Dicas de Empreendedorismo

Mídias Sociais – dicas de marketing viral

Por André Coelho – andrecoelho.wordpress.com

www

Cada vez mais se fala em marketing viral, mídias sociais, sites de relacionamento, Youtube, Google, Facebook, Twitter, Orkut, Flick, WordPress, blogs… enfim, um monte de sites que são, hoje, os maiores responsáveis pelo crescimento da internet no Brasil e no mundo.

Um exemplo é o Orkut: 80% dos brasileiros que usam a internet têm uma conta no Orkut. Quantas pessoas você conhece que utilizavam a internet só pra enviar e receber e-mails, tem hoje, uma conta no Orkut? É a mãe da sua namorada, o meu pai, a tio da padaria, o vô do meu vizinho… pessoas que antes passavam quase tempo nenhum na internet, hoje tem seus contatos, participam de comunidades, criam blogs, pesquisam no Google e utilizam outros sites de relacionamento.

O Orkut e/ou outros sites de relacionamento, são o começo real do uso da internet de muitos usuários ativos. Esses usuários apreenderam usar o Orkut e já estão em blogs, no Youtube, no Twitter e em diversos outros sites novos que aparecem a cada dia na web.

Podemos observar que para muitos, a internet e os sites de relacionamento são uma fonte de informação muito importante, onde cada usuário procura por seus interesses, através das buscas, comunidades no orkut, blogs, e outros, com links para noticias, musicas e vídeos e muitas coisas sobre os mais variados assuntos.
As pessoas aprendem e criam a sua própria maneira de usar a internet. Cada um procura alguma coisa, e cada minuto, tem algo novo a ser oferecido.

Por exemplo: O Anderson manda um scrapt para a Isabela com um link para o blog do Maestro Vinicius, que fala de um site especializado em vendas de DVDs com shows de Jazz. Isabela, com um clique, entra no site, acha um produto e faz a compra sem sair de casa, pelo computador.

Outro exemplo e a “viralizaçao” de uma notícia. Se uma loja vende um produto com defeito ou até mesmo faz um mal atendimento, na mesma hora, de dentro da loja, um cliente insatisfeito pode postar ou melhor, “twittar” de seu celular dizendo que a loja o atendeu mal. Se ele tem 20 seguidores, já e um prejuízo, mas se ele tem 300, pode ser um problemão para a empresa. São 300 pessoas que vão ficar sabendo que a loja fez um mal atendimento a um amigo, mesmo que seja só um amigo virtual.

Cada dia mais, e mais rapidamente, quem trabalha com comunicação tem que estar preparado para oferecer estratégias “virais” aos clientes, afim de vender os produtos, agregar valor a marca, criar relacionamento com os clientes, etc. Ou seja, criar estratégias de mídias sócias para atender os clientes da empresa, que, com certeza, já devem ter uma conta no Orkut, acessam blogs, fazem buscas no Google, fazem compra pela internet, acessam o Youtube, usam o Twitter , conversam no MSN… .

Veja abaixo algumas dicas sobre estratégias com mídias sócias, retiradas de um blog que eu achei no Twitter:

Como fazer marketing viral
por Fabio Seixas

Não. Não pense que vou escrever aqui uma receita de bolo necessária para criar uma campanha viral efetiva.
Mas vou mostrar uma coletânea de ideias pescadas e traduzidas de outros autores blogosfera a fora. Pequenos insights que podem ajudam a deflagar uma boa ideia para um bom viral.

De Seth Godin, “O que torna uma idéia viral?”
Ninguém “envia” uma idéia ao menos que:
a. que tenham compreendido-a
b. que tenham vontade de espalha-la
c. acreditem que espalhar a idéia irá aumentar seu poder (reputação, receita, amizades) ou sua paz de espírito
d. o esforço necessário para enviar a idéia seja menor que os benefícios

 

Ninguém “pega” uma idéia ao menos que:
a. a primeira impressão demande uma pesquisa mais profunda
b. já tenham compreendido as idéias fundamentais necessárias para endender a nova idéia
c. o remetente seja de confiança ou respeitável o suficiente para investir o tempo necessário

De Ralph Wilson, “Os seis princípios do marketing viral”
1. Distribui gratuitamente produtos e serviços com algum valor
2. Ofecer um meio sem eforço de envio para outros
3. É facilmente escalável do pequeno para o muito grande
4. Explorar motivações e comportamentos comuns
5. Utiliza redes de comunicação já existentes
6. Tira proveito de recursos de terceiros

De Kevin Nalty, “Os sete pecados capitais da propaganda por video viral”
1. Criar uma vaca preto e branca
2. Fingir que não está fazendo propaganda
3. Gastar uma fortuna na produção
4. Apenas comunicar ao invés de engajar
5. Fazer um concurso de video só porque todos estão fazendo
6. Estabelecer metas irreais de conversão
7. Jogar a toalha e decidir só anunciar usando video virais
Desta últma lista, o item 4 me fez lembrar a ação de mal gosto da RedBull no metrô de São Paulo.

Por André Coelho – andrecoelho.wordpress.com

www

Cada vez mais se fala em marketing viral, mídias sociais, sites de relacionamento, Youtube, Google, Facebook, Twitter, Orkut, Flick, WordPress, blogs… enfim, um monte de sites que são, hoje, os maiores responsáveis pelo crescimento da internet no Brasil e no mundo.

Um exemplo é o Orkut: 80% dos brasileiros que usam a internet têm uma conta no Orkut. Quantas pessoas você conhece que utilizavam a internet só pra enviar e receber e-mails, tem hoje, uma conta no Orkut? É a mãe da sua namorada, o meu pai, a tio da padaria, o vô do meu vizinho… pessoas que antes passavam quase tempo nenhum na internet, hoje tem seus contatos, participam de comunidades, criam blogs, pesquisam no Google e utilizam outros sites de relacionamento.

O Orkut e/ou outros sites de relacionamento, são o começo real do uso da internet de muitos usuários ativos. Esses usuários apreenderam usar o Orkut e já estão em blogs, no Youtube, no Twitter e em diversos outros sites novos que aparecem a cada dia na web.

Podemos observar que para muitos, a internet e os sites de relacionamento são uma fonte de informação muito importante, onde cada usuário procura por seus interesses, através das buscas, comunidades no orkut, blogs, e outros, com links para noticias, musicas e vídeos e muitas coisas sobre os mais variados assuntos.
As pessoas aprendem e criam a sua própria maneira de usar a internet. Cada um procura alguma coisa, e cada minuto, tem algo novo a ser oferecido.

Por exemplo: O Anderson manda um scrapt para a Isabela com um link para o blog do Maestro Vinicius, que fala de um site especializado em vendas de DVDs com shows de Jazz. Isabela, com um clique, entra no site, acha um produto e faz a compra sem sair de casa, pelo computador.

Outro exemplo e a “viralizaçao” de uma notícia. Se uma loja vende um produto com defeito ou até mesmo faz um mal atendimento, na mesma hora, de dentro da loja, um cliente insatisfeito pode postar ou melhor, “twittar” de seu celular dizendo que a loja o atendeu mal. Se ele tem 20 seguidores, já e um prejuízo, mas se ele tem 300, pode ser um problemão para a empresa. São 300 pessoas que vão ficar sabendo que a loja fez um mal atendimento a um amigo, mesmo que seja só um amigo virtual.

Cada dia mais, e mais rapidamente, quem trabalha com comunicação tem que estar preparado para oferecer estratégias “virais” aos clientes, afim de vender os produtos, agregar valor a marca, criar relacionamento com os clientes, etc. Ou seja, criar estratégias de mídias sócias para atender os clientes da empresa, que, com certeza, já devem ter uma conta no Orkut, acessam blogs, fazem buscas no Google, fazem compra pela internet, acessam o Youtube, usam o Twitter , conversam no MSN… .

Veja abaixo algumas dicas sobre estratégias com mídias sócias, retiradas de um blog que eu achei no Twitter:

Como fazer marketing viral
por Fabio Seixas

Não. Não pense que vou escrever aqui uma receita de bolo necessária para criar uma campanha viral efetiva.
Mas vou mostrar uma coletânea de ideias pescadas e traduzidas de outros autores blogosfera a fora. Pequenos insights que podem ajudam a deflagar uma boa ideia para um bom viral.

De Seth Godin, “O que torna uma idéia viral?”
Ninguém “envia” uma idéia ao menos que:
a. que tenham compreendido-a
b. que tenham vontade de espalha-la
c. acreditem que espalhar a idéia irá aumentar seu poder (reputação, receita, amizades) ou sua paz de espírito
d. o esforço necessário para enviar a idéia seja menor que os benefícios

 

Ninguém “pega” uma idéia ao menos que:
a. a primeira impressão demande uma pesquisa mais profunda
b. já tenham compreendido as idéias fundamentais necessárias para endender a nova idéia
c. o remetente seja de confiança ou respeitável o suficiente para investir o tempo necessário

De Ralph Wilson, “Os seis princípios do marketing viral”
1. Distribui gratuitamente produtos e serviços com algum valor
2. Ofecer um meio sem eforço de envio para outros
3. É facilmente escalável do pequeno para o muito grande
4. Explorar motivações e comportamentos comuns
5. Utiliza redes de comunicação já existentes
6. Tira proveito de recursos de terceiros

De Kevin Nalty, “Os sete pecados capitais da propaganda por video viral”
1. Criar uma vaca preto e branca
2. Fingir que não está fazendo propaganda
3. Gastar uma fortuna na produção
4. Apenas comunicar ao invés de engajar
5. Fazer um concurso de video só porque todos estão fazendo
6. Estabelecer metas irreais de conversão
7. Jogar a toalha e decidir só anunciar usando video virais
Desta últma lista, o item 4 me fez lembrar a ação de mal gosto da RedBull no metrô de São Paulo.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário