Dicas de Empreendedorismo

Marketing Sensorial aposta nos sentidos humanos como responsáveis pelas decisões de compra

O segredo é bem simples: Fazer com que as pessoas percebam para depois consumirem. É assim que podemos definir o Marketing Sensorial, que nada mais é do que uma ferramenta que utiliza os sentidos humanos para atrair clientes e melhorar o seu negócio.

A consultora de gestão visual, Rosana Eilert afirma que oferecer qualidade, uma variedade de produtos, preços acessíveis e um bom atendimento, passaram a ser obrigação em todo e qualquer estabelecimento. O que as pequenas, médias e grandes empresas estão buscando atualmente são novos diferenciais para atrair os clientes.

“Trabalhar com os sentidos como alavancadores de vendas é fundamental para o crescimento de consumo e o aumento de faturamento”, disse a especialista. Com apelo aos cinco sentidos humanos: visão, audição, olfato, paladar e tato; o Marketing Sensorial oferece motivação para proporcionar aos clientes a base da experiência de compra. O que, muitas vezes, pode não ser o produto ou serviço adquirido, mas sim o sentimento de bem-estar que essa compra e o ambiente dela proporcionam.

O vínculo emocional nesta etapa para que o consumo seja desejado é fundamental. Os sentidos servem como estimuladores, em que os clientes devem ser vistos como pessoas que têm sentimentos e sensações, uma vez que o prazer da compra está na realização do desejo e não no objeto em si. “Nesse caso, os clientes são tratados como pessoas. E as sensações são os sentidos”, pontua Rosana.

O que os consumidores procuram são experiências, produtos inovadores, campanhas de marketing que estimulem todos os sentidos humanos, que mexam com suas emoções e passem a incorporar seu estilo de vida. Como por exemplo, a música. Para a consultora, a música dá a sensação de bem-estar por um tempo prolongado, identificando marca e empresa. “Você não pode colocar uma estação de rádio na sua loja. Existem as propagandas entre uma música e outra, e isso pode refletir em uma reprovação do consumidor. É o chamado EPC – Estímulo, Processo e Consequências – onde o som é um poderoso estimulante de consumo”, afirma.

Pesquisar é essencial. Isso acontece também com a visão – outro sentido que estimula rapidamente o cérebro na direção do produto que tanto se deseja. O tato, por sua vez, é o meio através do qual permite ao consumidor conhecer as características físicas do produto. Essa interação física gera sensação antecipada de posse do objeto e influencia diretamente a decisão de compra.

Já o olfato é o sentido com maior facilidade para despertar emoções. Através do seu estímulo pode-se criar personalidade ao ambiente, como aromas específicos que logo nos faz lembrar uma determinada marca. Bem como o paladar que cria experiências de compras prazerosas fazendo com que os clientes degustem novos sabores e os aprovem, ou não, pelo simples fato de sentir o gosto na boca.

Portanto, quem deseja obter sucesso, precisa definir e segmentar antes de qualquer coisa o seu público-alvo, porque se este captar os sentimentos que a sua marca transmite, vai enxergá-la como sendo sua também, facilitando a compra e o desejo de adquirir um produto da sua empresa, gerando lucro para você e satisfação pessoal.

Quer saber mais sobre marketing e marketing sensorial, confira os cursos e eventos do SEBRAE e participe de algum programa sobre o tema.

Marketing Sensorial

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário