Planejamento Estratégico

12 maio, 2021 • Planejamento Estratégico

5 empresas que cresceram com muito planejamento

O planejamento estratégico é uma das partes mais importantes ao desenvolver um novo negócio. Esse trabalho nem sempre é rápido, pois exige muito estudo e entendimento do setor e do mercado. Por isso, diversos empreendedores contam com ajuda de treinamentos e consultorias para impulsionar o seu crescimento. Conheça, a seguir, a história de 5 mulheres empreendedoras que fizeram seu planejamento, muitas vezes por um longo período, com o auxílio de programas do Sebrae.

1 – Parrock Rock’n Parrilla: planejado com muito estudo

Equipe Parrock comemorando 1 ano de empresa, em plena pandemia, onde ganharam o prêmio de melhor hamburguer;O restaurante bar Parrok foi fundado por duas irmãs empreendedoras: Keila (administradora) e Kenia (advogada) e seus maridos: Fernando (parrillero) e Valeriano (advogado).

O restaurante Parrock Rock’n Parrilla é um bom exemplo de que um bom planejamento, às vezes, pode demorar para tomar forma. Ele surgiu em 2019, do sonho da Keila de empreender: “Eu já tinha trabalhado em RH nos últimos 15 anos, então, decidi empreender com um negócio próprio. Em 2018, eu abri uma cafeteria e, após um ano, surgiu a ideia de montar um negócio focado em carne. Queria ter um ambiente diferente, ligado à música e com a parrilla argentina. Dessa forma, nasceu o Parrock”.

Keila explica que para empreendedores iniciantes, é imprescindível ter apoio de profissionais e de empresas como o Sebrae: “No começo falta informação. Faltam profissionais que possam te encaminhar. Como administradora, fui atrás do Sebrae. Nós tínhamos muito claro o que queríamos fazer, mas junto à consultoria, começamos a criar um plano de negócio. Criamos o layout da cozinha, do bar. Toda a parte estrutural. Trabalhamos em conjunto, toda a equipe”.

Tempo de planejamento

Ao todo, o planejamento estratégico do bar e restaurante demorou cerca de um ano para ser feito. Este tempo foi importante para amadurecer ideias e estruturar estratégias para o negócio.

“Desde a escolha do ponto, até a identidade visual, o logo. Tudo foi muito bem planejado, durante praticamente um ano. Começamos com a ideia em janeiro de 2019 e inauguramos em dezembro de 2019. Temos um ano e meio funcionando, e tivemos um ano de criação. Isso contou muito para que o negócio se firmasse e continuasse aberto. No planejamento, ficou tudo muito bem definido. Algumas coisas saíram do plano por conta da pandemia, mas conseguimos contornar isso muito bem”.

Para a empresária, planejar é a base de tudo em um novo negócio. Por isso, ela e sua equipe dedicaram muito tempo e estudo nesta etapa do projeto: “A gente não consegue colocar tudo 100% em prática, porque no dia a dia as coisas mudam. Mas o planejamento é fundamental, é um norte. A gente sabe, com toda certeza, que se a gente não tivesse tido esse apoio a empresa não estaria mais funcionando. O apoio com o plano de negócio e também depois disso, foi essencial. A consultora do Sebrae sempre traz novidades e novos projetos. Isso colabora muito com a empresa”.

Conheça o Parrock Rock’n Parrilla: instagram.com/parrock_bar

2 – Cantinho da Josi Ateliê

Muitas vezes, por conta do tipo de trabalho exercido, os empreendedores têm dificuldade em desenvolver um planejamento estratégico. O artesanato, por exemplo, é um trabalho que nem sempre é formalizado, ou mesmo, que leva um tempo para que isso aconteça. Este foi o caso da Josineide Silva, artesã e dona do Cantinho da Josi Ateliê: “Aprendi a fazer crochê aos 8 anos de idade com minha mãe. Mas, o desejo de empreender veio, primeiramente, em 2003, quando fiz uma bolsa de crochê com lacres; eu fiquei tão feliz com o resultado que queria colocá-la à venda nas lojinhas do bairro onde morava”, conta.

Apesar de a ideia não ter ido adiante na época, foi em 2017 que ela decidiu entrar de cabeça em seu negócio: “Decidi formalizar e passar a tratar esse hobby como uma profissão de verdade e buscar conhecimentos para estar aqui hoje. Já errei muito os preços das peças, não consegui aceitar o valor final delas, por não valorizar meu trabalho e achar que nunca iria conseguir vender nada pelo preço certo a ser cobrado. Custei a me valorizar, depois que consegui, com a ajuda do Programa Sebrae Delas 2019/2020, as clientes foram surgindo e comecei a fazer vendas através de um marketplace, o Elo7”.

Primeiro contato com os treinamentos

“Recebi um e-mail do Sebrae-MS para fazer uma inscrição para a semana da mulher, mas tinha um edital e seriam poucas escolhidas. Como era gratuito, fiz o cadastro. Fui aprovada! Quando cheguei para a palestra inaugural, descobri que seria um programa de 9 meses, com mentorias e consultorias disponíveis para nos ajudar. Fiquei muito feliz!”

Assim que teve o primeiro contato com o programa do Sebrae, Josi entendeu que seu negócio poderia chegar em outro patamar. Ela aprendeu muito sobre empreendedorismo, e sobre valorizar o seu próprio trabalho: “Fiz muitos contatos, amizades, como a Jack, aprendi a precificar corretamente minhas peças, a me posicionar nas redes sociais, a me apresentar como empresária, deixei de falar que tenho um cantinho ou que faço pecinhas de crochê, para dizer que sou uma empresária no ramo do artesanato”.

Para ela, ter esse contato foi muito importante para entender melhor os processos e estratégias que poderia ter com sua empresa. Com o Sebrae Delas, ela começou a criação do seu plano de negócio, que ainda está em desenvolvimento. Sem esse auxílio, ela conta que não conseguiria fazer esta implementação: “Eu acho muito importante, pois abre a nossa mente, nos faz crescer de forma imensurável, que sozinhos não conseguiríamos”.

Sucesso com os negócios

Mesmo ainda em aprimoramento, após o contato com o Sebrae, o Cantinho da Josi Ateliê já se tornou um trabalho rentável e segue em crescimento:

“Eu tinha muito medo de vender, de apresentar meus produtos e de falar o que fazia. Creio que por causa da crença limitante de que o crochê é coisa de vovó ou de quem não tem o que fazer. Hoje, uma das minhas peças, que são os ecopads, são vendidas em quase todo o Brasil. Meu desejo é que todas as peças da loja sejam vendidas em todo o país. O período da pandemia 2020 foi o que mais faturei, pois minha loja é virtual e os ecopads são os queridinhos das clientes”.

Siga o trabalho do Cantinho da Josi Ateliê: instagram.com/cantinhodajosiatelie

3 – Laços da Bibi

A Juciane Correia Tutes também tem um negócio voltado para o artesanato, o Laços da Bibi. Desde o começo, a empresa teve todo o apoio do Sebrae para dar os primeiros passos: “O primeiro contato que eu tive com o Sebrae foi em uma feira do empreendedorismo. Abri meu CNPJ e comecei pelo básico. Neste período, fiz todas as palestras disponíveis, participei de feiras. E mesmo após acabar os programas, tenho suporte dos profissionais do Sebrae. Recebo visitas, tenho acompanhamento, e eles me deixam material, planilhas. Me ajudam muito. É bem enriquecedor”.

O planejamento do negócio foi feito desde o início, e levou cerca de um ano para ser concluído: “Tive um planejamento do zero. Desenvolvi meu nicho, minha persona. Foi com o Sebrae que aprendi tudo isso. No começo eu queria atender todo mundo, depois entendi que é preciso filtrar tudo de acordo com o segmento, para oferecer um trabalho de melhor qualidade. Também planejamos como criar as embalagens, como organizar os custos, foi muito importante”.

Todo esse trabalho não foi rápido. A empreendedora foi organizando tudo em etapas e aprendendo a cada dia um pouco mais sobre empreender: “Primeiro a gente tem que sair da zona de conforto. Meu negócio estava desorganizado, tive que reestruturar tudo. Esse processo demorou mais de um ano, sempre com o Sebrae auxiliando. A gente não nasce empreendedor, a gente estuda e aprende com experiência e determinação”.

Para Juci, o planejamento financeiro foi a parte mais difícil de ser trabalhada. Separar a conta do negócio da conta pessoal é um desafio para muitos empreendedores: “Bagunça tudo. Você vai gastando e quando precisa repor materiais para a empresa não sabe onde está o dinheiro. Então recebi uma consultoria específica sobre finanças, fizemos juntos uma planilha e, em pouco tempo, consegui fazer meu planejamento financeiro”.

Juci e a filha Bibi que motivou na criação do empreendimento.

A empreendedora conta que é importante entender se o trabalho é um hobby ou se será levado a sério. A partir dessa decisão, é preciso se planejar e estudar bastante o mercado, o nicho e as estratégias a seguir. “A gente tem que ter responsabilidade, estudar. É preciso priorizar o negócio. Eu mesma, quando comecei a fazer os programas do Sebrae, gostei tanto que não quis mais parar. Estou sempre em constante treinamento e prática”.

Acesse o site da Laços da Bibi: lacosdabibi.kyte.site

4 – Jumboloo: oportunidade de negócio com muito planejamento

 

A Milaine Gerin Cavalho abriu a Jumboloo, uma casa de festas infantis em Campo Grande (MS), em 2012. O desejo de começar um negócio no ramo surgiu quando ela percebeu que o mercado não oferecia muitas opções na região: “A minha história nasceu de uma necessidade, quando fui buscar um local para comemorar o aniversário de 1 ano do meu filho. Assim, percebi que faltava um local inovador, uma casa de festa moderna com alimentação gostosa e profissionais capacitados”.

Quando iniciou sua jornada no empreendedorismo, buscou cursos em São Paulo, no segmento de festas. E assim entrou em contato com o Sebrae. “Fiz o Nascer Bem, na época, um curso de imersão. Era bem segmentado, presencial. Além disso, tínhamos visitas in loco. Com estas experiências, pude criar: Plano de Viabilidade de Negócio, Plano de Marketing, Identidade Visual, Criação de site, Planejamento estratégico administrativo e a consultoria de Gastronomia”.

Apesar de ter sido longo o caminho entre a iniciativa de criar a empresa até o desenvolvimento e a prática do planejamento, Milaine reconhece o quanto parar para fazer um plano consistente é fundamental para que o negócio siga com força: “É muito importante iniciarmos nossas atividades com planejamento. Já que tudo é muito novo, temos um norte. E ter tudo no papel facilita nossa a criação da empresa. Ter pessoas, bons profissionais/ mentores que nos direcionem, nos façam ver que somos capazes de aguçar a criatividade e buscar novas estratégias”.

A importância do planejamento

A empreendedora explica que planejar ajuda a visualizar todo o projeto, o que faz toda a diferença: “Você tem a ideia prévia, ou seja, um mapa com custo de quanto vai investir e quanto vai ter o retorno do investimento. Além disso, com esse contato constante com os treinamentos, aprende-se a linguagem e a visão de empresário”, diz.

“Um dos aspectos mais importantes, se não o mais diretivo de se nascer com planejamento é perceber que estamos estruturados, preparados, orientados. Isso com certeza gera o pleno exercício da liderança. Não nascemos líderes, nos transformamos em líderes. E isso o treinamento nos orienta na prática. Pois ser um empreendedor, motivar a equipe e manter a nossa marca no mercado é uma constante luta. Não é fácil ajustar as estratégias todos os dias”.

A experiência com as consultorias e treinamentos do Sebrae foi muito importante na história de empreendedorismo da Milaine. Ela descobriu uma grande possibilidade de realização pessoal e profissional como empresária: “Hoje estou indo pra quarta empresa e todas elas nasceram dentro do Sebrae. Tive o auxílio desse lugar maravilhoso, e mesmo hoje de forma remota (durante a pandemia), consigo ter suporte com subsídios e com calor humano”.

Conheça o Jumboloo: Jumboloo Park Buffet Infantil em Campo Grande – MS

5 – Empreendendo com vestuário infantil

A Loriane Rocha, que tem um negócio de vestuário infantil, conta como o seu trabalho se transformou depois de conhecer o Sebrae:

“Eu comecei a cogitar a ideia de comprar roupas em atacado. Isso porque eu gostava muito de arrumar as crianças e deixá-las impecáveis. Comecei a pesquisar essas lojas que vendiam este tipo de produto. A partir daí pensei, por que não? Comprei um lote de multimarca infantil, fui oferecendo para as minhas amigas, para a família”. Apesar da iniciativa, ela teve dificuldades de tocar o seu empreendimento por conta da falta de planejamento.

Em 2020, ela começou a participar de projetos do Sebrae e mudou sua visão do negócio. A loja passou por uma revisão e mudança de estratégia com ajuda das consultorias e atividades. “O primeiro passo foi quando comecei a participar de alguns cursos como o Rede Mãe. No dia que eu fiquei sabendo sobre o Sebrae Delas, eu tinha certeza que ia passar. No dia da feira de empreendedorismo eu adorei tudo aquilo, foi super legal”.

Ela conta sobre o papel fundamental que os projetos tiveram em seu negócio: “O Sebrae Delas me ajudou muito! Na parte financeira, por exemplo, no primeiro ano de negócio eu não tinha nada em caixa. Não tinha noção nenhuma dessa parte do negócio. Tive que aprender a separar o que é meu e o que é da empresa. Aprendi a controlar meus gastos. Dessa forma, estou há quase quatro anos com clientes fiéis, boas vendas e muito mais”, explica. “Também me auxiliaram com o marketing da minha empresa. A partir disso, comecei a criar mais postagens, fazer stories nas redes sociais e isso ajudou muito a aumentar minhas vendas”, continua.

Mudando para melhor

Do início do negócio, que já tem cerca de quatro anos de história, até hoje, Loriane conta que muita coisa mudou. Não existia planejamento e a empresa não se sustentava. Desde a precificação dos produtos, até a reserva de materiais, tudo era muito difícil para Loriane.

Com a sua participação nos projetos do Sebrae, ela passou a pensar, pela primeira vez, no planejamento do negócio. E esse foi um passo decisivo para ela!

“Participei do Bootcamp e isso foi um divisor de águas pra mim. Sentei na mesa com meninas que, assim como eu, também tinham seus projetos. A partir disso entendi que tinha potencial como empresária e que tinha um negócio rentável em mãos. Depois de alguns meses de curso, eu aprendi como eu realmente deveria trabalhar. Ajustei a minha precificação, que estava errada. Deixei de vender fiado para amigas e família. Depois disso meu negócio mudou!”, diz. “Tudo o que aprendi foi com o Sebrae. Desde o planejamento, até as partes financeira, comercial, o marketing.Tudo mudou com estas experiências. Hoje consigo manter meu capital de giro saudável”, conclui.

Dentro deste planejamento, existem diversas ações e estratégias pensadas para otimizar as vendas e a organização da loja: “Consegui formular um sistema de delivery. Temos dois entregadores trabalhando com a empresa hoje. Isso ajuda na logística, já que não temos um espaço físico”.

Além das transformações que ocorreram depois de planejar junto ao Sebrae, ela explica que tem muitos planos para o futuro, como o de fazer um negócio colaborativo com outras empreendedoras que conheceu no Sebrae Delas: “Nós queremos criar um showroom para as clientes poderem retirar seus pedidos. Queremos mostrar que temos um espaço e fortalecer ainda mais nossos negócios”.

Loja da Lori nas redes sociais:

instagram.com/minhagio

instagram.com/meujoao

Gostou de saber mais sobre a história destas empreendedoras?

Agora é a sua hora de crescer empreendendo! Aprenda a fazer um plano de negócios de forma simples e acessível com o Sebrae. Acesse: COMO FAZER UM PLANO DE NEGÓCIOS FÁCIL E ACESSÍVEL

 

O planejamento estratégico é uma das partes mais importantes ao desenvolver um novo negócio. Esse trabalho nem sempre é rápido, pois exige muito estudo e entendimento do setor e do mercado. Por isso, diversos empreendedores contam com ajuda de treinamentos e consultorias para impulsionar o seu crescimento. Conheça, a seguir, a história de 5 mulheres empreendedoras que fizeram seu planejamento, muitas vezes por um longo período, com o auxílio de programas do Sebrae.

1 – Parrock Rock’n Parrilla: planejado com muito estudo

Equipe Parrock comemorando 1 ano de empresa, em plena pandemia, onde ganharam o prêmio de melhor hamburguer;O restaurante bar Parrok foi fundado por duas irmãs empreendedoras: Keila (administradora) e Kenia (advogada) e seus maridos: Fernando (parrillero) e Valeriano (advogado).

O restaurante Parrock Rock’n Parrilla é um bom exemplo de que um bom planejamento, às vezes, pode demorar para tomar forma. Ele surgiu em 2019, do sonho da Keila de empreender: “Eu já tinha trabalhado em RH nos últimos 15 anos, então, decidi empreender com um negócio próprio. Em 2018, eu abri uma cafeteria e, após um ano, surgiu a ideia de montar um negócio focado em carne. Queria ter um ambiente diferente, ligado à música e com a parrilla argentina. Dessa forma, nasceu o Parrock”.

Keila explica que para empreendedores iniciantes, é imprescindível ter apoio de profissionais e de empresas como o Sebrae: “No começo falta informação. Faltam profissionais que possam te encaminhar. Como administradora, fui atrás do Sebrae. Nós tínhamos muito claro o que queríamos fazer, mas junto à consultoria, começamos a criar um plano de negócio. Criamos o layout da cozinha, do bar. Toda a parte estrutural. Trabalhamos em conjunto, toda a equipe”.

Tempo de planejamento

Ao todo, o planejamento estratégico do bar e restaurante demorou cerca de um ano para ser feito. Este tempo foi importante para amadurecer ideias e estruturar estratégias para o negócio.

“Desde a escolha do ponto, até a identidade visual, o logo. Tudo foi muito bem planejado, durante praticamente um ano. Começamos com a ideia em janeiro de 2019 e inauguramos em dezembro de 2019. Temos um ano e meio funcionando, e tivemos um ano de criação. Isso contou muito para que o negócio se firmasse e continuasse aberto. No planejamento, ficou tudo muito bem definido. Algumas coisas saíram do plano por conta da pandemia, mas conseguimos contornar isso muito bem”.

Para a empresária, planejar é a base de tudo em um novo negócio. Por isso, ela e sua equipe dedicaram muito tempo e estudo nesta etapa do projeto: “A gente não consegue colocar tudo 100% em prática, porque no dia a dia as coisas mudam. Mas o planejamento é fundamental, é um norte. A gente sabe, com toda certeza, que se a gente não tivesse tido esse apoio a empresa não estaria mais funcionando. O apoio com o plano de negócio e também depois disso, foi essencial. A consultora do Sebrae sempre traz novidades e novos projetos. Isso colabora muito com a empresa”.

Conheça o Parrock Rock’n Parrilla: instagram.com/parrock_bar

2 – Cantinho da Josi Ateliê

Muitas vezes, por conta do tipo de trabalho exercido, os empreendedores têm dificuldade em desenvolver um planejamento estratégico. O artesanato, por exemplo, é um trabalho que nem sempre é formalizado, ou mesmo, que leva um tempo para que isso aconteça. Este foi o caso da Josineide Silva, artesã e dona do Cantinho da Josi Ateliê: “Aprendi a fazer crochê aos 8 anos de idade com minha mãe. Mas, o desejo de empreender veio, primeiramente, em 2003, quando fiz uma bolsa de crochê com lacres; eu fiquei tão feliz com o resultado que queria colocá-la à venda nas lojinhas do bairro onde morava”, conta.

Apesar de a ideia não ter ido adiante na época, foi em 2017 que ela decidiu entrar de cabeça em seu negócio: “Decidi formalizar e passar a tratar esse hobby como uma profissão de verdade e buscar conhecimentos para estar aqui hoje. Já errei muito os preços das peças, não consegui aceitar o valor final delas, por não valorizar meu trabalho e achar que nunca iria conseguir vender nada pelo preço certo a ser cobrado. Custei a me valorizar, depois que consegui, com a ajuda do Programa Sebrae Delas 2019/2020, as clientes foram surgindo e comecei a fazer vendas através de um marketplace, o Elo7”.

Primeiro contato com os treinamentos

“Recebi um e-mail do Sebrae-MS para fazer uma inscrição para a semana da mulher, mas tinha um edital e seriam poucas escolhidas. Como era gratuito, fiz o cadastro. Fui aprovada! Quando cheguei para a palestra inaugural, descobri que seria um programa de 9 meses, com mentorias e consultorias disponíveis para nos ajudar. Fiquei muito feliz!”

Assim que teve o primeiro contato com o programa do Sebrae, Josi entendeu que seu negócio poderia chegar em outro patamar. Ela aprendeu muito sobre empreendedorismo, e sobre valorizar o seu próprio trabalho: “Fiz muitos contatos, amizades, como a Jack, aprendi a precificar corretamente minhas peças, a me posicionar nas redes sociais, a me apresentar como empresária, deixei de falar que tenho um cantinho ou que faço pecinhas de crochê, para dizer que sou uma empresária no ramo do artesanato”.

Para ela, ter esse contato foi muito importante para entender melhor os processos e estratégias que poderia ter com sua empresa. Com o Sebrae Delas, ela começou a criação do seu plano de negócio, que ainda está em desenvolvimento. Sem esse auxílio, ela conta que não conseguiria fazer esta implementação: “Eu acho muito importante, pois abre a nossa mente, nos faz crescer de forma imensurável, que sozinhos não conseguiríamos”.

Sucesso com os negócios

Mesmo ainda em aprimoramento, após o contato com o Sebrae, o Cantinho da Josi Ateliê já se tornou um trabalho rentável e segue em crescimento:

“Eu tinha muito medo de vender, de apresentar meus produtos e de falar o que fazia. Creio que por causa da crença limitante de que o crochê é coisa de vovó ou de quem não tem o que fazer. Hoje, uma das minhas peças, que são os ecopads, são vendidas em quase todo o Brasil. Meu desejo é que todas as peças da loja sejam vendidas em todo o país. O período da pandemia 2020 foi o que mais faturei, pois minha loja é virtual e os ecopads são os queridinhos das clientes”.

Siga o trabalho do Cantinho da Josi Ateliê: instagram.com/cantinhodajosiatelie

3 – Laços da Bibi

A Juciane Correia Tutes também tem um negócio voltado para o artesanato, o Laços da Bibi. Desde o começo, a empresa teve todo o apoio do Sebrae para dar os primeiros passos: “O primeiro contato que eu tive com o Sebrae foi em uma feira do empreendedorismo. Abri meu CNPJ e comecei pelo básico. Neste período, fiz todas as palestras disponíveis, participei de feiras. E mesmo após acabar os programas, tenho suporte dos profissionais do Sebrae. Recebo visitas, tenho acompanhamento, e eles me deixam material, planilhas. Me ajudam muito. É bem enriquecedor”.

O planejamento do negócio foi feito desde o início, e levou cerca de um ano para ser concluído: “Tive um planejamento do zero. Desenvolvi meu nicho, minha persona. Foi com o Sebrae que aprendi tudo isso. No começo eu queria atender todo mundo, depois entendi que é preciso filtrar tudo de acordo com o segmento, para oferecer um trabalho de melhor qualidade. Também planejamos como criar as embalagens, como organizar os custos, foi muito importante”.

Todo esse trabalho não foi rápido. A empreendedora foi organizando tudo em etapas e aprendendo a cada dia um pouco mais sobre empreender: “Primeiro a gente tem que sair da zona de conforto. Meu negócio estava desorganizado, tive que reestruturar tudo. Esse processo demorou mais de um ano, sempre com o Sebrae auxiliando. A gente não nasce empreendedor, a gente estuda e aprende com experiência e determinação”.

Para Juci, o planejamento financeiro foi a parte mais difícil de ser trabalhada. Separar a conta do negócio da conta pessoal é um desafio para muitos empreendedores: “Bagunça tudo. Você vai gastando e quando precisa repor materiais para a empresa não sabe onde está o dinheiro. Então recebi uma consultoria específica sobre finanças, fizemos juntos uma planilha e, em pouco tempo, consegui fazer meu planejamento financeiro”.

Juci e a filha Bibi que motivou na criação do empreendimento.

A empreendedora conta que é importante entender se o trabalho é um hobby ou se será levado a sério. A partir dessa decisão, é preciso se planejar e estudar bastante o mercado, o nicho e as estratégias a seguir. “A gente tem que ter responsabilidade, estudar. É preciso priorizar o negócio. Eu mesma, quando comecei a fazer os programas do Sebrae, gostei tanto que não quis mais parar. Estou sempre em constante treinamento e prática”.

Acesse o site da Laços da Bibi: lacosdabibi.kyte.site

4 – Jumboloo: oportunidade de negócio com muito planejamento

 

A Milaine Gerin Cavalho abriu a Jumboloo, uma casa de festas infantis em Campo Grande (MS), em 2012. O desejo de começar um negócio no ramo surgiu quando ela percebeu que o mercado não oferecia muitas opções na região: “A minha história nasceu de uma necessidade, quando fui buscar um local para comemorar o aniversário de 1 ano do meu filho. Assim, percebi que faltava um local inovador, uma casa de festa moderna com alimentação gostosa e profissionais capacitados”.

Quando iniciou sua jornada no empreendedorismo, buscou cursos em São Paulo, no segmento de festas. E assim entrou em contato com o Sebrae. “Fiz o Nascer Bem, na época, um curso de imersão. Era bem segmentado, presencial. Além disso, tínhamos visitas in loco. Com estas experiências, pude criar: Plano de Viabilidade de Negócio, Plano de Marketing, Identidade Visual, Criação de site, Planejamento estratégico administrativo e a consultoria de Gastronomia”.

Apesar de ter sido longo o caminho entre a iniciativa de criar a empresa até o desenvolvimento e a prática do planejamento, Milaine reconhece o quanto parar para fazer um plano consistente é fundamental para que o negócio siga com força: “É muito importante iniciarmos nossas atividades com planejamento. Já que tudo é muito novo, temos um norte. E ter tudo no papel facilita nossa a criação da empresa. Ter pessoas, bons profissionais/ mentores que nos direcionem, nos façam ver que somos capazes de aguçar a criatividade e buscar novas estratégias”.

A importância do planejamento

A empreendedora explica que planejar ajuda a visualizar todo o projeto, o que faz toda a diferença: “Você tem a ideia prévia, ou seja, um mapa com custo de quanto vai investir e quanto vai ter o retorno do investimento. Além disso, com esse contato constante com os treinamentos, aprende-se a linguagem e a visão de empresário”, diz.

“Um dos aspectos mais importantes, se não o mais diretivo de se nascer com planejamento é perceber que estamos estruturados, preparados, orientados. Isso com certeza gera o pleno exercício da liderança. Não nascemos líderes, nos transformamos em líderes. E isso o treinamento nos orienta na prática. Pois ser um empreendedor, motivar a equipe e manter a nossa marca no mercado é uma constante luta. Não é fácil ajustar as estratégias todos os dias”.

A experiência com as consultorias e treinamentos do Sebrae foi muito importante na história de empreendedorismo da Milaine. Ela descobriu uma grande possibilidade de realização pessoal e profissional como empresária: “Hoje estou indo pra quarta empresa e todas elas nasceram dentro do Sebrae. Tive o auxílio desse lugar maravilhoso, e mesmo hoje de forma remota (durante a pandemia), consigo ter suporte com subsídios e com calor humano”.

Conheça o Jumboloo: Jumboloo Park Buffet Infantil em Campo Grande – MS

5 – Empreendendo com vestuário infantil

A Loriane Rocha, que tem um negócio de vestuário infantil, conta como o seu trabalho se transformou depois de conhecer o Sebrae:

“Eu comecei a cogitar a ideia de comprar roupas em atacado. Isso porque eu gostava muito de arrumar as crianças e deixá-las impecáveis. Comecei a pesquisar essas lojas que vendiam este tipo de produto. A partir daí pensei, por que não? Comprei um lote de multimarca infantil, fui oferecendo para as minhas amigas, para a família”. Apesar da iniciativa, ela teve dificuldades de tocar o seu empreendimento por conta da falta de planejamento.

Em 2020, ela começou a participar de projetos do Sebrae e mudou sua visão do negócio. A loja passou por uma revisão e mudança de estratégia com ajuda das consultorias e atividades. “O primeiro passo foi quando comecei a participar de alguns cursos como o Rede Mãe. No dia que eu fiquei sabendo sobre o Sebrae Delas, eu tinha certeza que ia passar. No dia da feira de empreendedorismo eu adorei tudo aquilo, foi super legal”.

Ela conta sobre o papel fundamental que os projetos tiveram em seu negócio: “O Sebrae Delas me ajudou muito! Na parte financeira, por exemplo, no primeiro ano de negócio eu não tinha nada em caixa. Não tinha noção nenhuma dessa parte do negócio. Tive que aprender a separar o que é meu e o que é da empresa. Aprendi a controlar meus gastos. Dessa forma, estou há quase quatro anos com clientes fiéis, boas vendas e muito mais”, explica. “Também me auxiliaram com o marketing da minha empresa. A partir disso, comecei a criar mais postagens, fazer stories nas redes sociais e isso ajudou muito a aumentar minhas vendas”, continua.

Mudando para melhor

Do início do negócio, que já tem cerca de quatro anos de história, até hoje, Loriane conta que muita coisa mudou. Não existia planejamento e a empresa não se sustentava. Desde a precificação dos produtos, até a reserva de materiais, tudo era muito difícil para Loriane.

Com a sua participação nos projetos do Sebrae, ela passou a pensar, pela primeira vez, no planejamento do negócio. E esse foi um passo decisivo para ela!

“Participei do Bootcamp e isso foi um divisor de águas pra mim. Sentei na mesa com meninas que, assim como eu, também tinham seus projetos. A partir disso entendi que tinha potencial como empresária e que tinha um negócio rentável em mãos. Depois de alguns meses de curso, eu aprendi como eu realmente deveria trabalhar. Ajustei a minha precificação, que estava errada. Deixei de vender fiado para amigas e família. Depois disso meu negócio mudou!”, diz. “Tudo o que aprendi foi com o Sebrae. Desde o planejamento, até as partes financeira, comercial, o marketing.Tudo mudou com estas experiências. Hoje consigo manter meu capital de giro saudável”, conclui.

Dentro deste planejamento, existem diversas ações e estratégias pensadas para otimizar as vendas e a organização da loja: “Consegui formular um sistema de delivery. Temos dois entregadores trabalhando com a empresa hoje. Isso ajuda na logística, já que não temos um espaço físico”.

Além das transformações que ocorreram depois de planejar junto ao Sebrae, ela explica que tem muitos planos para o futuro, como o de fazer um negócio colaborativo com outras empreendedoras que conheceu no Sebrae Delas: “Nós queremos criar um showroom para as clientes poderem retirar seus pedidos. Queremos mostrar que temos um espaço e fortalecer ainda mais nossos negócios”.

Loja da Lori nas redes sociais:

instagram.com/minhagio

instagram.com/meujoao

Gostou de saber mais sobre a história destas empreendedoras?

Agora é a sua hora de crescer empreendendo! Aprenda a fazer um plano de negócios de forma simples e acessível com o Sebrae. Acesse: COMO FAZER UM PLANO DE NEGÓCIOS FÁCIL E ACESSÍVEL

 


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário