Dicas de Empreendedorismo

Saiba ‘farejar’ novos públicos e identificar tendências de negócios

A chegada de empreendimentos de grande porte a um bairro pode causar mudanças propícias para a geração de novos negócios na região. Condomínios residenciais, universidades, shoppings, obras viárias são alguns exemplos que costumam abrir portas para empresas ingressarem no mercado.

O empreendedor que quer se antecipar à concorrência deve estar atento a esses movimentos. E o planejamento de quem quer aproveitar essas tendências deve começar o quanto antes. Se possível, assim que for identificado o local onde um grande empreendimento será construído, de acordo com o fundador da consultoria Starta e autor de livros sobre empreendedorismo, Fernando Dolabela.

Informações importantes como quantidade de pessoas atraídas e perfil do público-alvo podem ser obtidas com a construtora do empreendimento. “Pelo perfil do próprio bairro também dá para ter essa noção. Quem se preparar com antecedência tem mais chances de lucrar”, diz.

Veja 5 dicas para aproveitar oportunidades no seu bairro:

1. Condomínios demandam serviços e conforto
A chegada de um condomínio residencial a um bairro demanda, principalmente, serviços ligados ao conforto dos moradores. Restaurantes, lavanderias, salões de beleza e estética, ajuste de roupas, deliveries e escolas são os mais comuns. Porém, o consultor do Sebrae-SP Marcelo Sinelli diz que o sucesso do negócio está ligado ao perfil dos moradores. “Na região da rua Augusta, em São Paulo (SP), o público é formado, na maioria, por jovens solteiros. Como eles não têm filhos, uma escola infantil, por exemplo, não é um negócio interessante.”

2. Facilitar vida do estudante pode ser negócio
Em bairros que vão receber universidades ou faculdades, o empreendedor deve pensar em negócios que facilitem a vida do estudante. Copiadoras, bares, lanchonetes, cafeterias com acesso à internet, lan houses e escolas de idiomas são boas opções. “O aluno já está ali e, antes ou depois da aula, ele pode estudar uma língua estrangeira”, afirma Sinelli.

3. Cinemas e teatros criam público para negócios da noite
Equipamentos culturais, como cinemas e teatros, costumam atrair, principalmente, jovens e em períodos noturnos. Lanchonetes, bares, casas de shows e baladas podem aproveitar bem o fluxo deste público durante a noite. Mas, de acordo com o consultor do Sebrae-SP, há muitas divisões de gosto entre os jovens. “Há o pessoal que curte sertanejo, pagode e os que gostam de música eletrônica. O empreendedor precisa saber qual é o perfil de público que ele quer atrair.”

4. Obras viárias são ‘bênção e maldição’ para os negócios
Segundo Sinelli, a criação ou o prolongamento de uma avenida pode ser, ao mesmo tempo, “uma bênção e uma maldição” para os negócios. O novo trecho traz um fluxo maior de veículos, mas as pessoas podem passar pelas lojas sem dar atenção. Em outros casos, a região pode se transformar em um novo centro comercial. Cada situação precisa ser estudada individualmente. Estações de trem, metrô e terminais de ônibus, dão força ao comércio local, principalmente para novos bazares e papelarias. “São serviços que atenderão quem mora, trabalha ou estuda na região”, diz.

5. Shopping também gera oportunidades do lado de fora
Para o consultor do Sebrae-SP, um shopping não gera só oportunidades de negócios em seu interior, mas também na lado de fora. Há uma valorização do bairro e as pessoas são atraídas para morar na região. Neste contexto, a prestação de serviços ganha forças no entorno. Já o comércio, tem dificuldades para enfrentar a concorrência. “Este comerciante precisa ter um diferencial muito bom, senão a tendência é que o consumidor vá para o shopping”, declara.

Grandes empreendimentos mexem com preço de pontos comerciais
Os empreendedores que esperarem o término das obras para iniciar o plano de negócios sairão perdendo. O preço dos imóveis e o aluguel na região inflacionam após a inauguração de um grande empreendimento.

“Mais tarde, há uma disputa pelo ponto comercial. O empresário vai chegar a um lugar, mas o concorrente já comprou. Quanto maior a antecedência em ‘farejar’ uma oportunidade, melhor”, afirma.

Porém, Dolabela declara que a existência de um novo público no bairro não é garantia de sucesso. Tão importante quanto identificar a oportunidade é aproveitá-la com algo que saiba fazer. “Se alguém que nunca teve contato com salões de beleza, por exemplo, criar um negócio na área só para atender à nova demanda, a chance de fracassar é maior.”

Novo público chega cheio de necessidades
Segundo o consultor do Sebrae-SP Marcelo Sinelli, a chegada de um condomínio residencial traz um grande número de novos moradores cheios de necessidades ao bairro. Restaurantes, lavanderias, ajustes de roupas, salões de beleza e estética, deliveries e escolas infantis são os negócios mais demandados. “O morador precisa de serviços que dão conforto à vida dele”, diz.

O perfil dos moradores deve ser levado em conta na escolha do negócio. Se o serviço oferecido não for compatível com a necessidade local, a empresa tende a fracassar. “Na região da rua Augusta, em São Paulo (SP), o público é formado por jovens solteiros. Como eles não têm filhos, uma escola infantil não seria um negócio interessante”, afirma Sinelli.

Universidade ou faculdades, de acordo com o consultor do Sebrae-SP, geram oportunidades no entorno para copiadoras, bares, lanchonetes, cafeterias com acesso à internet, lan houses e escolas de idiomas. “São serviços que facilitam a vida do estudante. Ele já está ali e, antes ou depois da aula, pode estudar uma língua estrangeira.”

Oportunidades existem antes dos empreendimentos
Para Marcelo Aidar, professor da escola de administração de empresas da FGV (Fundação Getulio Vargas), condomínios, shoppings e universidades são ágeis em identificar regiões onde está havendo crescimento rápido. Portanto, são muito mais ampliadores de tendências de negócio do que criadores.

Segundo Aidar, se há interesse de um empreendimento de grande porte em se instalar num bairro, é porque já existe demanda por negócios na região. “É difícil dizer que o empreendimento por si só cria oportunidades de negócios. Em geral, ele procura lugares que estão em crescimento e já têm oportunidades”, declara.

Afonso Ferreira
UOL – Notícias Economia

A chegada de empreendimentos de grande porte a um bairro pode causar mudanças propícias para a geração de novos negócios na região. Condomínios residenciais, universidades, shoppings, obras viárias são alguns exemplos que costumam abrir portas para empresas ingressarem no mercado.

O empreendedor que quer se antecipar à concorrência deve estar atento a esses movimentos. E o planejamento de quem quer aproveitar essas tendências deve começar o quanto antes. Se possível, assim que for identificado o local onde um grande empreendimento será construído, de acordo com o fundador da consultoria Starta e autor de livros sobre empreendedorismo, Fernando Dolabela.

Informações importantes como quantidade de pessoas atraídas e perfil do público-alvo podem ser obtidas com a construtora do empreendimento. “Pelo perfil do próprio bairro também dá para ter essa noção. Quem se preparar com antecedência tem mais chances de lucrar”, diz.

Veja 5 dicas para aproveitar oportunidades no seu bairro:

1. Condomínios demandam serviços e conforto
A chegada de um condomínio residencial a um bairro demanda, principalmente, serviços ligados ao conforto dos moradores. Restaurantes, lavanderias, salões de beleza e estética, ajuste de roupas, deliveries e escolas são os mais comuns. Porém, o consultor do Sebrae-SP Marcelo Sinelli diz que o sucesso do negócio está ligado ao perfil dos moradores. “Na região da rua Augusta, em São Paulo (SP), o público é formado, na maioria, por jovens solteiros. Como eles não têm filhos, uma escola infantil, por exemplo, não é um negócio interessante.”

2. Facilitar vida do estudante pode ser negócio
Em bairros que vão receber universidades ou faculdades, o empreendedor deve pensar em negócios que facilitem a vida do estudante. Copiadoras, bares, lanchonetes, cafeterias com acesso à internet, lan houses e escolas de idiomas são boas opções. “O aluno já está ali e, antes ou depois da aula, ele pode estudar uma língua estrangeira”, afirma Sinelli.

3. Cinemas e teatros criam público para negócios da noite
Equipamentos culturais, como cinemas e teatros, costumam atrair, principalmente, jovens e em períodos noturnos. Lanchonetes, bares, casas de shows e baladas podem aproveitar bem o fluxo deste público durante a noite. Mas, de acordo com o consultor do Sebrae-SP, há muitas divisões de gosto entre os jovens. “Há o pessoal que curte sertanejo, pagode e os que gostam de música eletrônica. O empreendedor precisa saber qual é o perfil de público que ele quer atrair.”

4. Obras viárias são ‘bênção e maldição’ para os negócios
Segundo Sinelli, a criação ou o prolongamento de uma avenida pode ser, ao mesmo tempo, “uma bênção e uma maldição” para os negócios. O novo trecho traz um fluxo maior de veículos, mas as pessoas podem passar pelas lojas sem dar atenção. Em outros casos, a região pode se transformar em um novo centro comercial. Cada situação precisa ser estudada individualmente. Estações de trem, metrô e terminais de ônibus, dão força ao comércio local, principalmente para novos bazares e papelarias. “São serviços que atenderão quem mora, trabalha ou estuda na região”, diz.

5. Shopping também gera oportunidades do lado de fora
Para o consultor do Sebrae-SP, um shopping não gera só oportunidades de negócios em seu interior, mas também na lado de fora. Há uma valorização do bairro e as pessoas são atraídas para morar na região. Neste contexto, a prestação de serviços ganha forças no entorno. Já o comércio, tem dificuldades para enfrentar a concorrência. “Este comerciante precisa ter um diferencial muito bom, senão a tendência é que o consumidor vá para o shopping”, declara.

Grandes empreendimentos mexem com preço de pontos comerciais
Os empreendedores que esperarem o término das obras para iniciar o plano de negócios sairão perdendo. O preço dos imóveis e o aluguel na região inflacionam após a inauguração de um grande empreendimento.

“Mais tarde, há uma disputa pelo ponto comercial. O empresário vai chegar a um lugar, mas o concorrente já comprou. Quanto maior a antecedência em ‘farejar’ uma oportunidade, melhor”, afirma.

Porém, Dolabela declara que a existência de um novo público no bairro não é garantia de sucesso. Tão importante quanto identificar a oportunidade é aproveitá-la com algo que saiba fazer. “Se alguém que nunca teve contato com salões de beleza, por exemplo, criar um negócio na área só para atender à nova demanda, a chance de fracassar é maior.”

Novo público chega cheio de necessidades
Segundo o consultor do Sebrae-SP Marcelo Sinelli, a chegada de um condomínio residencial traz um grande número de novos moradores cheios de necessidades ao bairro. Restaurantes, lavanderias, ajustes de roupas, salões de beleza e estética, deliveries e escolas infantis são os negócios mais demandados. “O morador precisa de serviços que dão conforto à vida dele”, diz.

O perfil dos moradores deve ser levado em conta na escolha do negócio. Se o serviço oferecido não for compatível com a necessidade local, a empresa tende a fracassar. “Na região da rua Augusta, em São Paulo (SP), o público é formado por jovens solteiros. Como eles não têm filhos, uma escola infantil não seria um negócio interessante”, afirma Sinelli.

Universidade ou faculdades, de acordo com o consultor do Sebrae-SP, geram oportunidades no entorno para copiadoras, bares, lanchonetes, cafeterias com acesso à internet, lan houses e escolas de idiomas. “São serviços que facilitam a vida do estudante. Ele já está ali e, antes ou depois da aula, pode estudar uma língua estrangeira.”

Oportunidades existem antes dos empreendimentos
Para Marcelo Aidar, professor da escola de administração de empresas da FGV (Fundação Getulio Vargas), condomínios, shoppings e universidades são ágeis em identificar regiões onde está havendo crescimento rápido. Portanto, são muito mais ampliadores de tendências de negócio do que criadores.

Segundo Aidar, se há interesse de um empreendimento de grande porte em se instalar num bairro, é porque já existe demanda por negócios na região. “É difícil dizer que o empreendimento por si só cria oportunidades de negócios. Em geral, ele procura lugares que estão em crescimento e já têm oportunidades”, declara.

Afonso Ferreira
UOL – Notícias Economia


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.







Um Comentário

  1. Flávio disse:

    Como o crescimento de nossa cidade, este texto veio na hora certa. Ótimas dicas e conselhos




Deixe seu Comentário