Casos de Sucesso

Dois em um: restaurante-empório é mais do que conveniência, é tendência

Parar para almoçar e já comprar os temperos que estão faltando em casa. Sair para jantar e poder levar para casa aquela carne especial para o churrasco do fim de semana. A rotina corrida – que é a realidade de tanta gente – não dá chances para perda de tempo e pede mais facilidades, mais conveniências.

Os chamados restaurantes-empórios surgem para atender a essa demanda, de encontrar várias soluções em um mesmo lugar, conforme explica o presidente da Abrasel-MS (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Juliano Wertheimer.

“O cliente está buscando mais comodidade, serviços integrados e mais soluções no mesmo lugar. Ao ampliar a oferta de serviços e transformar os estabelecimentos em pequenos armazéns para a venda de produtos, o empresário lucra mais e garante a fidelização do cliente. Nessa dinâmica, vê-se restaurantes abrindo seus empórios, cafeterias virando espaços de coworking e muitos outros formatos”, comenta.

No exterior, nos grandes centros e também por aqui, cada vez mais o conceito de multisserviços e conveniência está se ampliando e consolidando no segmento da alimentação.

Selecionamos alguns negócios em Campo Grande que apostam nessa dobradinha, diversificando os serviços e ampliando os lucros.

Vermelho Beef

restaurante-emporio

Criado em 2000 por uma família de gaúchos com forte influência Argentina e Uruguaia e apaixonada por churrasco, o restaurante Vermelho Grill já estava bem consolidado no cenário gastronômico de Campo Grande quando Eduardo Fornari resolveu, em 2015, construir uma churrasqueira no meio do local e começou a assar cortes de segunda, como o coxão duro, para que seus clientes experimentassem.

Comprando os animais de uma fazenda parceira, pagando o frigorífico para o abate, a desossa era responsabilidade dele mesmo e ele queria provar para seus clientes que “não existe carne de segunda se o boi é de primeira”, nas palavras do próprio Eduardo.

“Eu não posso vender só picanha, contra-filé e maminha. Esse empório só seria um negócio interessante se eu vendesse todo o boi; então, eu precisava fazer as pessoas experimentarem outras carnes”. E assim se passaram dezenas de finais de semana com Eduardo comandando a churrasqueira e investindo na propaganda corpo-a-corpo.

Dois anos e meio depois, a marca “Vermelho Beef” vende oito toneladas de carne por mês, a maioria, cortes considerados “de segunda”; é responsável por 30% do faturamento do negócio e aumentou em 10% o faturamento do restaurante (Vermelho Grill).

Empório Mansur

 

O empório que carrega o nome do patriarca da família Anache está com as portas abertas na Avenida Antônio Maria Coelho há 15 anos e trilhou o caminho inverso do exemplo que demos anteriormente.

Filho de sírios que fugiram para o Brasil, Mansur Anache abriu o empório para vender castanhas, frutas secas e especiarias do Oriente Médio. O negócio funcionou muito bem durante anos até que, em 2010, Mansur passou a administração do empório para duas netas, Marcella e Renata, e uma cunhada, Maria Amélia.

Em 2014, o empresário falaceu, mas não sem antes ver as receitas de pastas e salgados da família virarem sensação, e a cozinha artesanal se tornar uma cozinha industrial. Pela demanda dos clientes, há um ano e meio o empório serve refeições de segunda a sábado.

O espaço do restaurante está sendo ampliado para comportar mais que o dobro das 30 pessoas que comporta hoje, e o pequeno empório ganhou reforço: são mais de 300 produtos importados a granel, entre castanhas, frutas secas, temperos, especiarias, trigos, além de molhos, azeites e vinhos.

“Começamos a servir o almoço para atender o pessoal que trabalha por perto, mas a culinária árabe agrada mesmo. Quem já vinha por causa do empório acaba virando cliente do restaurante e todas as mesas que têm gente almoçando têm uma cestinha em cima com produtos do empório. É inevitável porque é prático”, explica Marcella.

Canalhas Store

Apesar de ter sido inaugurada há pouco mais de dois meses, a Canalhas Store, loja oficial da Cervejaria Canalhas, carrega em sua história a marca do pioneirismo das cervejas artesanais em Campo Grande. Em 2001, os irmãos Renato e Renan Heimbach abriram uma loja de presentes para homens, a Casa do Chef. Entre kits de churrasco, itens de futebol e decoração vintage, as cervejas especiais se destacaram e os irmãos resolveram investir no segmento.

O contato com fabricantes e a participação em eventos e feiras específicas fez surgir um sonho, que se tornou realidade com a fábrica de cerveja, inaugurada em maio de 2017. Na loja da cervejaria é possível degustar e levar para casa de quatro a cinco tipos de chopps produzidos por eles e também por cervejarias convidadas.

Reservado em um espaço especial ficam os ingredientes para a produção de cervejas: são mais de 20 tipos de malte, 40 tipos de lúpulus, 15 de fermento, e muito mais.

“Como nós fomos os primeiros a trabalhar com isso na cidade, a gente carrega esse público desde sempre, que nem é mais cliente, é amigo. A maioria vai na loja para experimentar as cervejas, mas ficam sabendo que damos curso de degustação guiada e também de produção de cerveja, daí acabam comprando os ingredientes com a gente também”, explica Renato.

 









Deixe seu Comentário