Empreendedorismo

06 janeiro, 2021 • Empreendedorismo

Intraempreendedorismo: como e por que incentivar entre os colaboradores

Para os mais otimistas, a principal característica do empreendedor é ter a capacidade de encontrar oportunidades diante dos problemas, criando soluções e investindo recursos em busca de desenvolvimento. Sendo assim, o processo de intraempreendedorismo nada mais é do que a capacidade do profissional de aplicar essas habilidades dentro da empresa onde já atua.

O Analista de Gestão de Pessoas do Sebrae/MS, Paulo Lippel, explicou como esse processo, que vem sendo cada vez mais incentivado no mundo dos negócios, pode ser benéfico e qual a importância de fortalecer o espírito empreendedor no ambiente interno das empresas.

Confira!

Incentive a inovação

Empreender dentro de uma organização já existente, independentemente do seu porte, está intimamente relacionado a um processo de inovação, geração de novas ideias, melhorias ou, até mesmo, adoção de novos processos, assim como a criação de novos produtos e serviços.

Por meio do intraempreendedorismo, as organizações se movem e tornam-se potencialmente competitivas. Porém, para que essa iniciativa se concretize, duas condições se fazem indispensáveis: um comportamento mais ativo dos colaboradores e a política organizacional da empresa. Paralelos e igualmente importantes, esses fatores são determinantes na hora de dimensionar o potencial do ambiente de abrigar uma cultura intraempreendedora genuína, com comprometimento de ambas partes em busca do sucesso dos projetos.

Colaboradores com perfil mais engajado, que participam ativamente das discussões da empresa, são profissionais que buscarão com mais afinco os resultados desejados. “Essas características que fazem do colaborador, como se diz no meio corporativo, uma pessoa com “visão de dono”, explica Paulo.

Para conquistar e fidelizar esse perfil de profissionais, no entanto, é importante que a empresa tenha uma cultura que valorize a opinião dos colaboradores, oportunizando acesso e voz a todos, independente do cargo ou função desempenhada. Esse posicionamento mostra ao funcionário que suas ideias são ouvidas e podem ser colocadas em prática, tendo em vista sua vivência e experiência. “São pessoas que vivem, de fato, a realidade da empresa e aplicam em seu dia a dia, sua missão, visão e valores”.

Paulo

Como iniciar uma cultura de intraempreendedorismo na empresa?

São muitas as estratégias que podem ser aplicadas pelo empresário na hora de catalisar o intraempreendedorismo dentro da sua empresa.

Paulo acredita que um diálogo aberto e inclusivo é o primeiro passo para incentivar os colaboradores e mostrá-los que suas participações são importantes e necessárias para o processo de decisão dos próximos passos do negócio. “Criar comitês de inovação que se reúnem periodicamente, a fim de discutir melhorias nas diversas áreas da empresa, é uma ótima ideia”, afirma.

Outra sugestão é criar um programa de valorização de novas ideias, incentivando a participação dos colaboradores e oportunizando a todos que suas sugestões rendam prêmios. “Uma gestão baseada em metas e desafios é, também, uma grande oportunidade”.

Além disso, é importante que o colaborador perceba que a empresa tem canais de escuta eficientes. Realizar pesquisas de clima organizacional, criar caixa de sugestão nos setores da empresa e outras ações nesse sentido resgatam o espírito colaborativo da equipe.

No entanto, apesar do valor da escuta, o empresário deve mergulhar no universo de seus colaboradores e discutir mais pessoalmente suas ideias, opinando sobre as sugestões levantadas e mostrando, dessa forma, que existem reflexões sobre cada consideração acerca do negócio, em prol de um objetivo em comum: fazer a diferença na história da empresa.

Por fim, Paulo considera que, a partir de passos simples, é possível fomentar o intraempreendedorismo nas empresas e fazer com que os colaboradores enxerguem um valor extra no que fazem diariamente. “Ações nesse sentido aumentam a retenção de talentos e diminuem os custo com rotatividade de pessoal, por exemplo”.

Incentivando uma cultura de inovação na empresa, tornam-se constantes as melhorias dos processos internos, assim como as propostas de adequações de produtos ou serviços oferecidos aos clientes. Dessa forma, é possível que a imagem da empresa esteja em constante lapidação, dentro e fora do ambiente corporativo.

Para os mais otimistas, a principal característica do empreendedor é ter a capacidade de encontrar oportunidades diante dos problemas, criando soluções e investindo recursos em busca de desenvolvimento. Sendo assim, o processo de intraempreendedorismo nada mais é do que a capacidade do profissional de aplicar essas habilidades dentro da empresa onde já atua.

O Analista de Gestão de Pessoas do Sebrae/MS, Paulo Lippel, explicou como esse processo, que vem sendo cada vez mais incentivado no mundo dos negócios, pode ser benéfico e qual a importância de fortalecer o espírito empreendedor no ambiente interno das empresas.

Confira!

Incentive a inovação

Empreender dentro de uma organização já existente, independentemente do seu porte, está intimamente relacionado a um processo de inovação, geração de novas ideias, melhorias ou, até mesmo, adoção de novos processos, assim como a criação de novos produtos e serviços.

Por meio do intraempreendedorismo, as organizações se movem e tornam-se potencialmente competitivas. Porém, para que essa iniciativa se concretize, duas condições se fazem indispensáveis: um comportamento mais ativo dos colaboradores e a política organizacional da empresa. Paralelos e igualmente importantes, esses fatores são determinantes na hora de dimensionar o potencial do ambiente de abrigar uma cultura intraempreendedora genuína, com comprometimento de ambas partes em busca do sucesso dos projetos.

Colaboradores com perfil mais engajado, que participam ativamente das discussões da empresa, são profissionais que buscarão com mais afinco os resultados desejados. “Essas características que fazem do colaborador, como se diz no meio corporativo, uma pessoa com “visão de dono”, explica Paulo.

Para conquistar e fidelizar esse perfil de profissionais, no entanto, é importante que a empresa tenha uma cultura que valorize a opinião dos colaboradores, oportunizando acesso e voz a todos, independente do cargo ou função desempenhada. Esse posicionamento mostra ao funcionário que suas ideias são ouvidas e podem ser colocadas em prática, tendo em vista sua vivência e experiência. “São pessoas que vivem, de fato, a realidade da empresa e aplicam em seu dia a dia, sua missão, visão e valores”.

Paulo

Como iniciar uma cultura de intraempreendedorismo na empresa?

São muitas as estratégias que podem ser aplicadas pelo empresário na hora de catalisar o intraempreendedorismo dentro da sua empresa.

Paulo acredita que um diálogo aberto e inclusivo é o primeiro passo para incentivar os colaboradores e mostrá-los que suas participações são importantes e necessárias para o processo de decisão dos próximos passos do negócio. “Criar comitês de inovação que se reúnem periodicamente, a fim de discutir melhorias nas diversas áreas da empresa, é uma ótima ideia”, afirma.

Outra sugestão é criar um programa de valorização de novas ideias, incentivando a participação dos colaboradores e oportunizando a todos que suas sugestões rendam prêmios. “Uma gestão baseada em metas e desafios é, também, uma grande oportunidade”.

Além disso, é importante que o colaborador perceba que a empresa tem canais de escuta eficientes. Realizar pesquisas de clima organizacional, criar caixa de sugestão nos setores da empresa e outras ações nesse sentido resgatam o espírito colaborativo da equipe.

No entanto, apesar do valor da escuta, o empresário deve mergulhar no universo de seus colaboradores e discutir mais pessoalmente suas ideias, opinando sobre as sugestões levantadas e mostrando, dessa forma, que existem reflexões sobre cada consideração acerca do negócio, em prol de um objetivo em comum: fazer a diferença na história da empresa.

Por fim, Paulo considera que, a partir de passos simples, é possível fomentar o intraempreendedorismo nas empresas e fazer com que os colaboradores enxerguem um valor extra no que fazem diariamente. “Ações nesse sentido aumentam a retenção de talentos e diminuem os custo com rotatividade de pessoal, por exemplo”.

Incentivando uma cultura de inovação na empresa, tornam-se constantes as melhorias dos processos internos, assim como as propostas de adequações de produtos ou serviços oferecidos aos clientes. Dessa forma, é possível que a imagem da empresa esteja em constante lapidação, dentro e fora do ambiente corporativo.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário