Inovação e Tecnologia

18 fevereiro, 2018 • Inovação e Tecnologia

Sucesso testado e aprovado, mas não franqueado


Muitos empreendedores de Mato Grosso do Sul comercializam seus produtos e realizam serviços de boa qualidade por meio de mais de uma loja. O sucesso do negócio é comprovado e pode ser transferível, mas ainda não é reproduzido no modelo de franquia. São projetos independentes, que mantêm o padrão de excelência e, por enquanto, isso é tudo.

O que tem multiplicado mesmo são os bifes e filés feitos na hora pelo Bella Parmegiana. Um negócio que teve início num recomeço de vida do paulista consultor em informática, Ronaldo Cobianchi. Era abril de 1997 quando o primeiro restaurante foi aberto no Shopping Campo Grande. A investida no ramo da alimentação rendeu uma segunda loja quase uma década e meia depois, junto à inauguração do Shopping Norte Sul Plaza, também na capital sul-mato-grossense.

No primeiro empreendimento o investimento foi de R$ 200 mil, à época; e, para reproduzir os mesmos padrão e qualidade, foram aplicados R$ 700 mil no novo estabelecimento. E, a cada prato executivo, vendido em média por R$ 30, o restaurante vem acumulando know-how, se tornando rentável e ganhando ares de rede.

Mais recentemente, Ronaldo Cobianchi participou da missão técnica Food Brasil a convite do Sebrae, além de já ter contado com consultorias e cursos sobre gestão. Cobianchi diz que não descarta o sistema de franquia, mas reconhece que o momento é difícil para isso.

Produto gelado, negócios aquecidos

Direto para a sobremesa, a Sésamo Gelato é mais um negócio de sucesso com rápida aceitação, crescimento da marca e expansão acelerada. Tudo começou em setembro de 2012, na Rua Antônio Maria Coelho e, em apenas 5 anos, a marca já estava no Shopping Campo Grande, na avenida Bom Pastor, no Shopping Del Rey em Belo Horizonte (MG) e no Plaza Shopping de Niterói (RJ). A vizinha Cuiabá (MT) deve ser a próxima da lista.

O investimento inicial de R$ 450 mil logo foi recompensado pelos 3 mil clientes que entram por mês só na loja da Antônio Maria Coelho. “A ideia era ser um franqueado de uma gelateria goiana, mas avaliamos que eles não nos dariam o suporte necessário”, recorda o empreendedor Nelson Gabriel Pinto sobre a opção por empreender.

Em busca da receita perfeita, Nelson e a sócia Bruna Rios Muniz fizeram as malas rumo à Universidade do Gelato, em Bolonha. De volta ao Brasil, procuraram apoio especializado. “Planejamento é tudo. E isso eu soube com o Nascer Bem do Sebrae”, credita Nelson.

Sobre tornar a Sésamo uma franquia, os empresários recuam por hora, já que temem não conseguirem manter a mesma qualidade, devido à complexidade na logística.

Franchising

A operação por franchising requer mecanismos de controle e monitoramento dos franqueados. Então qual o momento ideal para se render ao modelo? “É o mercado que dita a hora para franquear. Alguém chega e diz que quer comprar a sua empresa, levá-la para outro lugar”, esclarece a analista de mercado do Sebrae MS, Pauline Andrade Barbosa.

De acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising), o setor reagiu em 2017 e o número de novas unidades cresceu 2% (145 mil); com o faturamento foi 8% maior (R$ 163 bilhões) que 2016. Índices que se justificam principalmente porque as franquias representam segurança, têm marca reconhecida e gestão consolidada, explica Pauline.

Só em janeiro deste ano, seis empresas procuraram o Sebrae MS interessadas em transformar seus modelos de negócios via franchising, tanto para compra de franquias já prontas quanto para a formatação de seus próprios negócios para o modelo.

Quer saber mais? O Sebrae MS possui soluções e conteúdos que podem te ajudar. Conte sempre com a gente.


Muitos empreendedores de Mato Grosso do Sul comercializam seus produtos e realizam serviços de boa qualidade por meio de mais de uma loja. O sucesso do negócio é comprovado e pode ser transferível, mas ainda não é reproduzido no modelo de franquia. São projetos independentes, que mantêm o padrão de excelência e, por enquanto, isso é tudo.

O que tem multiplicado mesmo são os bifes e filés feitos na hora pelo Bella Parmegiana. Um negócio que teve início num recomeço de vida do paulista consultor em informática, Ronaldo Cobianchi. Era abril de 1997 quando o primeiro restaurante foi aberto no Shopping Campo Grande. A investida no ramo da alimentação rendeu uma segunda loja quase uma década e meia depois, junto à inauguração do Shopping Norte Sul Plaza, também na capital sul-mato-grossense.

No primeiro empreendimento o investimento foi de R$ 200 mil, à época; e, para reproduzir os mesmos padrão e qualidade, foram aplicados R$ 700 mil no novo estabelecimento. E, a cada prato executivo, vendido em média por R$ 30, o restaurante vem acumulando know-how, se tornando rentável e ganhando ares de rede.

Mais recentemente, Ronaldo Cobianchi participou da missão técnica Food Brasil a convite do Sebrae, além de já ter contado com consultorias e cursos sobre gestão. Cobianchi diz que não descarta o sistema de franquia, mas reconhece que o momento é difícil para isso.

Produto gelado, negócios aquecidos

Direto para a sobremesa, a Sésamo Gelato é mais um negócio de sucesso com rápida aceitação, crescimento da marca e expansão acelerada. Tudo começou em setembro de 2012, na Rua Antônio Maria Coelho e, em apenas 5 anos, a marca já estava no Shopping Campo Grande, na avenida Bom Pastor, no Shopping Del Rey em Belo Horizonte (MG) e no Plaza Shopping de Niterói (RJ). A vizinha Cuiabá (MT) deve ser a próxima da lista.

O investimento inicial de R$ 450 mil logo foi recompensado pelos 3 mil clientes que entram por mês só na loja da Antônio Maria Coelho. “A ideia era ser um franqueado de uma gelateria goiana, mas avaliamos que eles não nos dariam o suporte necessário”, recorda o empreendedor Nelson Gabriel Pinto sobre a opção por empreender.

Em busca da receita perfeita, Nelson e a sócia Bruna Rios Muniz fizeram as malas rumo à Universidade do Gelato, em Bolonha. De volta ao Brasil, procuraram apoio especializado. “Planejamento é tudo. E isso eu soube com o Nascer Bem do Sebrae”, credita Nelson.

Sobre tornar a Sésamo uma franquia, os empresários recuam por hora, já que temem não conseguirem manter a mesma qualidade, devido à complexidade na logística.

Franchising

A operação por franchising requer mecanismos de controle e monitoramento dos franqueados. Então qual o momento ideal para se render ao modelo? “É o mercado que dita a hora para franquear. Alguém chega e diz que quer comprar a sua empresa, levá-la para outro lugar”, esclarece a analista de mercado do Sebrae MS, Pauline Andrade Barbosa.

De acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising), o setor reagiu em 2017 e o número de novas unidades cresceu 2% (145 mil); com o faturamento foi 8% maior (R$ 163 bilhões) que 2016. Índices que se justificam principalmente porque as franquias representam segurança, têm marca reconhecida e gestão consolidada, explica Pauline.

Só em janeiro deste ano, seis empresas procuraram o Sebrae MS interessadas em transformar seus modelos de negócios via franchising, tanto para compra de franquias já prontas quanto para a formatação de seus próprios negócios para o modelo.

Quer saber mais? O Sebrae MS possui soluções e conteúdos que podem te ajudar. Conte sempre com a gente.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário


ankara escort çankaya escort ankara escort çankaya escort escort ankara çankaya escort escort bayan çankaya istanbul rus escort eryaman escort escort bayan ankara ankara escort kızılay escort istanbul escort ankara escort ankara rus escort escort çankaya ankara escort bayan istanbul rus Escort atasehir Escort beylikduzu Escort Ankara Escort malatya Escort kuşadası Escort gaziantep Escort izmir Escort