Inovação

08 Fevereiro, 2018 • Inovação

Gamificação: coloque seus funcionários para jogar

Uma parcela significativa do sucesso de uma empresa está nas mãos dos seus funcionários. Cada um pode contribuir para que o negócio melhore a qualidade dos seus produtos e serviços, e claro, aumente seus lucros. Mas existe um empecilho que pode interromper esse ciclo: falta de engajamento.

Segundo o dicionário Priberam, Engajar é “envolver ou envolver-se politicamente ou ao serviço de uma causa. = EMPENHAR”. Na prática, uma equipe que não está feliz não será produtiva; e isso impacta diretamente nos rendimentos da empresa. Esse fato é comprovado facilmente com dados, como os apresentados em uma pesquisa recente da Gallup.

A entidade americana de pesquisa de opinião apurou que os negócios onde há um alto nível de engajamento podem aumentar em até 147% seu lucro. No Brasil, 27% dos profissionais estão felizes em seus empregos, mas, analisando os números mundialmente, ainda existem muitas pessoas que estão insatisfeitas com seu trabalho. A cada duas pessoas desmotivadas, apenas uma ainda está participando ativamente das atividades da empresa.

O jogo do engajamento

Felizmente, existem diversas estratégias que podem ser utilizadas quando uma equipe se mostra pouco engajada. É papel do gestor observar o comportamento e os resultados de seus funcionários, bem como voltar o olhar para si e analisar sua postura diante da equipe.

Um dos métodos que podem ser utilizados é a gamificação. A prática consiste em utilizar mecanismos de jogos, virtuais ou não, para aumentar a motivação e engajamento dos funcionários por meio de recompensas ao final de cada ação bem realizada.

A gamificação utiliza um princípio básico: toda pessoa se sente motivada a dar o seu melhor quando é desafiada. Por isso a técnica é tão eficaz, ao propor desafios constantes que conseguem prender o participante até o final para que ele receba sua recompensa.

Felipe Azevedo, diretor da “LG lugar de gente”, empresa de soluções de tecnologia para gestão do capital humano, explica que “a vantagem do modelo é que ele instiga duas fortes características do ser humano: a cooperação e a competitividade. O reforço de aprendizagem é imediato, por meio de feedbacks instantâneos que indicam se as decisões tomadas estão certas ou não. Com isso, a gamificação nos permite aprender coisas novas e buscar uma melhoria constante”.

Entre nesse jogo

Para aplicar esse conceito no ambiente corporativo você pode optar pela elaboração de games de disputa entre suas equipes. Estipular desafios semanais, quinzenais ou mensais em que só avançam os times que se saírem melhor nas atividades. Dentro desse processo o feedback constante é de extrema importância.

Os colaboradores devem ter uma visão clara do trabalho que estão desenvolvendo ao longo das atividades. Dessa forma conseguem entender onde estão errando e acertando, e assim entregar melhores resultados, tanto individualmente quanto em equipe.

Para elaborar o jogo ideal para sua empresa é preciso observar, analisar os resultados atuais, os objetivos que pretende alcançar e quais seriam as melhores recompensas que fariam seus funcionários aderirem à causa.

Casos de sucesso

Chamado de Samsung Nation, o website gamificado da Samsung estimula a competição entre os clientes por pontos e emblemas enquanto assistem vídeos, deixam comentários nos artigos ou analisam os produtos da marca. No mercado eletrônico, a iniciativa da Samsung foi pioneira.

A empresa americana Salesforce, responsável por criar o CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente) também decidiu que era hora de incentivar seus funcionários. A estratégia foi a adoção de um app que permitiu aos gerentes de vendas definirem competições entre os vendedores. Chamado de Nitro, o aplicativo recompensa os profissionais que alcançarem metas pré-definidas.

Já a Ford Motor do Canadá apostou na gamificação para ajudar as equipes de vendas a conhecerem melhor os novos modelos dos automóveis, tecnologias e as opções de financiamento de cada ano.

As empresas brasileiras também acabaram encontrando na gamificação uma forma de melhorar seu desempenho. Um exemplo é a NET, que criou um jogo onde os candidatos poderiam ser gerentes de vários setores da empresa. Passava de fase quem solucionasse os problemas escolhendo as respostas corretas.

Apesar da metodologia ser recente e ainda pouco explorada, as empresas que não se intimidaram ao adotá-la têm conseguido bons resultados. Sejam eles em forma de lucro ou de níveis mais elevados de compromisso de seus funcionários. E aí, seus colaboradores estão preparados para jogar?

 

Fontes:
Brasileiros estão entre os mais “engajados” com o trabalho

http://www.administradores.com.br/noticias/tecnologia/o-papel-da-gamificacao-nas-empresas/116557/

http://cio.com.br/gestao/2013/06/10/como-usar-a-gamificacao-para-envolver-os-funcionarios/


Que bom tê-lo como leitor do blog do Sebrae MS!
Tem interesse em saber mais sobre as nossas consultorias?

Clique aqui!







Deixe seu Comentário