Dicas de Empreendedorismo

07 março, 2018 • Dicas de Empreendedorismo

Páscoa de bons negócios para todos

A crise econômica dos últimos anos impactou a venda de muitos produtos e afetou datas comerciais importantes. De 2016 para 2017, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, as vendas na Páscoa tiveram queda de 1,7%.

Porém, mesmo em crise, as oportunidades existem: muitas pessoas optam por trocar os chocolates industrializados pelos artesanais. Saborosos e com diversas possibilidades de customização, eles são também um nicho a ser explorado por empreendedores.

Assim faz Gabriela Zaleski, há dois anos e meio. Numa fase de desemprego, a jornalista resolveu monetizar aquilo que sempre fez por amor: os doces. Com a primeira encomenda entregue em outubro de 2015, aproveitou o movimento do Dia das Crianças e das festas de final de ano para fazer Os Quitutes de Gabriela dar certo.

Para quem estava receosa, por ver que tinha muita gente oferecendo o mesmo serviço e achar que não teria muita demanda, os negócios vão muito bem, obrigada. Ela tem encomendas e já até entregou alguns ovos para apaixonados por chocolates que não conseguem esperar a Páscoa chegar.

Para Gabriela, estipular uma data limite para os pedidos é o caminho para vender bem e conquistar os clientes. “Trabalho sozinha, tenho às vezes a ajuda da minha mãe. Mas preciso tomar cuidado para não prometer algo que eu não vou conseguir entregar e acabar frustrando o cliente”, afirma.

Além disso, é preciso pensar nas embalagens e na matéria-prima com antecedência. “As casas de doces de Campo Grande ainda estão se adequando a essa nova realidade e deixam a gente na mão. No ano passado, por exemplo, uma semana antes da Páscoa não se achava mais embalagem para ovos de colher. Nessas horas ou você improvisa ou perde a venda”, comenta.

Quem também se programa com bastante antecedência para a Páscoa é Jimmy Rockenbach, sócio proprietário da Bico Pitanga. Apesar de a confeitaria ter movimento intenso o ano inteiro, e datas como Dia das Mães e final de ano superarem a Páscoa em movimento e faturamento, em dezembro Jimmy estava entregando as encomendas de Natal, de Ano Novo e, ao mesmo tempo, entrando em contato com fornecedores para a Páscoa.

Para o aumento de 15% a 20% que a confeitaria tem no período, Jimmy aposta em opções que garantem autonomia ao cliente.

“Percebo que a Páscoa pulveriza o mercado: tem quem continue comprando os produtos industrializados em supermercados, tem quem prefira aqueles bem artesanais abrindo espaço pra quem faz só nessa época do ano pra tirar uma renda extra, e quem prefira o trabalho de confeitarias. Não vejo como problema a concorrência dos trabalhos informais, por exemplo, mas tento sempre trazer algo diferente. Neste ano, vamos apostar na opção de o cliente montar o próprio ovo”, conta.

Além do chocolate

Aproveitar a Páscoa para alavancar as vendas não precisa ser exclusividade de quem trabalha com chocolates e doces. Os restaurantes, por exemplo, podem oferecer um cardápio exclusivo para o almoço do domingo de Páscoa (e por que não nos outros dias da Semana Santa?), servindo o tradicional bacalhau ou alguma releitura de pratos que remetam à data.

Elias de Souza, gerente do restaurante Pietro i Maria, conta que a Páscoa sempre traz um bom movimento, principalmente no almoço do domingo. A casa, que já possui pratos com bacalhau em seu cardápio fixo, oferece pratos especiais à base do peixe para a ocasião. Além disso, existe uma procura também pelo bacalhau in natura.

“Algumas famílias preferem comprar o bacalhau in natura para levar para casa e preparar ao gosto deles, e nós atendemos a isso também”, afirma.

Com muita criatividade e um pouco de empenho é possível não só sobreviver na crise, mas também aproveitar oportunidades para vender mais e oferecer produtos com qualidade e diferencial. A Páscoa é uma ótima data para exercitar essa criatividade!

 









Deixe seu Comentário