Inovação

22 maio, 2019 • Inovação

Cocriação: desenvolvimento colaborativo com quem impacta no seu negócio

Houve um tempo em que empresas do mesmo segmento (que oferecessem o mesmo tipo de produto ou serviço) eram automaticamente consideradas concorrentes; e que empresas que atuavam em segmentos diferentes nem tinham que se preocupar umas com as outras.

A necessidade de inovar e se reinventar no mercado para atrair e conquistar clientes tem mudado o modo como as empresas se enxergam e se relacionam, fazendo da cocriação uma interessante ferramenta para encontrar novas soluções por meio da inteligência coletiva.

Cocriação é uma forma inovadora de iniciativa de gestão e estratégia econômica que acontece quando uma empresa envolve seus diferentes públicos (colaboradores, fornecedores, clientes) e até mesmo outras empresas no processo de criar/produzir algo. O resultado dessa cocriação deve gerar valor visível para todos os envolvidos. Essa percepção acaba incentivando o engajamento e faz com que a contribuição continue acontecendo de forma interativa.

Nascida dentro do âmbito dos negócios, a cocriação ficou “presa” ao conceito de forma de inovação, em que envolver todos os stakeholders do negócio era e ainda é uma forma de agregar valor, resolver problemas, melhorar produtos ou o conteúdo de marketing.

Conceituando

O conceito de cocriação é amplo e pode ser utilizado em vários contextos, mas não se sabe ao certo quem o inventou. O que se sabe é que o termo é uma derivação da expressão “co-produção”, difundida nos anos 1970, e foi primeiramente popularizado por dois acadêmicos de Harvard, Krishnarao Prahalad e a Venkat Ramaswamy, no artigo intitulado Co-Opting Customer Competence publicado na Harvard Business Review em 2000.

Em 2004, a dupla transformou o texto no livro The Future of Competition: Co-Creating Unique Value With Customers (em português “O Futuro da Competição – Como desenvolver diferenciais inovadores em parceria com os clientes”), que disseminou mundialmente o conceito de cocriação.

Prahalad já é falecido e foi professor de economia e administração da Universidade de Michigan e duas vezes listado pela Thinkers 50 como um dos pensadores de negócios mais influentes do mundo; reconhecido em todo o mundo por sua liderança, ideias e ecletismo acadêmico, entre outras coisas.

O livro “A Empresa Co-Criativa”, de Venkat Ramaswamy e Francis Gouillart, cita vários exemplos praticados por empresas como a Nike e Starbucks que envolveram seus clientes, parceiros e fornecedores no desenvolvimento de produtos melhores e mais apaixonantes porque foram cocriados por meio de plataformas tecnológicas ou dispositivos altamente conectados.

Como funciona

A Fronteer Strategy, empresa holandesa especializada em cocriação, estabelece os cinco princípios orientadores da cocriação:

1 – estímulo à participação;

2 – seleção das melhores ideias;

3 – conexão de mentes criativas;

4 – compartilhamento de resultados;

5 – constante desenvolvimento.

Para os especialistas em inovação, os princípios básicos da cocriação se dão a partir do conjunto de diversos fatores que envolvem:

  • Empatia como ponto principal
  • Junção de pessoas com experiências diferentes
  • Encorajamento da produção de ideias

Atualmente, pode-se dizer que a cocriação tem três vertentes: interna, com clientes e com empresas.

Cocriação interna

A cocriação interna começa quando a empresa une diferentes profissionais de várias áreas da empresa para discutir e alcançar um único objetivo, sendo principalmente usada na criação de novos produtos e até mesmo campanhas de marketing. É o tipo de ação que promove engajamento, sentimento de pertencimento, orgulho e fortalece a cultura.

Cocriação com clientes

Ninguém conhece melhor as necessidades do seu target do que seus próprios clientes, não é? Ao fazer essa colaboração com os clientes, é possível que sua empresa obtenha algumas vantagens, tais como aumentar a relação de confiança do cliente com a sua marca e também aumentar a probabilidade de comprarem o seu produto.

Cocriação com outras empresas e marcas

A cocriação com outras empresas é uma das mais interessantes, pois mostra que as organizações estão percebendo que, com o ambiente competitivo em que vivemos, se não houver parceria, será difícil ter vantagem competitiva. Desse modo, quando companhias decidem se juntar em um projeto, conseguem obter juntas alguns quesitos de extrema importância para uma boa iniciativa, como a redução de riscos e de investimento e maior probabilidade de receita.

Desafios e benefícios

Como qualquer outra ferramenta ou metodologia, colocar a cocriação em prática tem alguns desafios.

Antes de iniciar um processo de cocriação, é importante ter muita clareza sobre o propósito e criar um ambiente realmente transparente, colaborativo e verdadeiro para que haja uma relação ganha-ganha entre todos, caso contrário, ele não se sustenta.

A premissa da cocriação é que a criação deixe de ser um processo unilateral e se torne bi ou multilateral. Portanto, a tomada de decisão e criação em conjunto dependem da qualidade dos relacionamentos e experiências cultivadas ao longo do processo.

É importante que todos estejam abertos à discussão, que tenham liberdade e sintam segurança para expor suas experiências. É preciso que seja um lugar onde todas as coisas podem ser ditas, sem hierarquias, sem pré-definição de temas e, princi­palmente, sem julgamento.

Os processos de cocriação exige uma capacidade absoluta de ouvir e compreender o outro. Exige senso de coletividade, bastante amadure­cimento e muita vontade de contribuir – sem vaidades e sem individualismos.

Apesar da complexidade, quando colocada em prática, a cocriação gera muitos benefícios:

  • resultados mais inovadores, já que traz diferentes perspectivas no processo de criação ao envolver pessoas com diferentes vivências;
  • engajamento das pessoas envolvidas em torno de um propósito comum e não apenas das metas e resultados;
  • construção de relação de confiança e corresponsabilidade das pessoas envolvidas no projeto.

E você? Já recorreu à cocriação para criar algo ou encontrar ideias e soluções para algum desafio?

Fontes:

https://medium.com/mulheres-de-produto/porque-a-co-cria%C3%A7%C3%A3o-como-fonte-de-inova%C3%A7%C3%A3o-%C3%A9-t%C3%A3o-complexa-na-pr%C3%A1tica-fae21cf0678a

https://projetodraft.com/verbete-draft-o-que-e-cocriacao/

Houve um tempo em que empresas do mesmo segmento (que oferecessem o mesmo tipo de produto ou serviço) eram automaticamente consideradas concorrentes; e que empresas que atuavam em segmentos diferentes nem tinham que se preocupar umas com as outras.

A necessidade de inovar e se reinventar no mercado para atrair e conquistar clientes tem mudado o modo como as empresas se enxergam e se relacionam, fazendo da cocriação uma interessante ferramenta para encontrar novas soluções por meio da inteligência coletiva.

Cocriação é uma forma inovadora de iniciativa de gestão e estratégia econômica que acontece quando uma empresa envolve seus diferentes públicos (colaboradores, fornecedores, clientes) e até mesmo outras empresas no processo de criar/produzir algo. O resultado dessa cocriação deve gerar valor visível para todos os envolvidos. Essa percepção acaba incentivando o engajamento e faz com que a contribuição continue acontecendo de forma interativa.

Nascida dentro do âmbito dos negócios, a cocriação ficou “presa” ao conceito de forma de inovação, em que envolver todos os stakeholders do negócio era e ainda é uma forma de agregar valor, resolver problemas, melhorar produtos ou o conteúdo de marketing.

Conceituando

O conceito de cocriação é amplo e pode ser utilizado em vários contextos, mas não se sabe ao certo quem o inventou. O que se sabe é que o termo é uma derivação da expressão “co-produção”, difundida nos anos 1970, e foi primeiramente popularizado por dois acadêmicos de Harvard, Krishnarao Prahalad e a Venkat Ramaswamy, no artigo intitulado Co-Opting Customer Competence publicado na Harvard Business Review em 2000.

Em 2004, a dupla transformou o texto no livro The Future of Competition: Co-Creating Unique Value With Customers (em português “O Futuro da Competição – Como desenvolver diferenciais inovadores em parceria com os clientes”), que disseminou mundialmente o conceito de cocriação.

Prahalad já é falecido e foi professor de economia e administração da Universidade de Michigan e duas vezes listado pela Thinkers 50 como um dos pensadores de negócios mais influentes do mundo; reconhecido em todo o mundo por sua liderança, ideias e ecletismo acadêmico, entre outras coisas.

O livro “A Empresa Co-Criativa”, de Venkat Ramaswamy e Francis Gouillart, cita vários exemplos praticados por empresas como a Nike e Starbucks que envolveram seus clientes, parceiros e fornecedores no desenvolvimento de produtos melhores e mais apaixonantes porque foram cocriados por meio de plataformas tecnológicas ou dispositivos altamente conectados.

Como funciona

A Fronteer Strategy, empresa holandesa especializada em cocriação, estabelece os cinco princípios orientadores da cocriação:

1 – estímulo à participação;

2 – seleção das melhores ideias;

3 – conexão de mentes criativas;

4 – compartilhamento de resultados;

5 – constante desenvolvimento.

Para os especialistas em inovação, os princípios básicos da cocriação se dão a partir do conjunto de diversos fatores que envolvem:

  • Empatia como ponto principal
  • Junção de pessoas com experiências diferentes
  • Encorajamento da produção de ideias

Atualmente, pode-se dizer que a cocriação tem três vertentes: interna, com clientes e com empresas.

Cocriação interna

A cocriação interna começa quando a empresa une diferentes profissionais de várias áreas da empresa para discutir e alcançar um único objetivo, sendo principalmente usada na criação de novos produtos e até mesmo campanhas de marketing. É o tipo de ação que promove engajamento, sentimento de pertencimento, orgulho e fortalece a cultura.

Cocriação com clientes

Ninguém conhece melhor as necessidades do seu target do que seus próprios clientes, não é? Ao fazer essa colaboração com os clientes, é possível que sua empresa obtenha algumas vantagens, tais como aumentar a relação de confiança do cliente com a sua marca e também aumentar a probabilidade de comprarem o seu produto.

Cocriação com outras empresas e marcas

A cocriação com outras empresas é uma das mais interessantes, pois mostra que as organizações estão percebendo que, com o ambiente competitivo em que vivemos, se não houver parceria, será difícil ter vantagem competitiva. Desse modo, quando companhias decidem se juntar em um projeto, conseguem obter juntas alguns quesitos de extrema importância para uma boa iniciativa, como a redução de riscos e de investimento e maior probabilidade de receita.

Desafios e benefícios

Como qualquer outra ferramenta ou metodologia, colocar a cocriação em prática tem alguns desafios.

Antes de iniciar um processo de cocriação, é importante ter muita clareza sobre o propósito e criar um ambiente realmente transparente, colaborativo e verdadeiro para que haja uma relação ganha-ganha entre todos, caso contrário, ele não se sustenta.

A premissa da cocriação é que a criação deixe de ser um processo unilateral e se torne bi ou multilateral. Portanto, a tomada de decisão e criação em conjunto dependem da qualidade dos relacionamentos e experiências cultivadas ao longo do processo.

É importante que todos estejam abertos à discussão, que tenham liberdade e sintam segurança para expor suas experiências. É preciso que seja um lugar onde todas as coisas podem ser ditas, sem hierarquias, sem pré-definição de temas e, princi­palmente, sem julgamento.

Os processos de cocriação exige uma capacidade absoluta de ouvir e compreender o outro. Exige senso de coletividade, bastante amadure­cimento e muita vontade de contribuir – sem vaidades e sem individualismos.

Apesar da complexidade, quando colocada em prática, a cocriação gera muitos benefícios:

  • resultados mais inovadores, já que traz diferentes perspectivas no processo de criação ao envolver pessoas com diferentes vivências;
  • engajamento das pessoas envolvidas em torno de um propósito comum e não apenas das metas e resultados;
  • construção de relação de confiança e corresponsabilidade das pessoas envolvidas no projeto.

E você? Já recorreu à cocriação para criar algo ou encontrar ideias e soluções para algum desafio?

Fontes:

https://medium.com/mulheres-de-produto/porque-a-co-cria%C3%A7%C3%A3o-como-fonte-de-inova%C3%A7%C3%A3o-%C3%A9-t%C3%A3o-complexa-na-pr%C3%A1tica-fae21cf0678a

https://projetodraft.com/verbete-draft-o-que-e-cocriacao/


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário