Turismo

19 julho, 2019 • Turismo

A força do Turismo para a geração de emprego e renda e a retomada da economia

Investimentos e programas são fundamentais para alavancar o setor e gerar desenvolvimento

Um setor que gerou US$ 8,8 trilhões para a economia global e apoiou 319 milhões de empregos em todo o mundo. Estamos falando do Turismo e os números são do World Travel & Tourism Council (WTTC), que desde 1991 tem medido o impacto do setor na economia mundial.

Os dados de 2018 mostram, ainda, que o Turismo responde por um entre cinco de todos os novos postos de trabalho criados em todo o mundo e é o segundo setor que mais cresce, à frente de outros importantes, como Saúde e Tecnologia da Informação.

O Brasil segue a tendência mundial e ocupa posições de liderança na contribuição do Turismo para a economia. Oito por cento do PIB nacional vem das atividades ligadas ao setor. São US$ 152,5 bilhões e 7,5% dos empregos do País, ou seja, 6,9 milhões de postos de trabalho. Números que demonstram o poder das viagens e a força do setor como uma ferramenta para os governos gerarem desenvolvimento, prosperidade, emprego e renda.

Historicamente, o turismo já ajudou países da Europa, como Portugal e Espanha, a enfrentarem a crise. O Brasil vem trilhando o mesmo caminho, adotando medidas de estímulo para atrair turistas estrangeiros, como o novo visto eletrônico oferecido aos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão.

“Já avançamos em pautas importantes para o setor, como a isenção de vistos para países estratégicos e o capital estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras. O ministério está trabalhando com inteligência, inovação e tecnologia para fazer com que o turismo seja esse importante agente do setor da economia do Brasil”, destacou o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante o lançamento da etapa regional do Programa Investe Turismo, em Bonito (MS), no dia 03 de julho.

Natureza que convida

De acordo com o Estudo de Demanda Internacional do Ministério do Turismo, o turismo de natureza é o segundo mais procurado pelos estrangeiros, atrás apenas dos destinos que têm praia.

As belezas naturais e diversidade de espécies da flora e da fauna contribuem para que Mato Grosso do Sul seja um dos estados mais procurados por quem quer aproveitar as belezas da natureza por meio do ecoturismo e do turismo de aventura.

Dados do anuário estatístico, apresentado em junho pelo Ministério do Turismo, mostram que o estado apresentou um aumento de 14% na chegada de turistas estrangeiros. Somente o município de Bonito, que tem no Turismo uma das principais fontes de arrecadação, a taxa de ocupação entre os meses de dezembro de 2018 e janeiro de 2019, considerada alta temporada, foi de 66%, 8,2% maior que na temporada de 2017/2018.

Também durante o evento de lançamento do Programa Investe Turismo, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, afirmou que é possível aumentar ainda mais esses números, que o momento é propício para alavancar mais ainda o turismo no estado e frisou a importância do programa para o desenvolvimento da região.

“Temos um horizonte de oportunidades. O Investe Turismo vai estruturar essas rotas, promover cada um desses destinos, capacitar e qualificar os trabalhadores para que ofereçam qualidade para os turistas e os encantem, fazendo-os voltar sempre para cá. Tudo isso faz aumentar a demanda, ampliar os serviços e cria novos postos de trabalho, gerando emprego e renda”, disse.

Investe Turismo

O Programa Investe Turismo é uma parceria do Sebrae com Ministério do Turismo e Embratur e vai destinar R$ 200 milhões para 30 rotas turísticas das cinco regiões do país para aprimorar os atrativos turísticos dos estados brasileiros.

Entre os critérios utilizados para a seleção das rotas estão a participação de municípios incluídos no Mapa Brasileiro do Turismo 2018 e classificados nas categorias A, B, C ou D; destinos já promovidos em âmbito nacional pelo Ministério do Turismo e pelo menos um consolidado no mercado internacional; e destinos com patrimônios mundiais da humanidade eleitos pela Unesco.

Investe Turismo MS

Em Mato Grosso do Sul, o programa contempla seis cidades das rotas Pantanal Sul e Serra da Bodoquena: Bonito, Bodoquena, Jardim, Aquidauana, Corumbá e Miranda, além da capital Campo Grande. No estado serão investidos R$ 6 milhões, sendo R$ 5 milhões por parte do Sebrae/MS. Além do Governo Federal, Senar, Senac e Senai são grandes parceiros da iniciativa em MS. 

As rotas serão contempladas com um pacote de ações em quatro linhas de trabalho: o fortalecimento da governança por meio de uma agenda estratégica entre setor público e privado; a melhoria dos serviços e atrativos turísticos, com foco especial nas micro e pequenas empresas; marketing e apoio à comercialização por meio de campanhas, produção de inteligência mercadológica e participação em eventos estratégicos; e atração de investimentos e apoio ao acesso a linhas de crédito e fontes de financiamento. Os interessados podem procurar o Sebrae/MS para acesso a consultorias.

Outros investimentos

O Ministério do Turismo tem destinado recursos crescentes para a infraestrutura turística no Mato Grosso do Sul. Desde 2003, ano da criação do Ministério, a Pasta já destinou R$ 241,2 milhões para mais de 300 projetos que contemplam desde a revitalização de estradas e a construção de terminal rodoviário, até a construção de parque aquático e ambiental. Além disso, o estado teve cinco projetos aprovados com o selo +Turismo, que soma R$ 91,5 milhões em investimentos e aumentará a capacidade do setor hoteleiro e dará mais opções turísticas ao estado sul-mato-grossense. Em todo o estado, 1.430 prestadores de serviços turísticos estão registrados no Cadastur.

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário