologia junto à Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD/ONU), atuou recentemente nos países Índia, Moçambique, Rússia e República Dominicana.

Em entrevista para o jornal Conexão Sebrae, Real explica que o comportamento dos empreendedores é uma das ferramentas fundamentais nos negócios.

A proporção de brasileiros com uma percepção positiva da sua capacidade e habilidade de start-up é o segundo maior entre os países selecionados e fica próximo aos dos EUA (53,3%) e México (53,5%). Esta característica traz algum diferencial na visão de oportunidades do empreendedor brasileiro?

Daniel Real EmpretecA autoconfiança é, certamente, fator importante para empreender, em especial quando está alicerçada em conhecimento e preparação. Quando este não é o caso, pode ser arriscado.

Ao observarmos o histórico econômico dos últimos 10 anos do Brasil, com exceção de 2008 e este ano – 2015, vivemos anos de crescimento significativo.

Essa memória de oportunidades e observação de casos inspiradores favorece a percepção positiva da capacidade de empreender. Isso é bom e contribui para o contínuo crescimento da economia brasileira.

Capacitar-se constantemente e levar os conhecimentos para a empresa (sendo o seu negócio ou emprego) é uma forma de garantir integração entre conhecimentos aprendidos e aplicados. Possibilitando assim que tal percepção seja útil e gere resultados.

Se empreender promove o desenvolvimento, o que deve ser feito para se destacar no mercado e promover o empreendimento?

Destacar-se no mercado é uma junção de competências. Ter uma ideia de negócio validada por um estudo de mercado que demonstre demanda pelo produto ou serviço que pretende oferecer é o primeiro passo.

Se o empreendedor conseguir mesclar a isso um recurso subutilizado (sendo ele matéria prima ou mesmo profissionais com capacidade e desejo de trabalhar, mas com limitadas oportunidades), a chance de sucesso é ainda maior.

Mas de nada adianta o que foi listado acima sem persistência para superar os diversos obstáculos que surgirão entre você e seus objetivos empreendedores.

Ao mesmo tempo, o comprometimento do empresário com o que oferece a seus clientes (incluo aqui: prazo, qualidade, padronização) é fundamental para se destacar no mercado ao longo dos anos.

Desenvolver e alimentar uma rede de contatos também é fator determinante para a promoção do empreendimento. É através de contatos que oportunidades surgem e novos negócios acontecem.

Qual o diferencial da metodologia Empretec para a aplicação nas organizações e nos negócios?

Atuo como facilitador do Seminário Empretec, metodologia presente em 38 países do mundo e coordenada globalmente pela Organização Nações Unidas, no Brasil e através de missões

da ONU em diversos países. A razão de termos o Seminário Empretec como produto de ponta do Sebrae, um dos maiores casos de sucesso da instituição há mais de 20 anos, está diretamente conectada com o fato da metodologia ser vivenciada e ter comportamentos empreendedores como base de sua estrutura.

Em outras palavras, não tratamos de técnicas no Seminário, e sim de como o empreendedor de sucesso se comporta e como cada participante está se comportando. E aí surgem ricas análises munidas de percepções de oportunidades/necessidade de mudanças e melhorias. Esse é um dos produtos mais bem avaliado do Sebrae. Seus impactos nos negócios daqueles que vivenciam a metodologia são medidos anualmente.

Dentre os benefícios, temos: aumento do faturamento, redução da quebra dos negócios, aumento do número de funcionários e outros. Inclusive, um percentual daqueles que participam deixam de ser funcionários e empreendem.

O que você pôde observar de diferente ao trabalhar com o comportamento do empreendedor?

A singularidade de trabalhar com soluções e treinamentos comportamentais está no fato de que não treinamos pessoas de forma a ensiná-los a aplicar técnicas. Mas sim, tratamos de suas formas padrão de ação (comportamentos operantes). E aí, a profundidade das análises, discussões e, felizmente, mudanças é muito grande. Como o empreendedor é movido pelo desejo de conquistar resultados que ele mesmo estipula para si, trabalhar com grupos de diferentes culturas que buscam definir esses objetivos e/ou alcançá-los é a maior fonte e aprendizado que venho experimentando.

As realidades são diferentes e os problemas e as soluções também. Mas somos todos humanos, acertamos e erramos. Contribuir para que os acertos estejam cada vez mais presentes e possam impactar a nossa economia é a minha função.

Quais as diferenças observadas entre os empreendedores de diversos países tanto em comportamento quanto em visão de negócios?

Essa pergunta é interessante e me faz lembrar de ricas e surpreendentes experiências. Muito depende da história do país e região onde o empreendedor está, ou seja, o meio impacta na forma em que agimos. Em contrapartida, a criação e estímulos que recebemos também. Assim, alguém que não cresceu em uma família ou país que inspira o empreender, pode sim se tornar um empreendedor a partir do momento que tiver um objetivo claro e assumir para si a responsabilidade de escrever a própria história.

Fonte: Jornal Conexão Sebrae.

Fonte: Jornal Conexão Sebrae.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário