Dicas de Empreendedorismo

Qual é o melhor regime tributário para cada empresa?

A definição do regime tributário ideal para cada empresa é fundamental para que o empreendedor consiga pagar seus impostos conforme a lei, porém economizando o máximo possível.

Atualmente, temos três modalidades de tributação para pessoa jurídica. A escolha do melhor modelo sempre varia de acordo com as características da sua empresa.

É importante lembrar que nem sempre o regime mais simples é o mais adequado a sua empresa. E além disso, a opção tributária vale por todo o ano-calendário, então faça a escolha com cuidado. Por isso, conversar com seu contador e estudar as possibilidades é necessário se a intenção é reduzir os impostos pagos.

Veja abaixo os detalhes de cada modalidade de regime tributário e descubra qual se adequa melhor ao seu negócio.


Simples Nacional

O Simples possui esse nome por ser realmente uma opção simples de tributação, pois reúne os principais impostos que uma empresa precisará pagar em um único boleto. Para optar por esse regime tributário, a empresa precisa ter até 3,6 milhões de reais de faturamento por ano. É o modelo tributário de empresas de pequeno porte e microempresas. No entanto, está tramitando um projeto de lei na Câmara dos Deputados que aumenta o limite de 3,6 para 14,4 milhões.

Lucro presumido

Nessa opção, o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL) variam de 8 a 32% do faturamento bruto da empresa. É um regime tributário para empresas que faturam até 78 milhões de reais por ano. No entanto, outros impostos como o INSS, PIS/PASEP, COFINS, IPI, ICMS, ISS e os demais precisam ser recolhidos independentes do lucro presumido.

Apesar de ser um tipo de tributação um pouco mais complexo do que o Simples, dependendo do faturamento anual ou da quantidade de funcionários da empresa, pode ser uma opção mais econômica.

Lucro real

Esse regime tributário é mais frequente em empresas de grande porte, pois empresas que possuem o faturamento acima a 78 milhões de reais por ano são obrigadas a adotar o Lucro real. Além disso, algumas atividades são obrigadas a optar por esse regime, como bancos, cooperativas de crédito e etc


Em dúvida sobre qual é o regime tributário certo para o seu negócio?

Para empreendedores de micro e pequenas empresas, é importante comparar cuidadosamente os regimes Simples Nacional e o Lucro presumido, pois em alguns casos o Lucro presumido pode ser mais vantajoso do que o Simples
Nacional. Para avaliar qual dos dois regimes é melhor para seu empreendimento, o Sebrae disponibilizou uma calculadora para que seja feita uma simulação com os valores reais de sua empresa.

A definição do regime tributário ideal para cada empresa é fundamental para que o empreendedor consiga pagar seus impostos conforme a lei, porém economizando o máximo possível.

Atualmente, temos três modalidades de tributação para pessoa jurídica. A escolha do melhor modelo sempre varia de acordo com as características da sua empresa.

É importante lembrar que nem sempre o regime mais simples é o mais adequado a sua empresa. E além disso, a opção tributária vale por todo o ano-calendário, então faça a escolha com cuidado. Por isso, conversar com seu contador e estudar as possibilidades é necessário se a intenção é reduzir os impostos pagos.

Veja abaixo os detalhes de cada modalidade de regime tributário e descubra qual se adequa melhor ao seu negócio.


Simples Nacional

O Simples possui esse nome por ser realmente uma opção simples de tributação, pois reúne os principais impostos que uma empresa precisará pagar em um único boleto. Para optar por esse regime tributário, a empresa precisa ter até 3,6 milhões de reais de faturamento por ano. É o modelo tributário de empresas de pequeno porte e microempresas. No entanto, está tramitando um projeto de lei na Câmara dos Deputados que aumenta o limite de 3,6 para 14,4 milhões.

Lucro presumido

Nessa opção, o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL) variam de 8 a 32% do faturamento bruto da empresa. É um regime tributário para empresas que faturam até 78 milhões de reais por ano. No entanto, outros impostos como o INSS, PIS/PASEP, COFINS, IPI, ICMS, ISS e os demais precisam ser recolhidos independentes do lucro presumido.

Apesar de ser um tipo de tributação um pouco mais complexo do que o Simples, dependendo do faturamento anual ou da quantidade de funcionários da empresa, pode ser uma opção mais econômica.

Lucro real

Esse regime tributário é mais frequente em empresas de grande porte, pois empresas que possuem o faturamento acima a 78 milhões de reais por ano são obrigadas a adotar o Lucro real. Além disso, algumas atividades são obrigadas a optar por esse regime, como bancos, cooperativas de crédito e etc


Em dúvida sobre qual é o regime tributário certo para o seu negócio?

Para empreendedores de micro e pequenas empresas, é importante comparar cuidadosamente os regimes Simples Nacional e o Lucro presumido, pois em alguns casos o Lucro presumido pode ser mais vantajoso do que o Simples
Nacional. Para avaliar qual dos dois regimes é melhor para seu empreendimento, o Sebrae disponibilizou uma calculadora para que seja feita uma simulação com os valores reais de sua empresa.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário