Mercado e Vendas

27 dezembro, 2016 • Mercado e Vendas, Plano de Negócios

Estratégia Competitiva: Concorrendo com as novas ‘Megastores’ de Campo Grande

Comodidade, atendimento personalizado e cortesia são diferenciais fundamentais da Estratégia Competitiva de quem precisa enfrentar a concorrência das Megastores e deseja melhorar o posicionamento da própria marca.


Comodidade, atendimento personalizado e cortesia são diferenciais fundamentais da Estratégia Competitiva de quem precisa enfrentar a concorrência das Megastores e deseja melhorar o posicionamento da própria marca


“Em 21 anos com a loja aberta, nunca gastei um centavo com propaganda na mídia. Minha propaganda é boca a boca, dando atenção ao cliente, resolvendo o problema dele, tome o tempo que tomar”, garante o comerciante Geraldo Striquer, 57 anos, proprietário do Depósito Combate, loja de Campo Grande que oferece mais de 20 mil itens em materiais de construção e produtos para casa em geral, desde instalações elétricas e hidráulicas a ferramentas.

A julgar pelo fluxo de clientes dentro da loja e pelo esforço dos cinco atendentes, além do próprio proprietário e do filho, a propaganda personalizada tem funcionado bem. “O segredo para manter a casa cheia, deixar o cliente satisfeito e mantê-lo longe da concorrência é gastar o tempo que for preciso para explicar tudo o que ele precisa saber quando vem comprar uma torneira, uma válvula ou até mesmo um parafuso. Aqui não deixamos ninguém sair sem o problema resolvido”, explica.

A principal tática do planejamento de uma Estratégia Competitiva para o comerciante enfrentar a pesada concorrência de grandes marcas que se instalaram em Campo Grande recentemente – as megastores Etna, Havan, Leroy Merlin e Tok&Stok, por exemplo –, é “participar do problema do cliente”, com variedade de produtos e atendimento de qualidade. “Se eu consigo oferecer essas comodidades, o cidadão do bairro não deixa de comprar aqui para ir a uma dessas lojas grandes. Mas para isso, não posso ter preguiça na hora de dar atenção”, assegura.

Os Pilares da Estratégia Competitiva: Conveniência e Cortesia

Quem concorda com o empresário é o analista técnico do Sebrae Ricardo Santos, para quem a conveniência é o principal diferencial que os pequenos negócios podem oferecer para fazer frente às grandes redes do setor de casa e construção. Somam-se a ela a cortesia no atendimento e a proximidade com o consumidor, considerando a dificuldade de concorrer em preço e sortimento de produtos.

“Essas redes são formadas por grupos de megainvestidores, com acesso facilitado a vultosos financiamentos e, assim, conseguem oferecer preços imbatíveis em produtos chamarizes. Mas a proximidade com o cliente não é o forte delas, e sim dos pequenos empreendimentos de bairro”, observa o analista. Para ele, não oferecer uma imensa gama de itens, como fazem as megastores, pode ser um ponto positivo na Estratégia Competitiva das pequenas lojas, as quais podem atender melhor as necessidades um consumidor que é mais consciente e que evita correr o risco de comprar, por impulso, algo que não pretendia.

Outro ponto no qual Geraldo e Ricardo concordam é que, devido à crise econômica dos últimos dois anos e diante dos altos custos dos serviços, muita gente está fazendo consertos e pequenas reformas por conta própria. Se, por um lado, diminuiu a demanda por itens para novas construções, por outro, aumentou a demanda por ferramentas e produtos para reparos (do it yourself, ou faça você mesmo). “Portanto, é imprescindível disponibilizar esses produtos de forma conveniente para sua clientela”, reforça Ricardo.

Controle Financeiro e Posicionamento

Para quem não tem 21 anos de propaganda boca a boca como o Depósito Combate de Geraldo, é fundamental adotar algumas práticas de gestão e marketing para não perder clientes. Além de prover comodidade, atendimento qualificado e muita cortesia, Ricardo acredita que a melhor maneira de enfrentar a concorrência é aprimorando ao máximo os controles financeiros do empreendimento.

“Fazer um controle financeiro sério, responsável e realista deve ser a base para todas as demais ações”, salienta o analista do Sebrae, complementando: “A partir de então, você terá condições de melhorar o posicionamento de sua marca perante seu público e em sua área de atuação, e promover ações de marketing e de publicidade. Paralelamente, poderá qualificar sua equipe com cursos de atendimento, vendas e liderança”.

Para alcançar tais objetivos de forma estratégica, Ricardo recomenda as capacitações e consultorias oferecidas pelo Sebrae, como os treinamentos Controles Financeiros, Marketing, Planejamento e Estratégia Competitiva, Liderança e, principalmente, as consultorias e o Empretec, metodologia voltada ao desenvolvimento de características empreendedoras e focada na identificação de novas oportunidades de negócios.

Para saber mais, procure o Sebrae.


Que bom tê-lo como leitor do blog do Sebrae MS!
Tem interesse em saber mais sobre as nossas consultorias?

Clique aqui!







Deixe seu Comentário