Inovação

19 Janeiro, 2018 • Inovação

O mercado de experiências únicas

Esquece. O cliente não quer mais comprar coisas. Não só isso. Junto com a compra, ele quer ter uma experiência única, marcante e inesquecível. Essa mudança de comportamento estabelece novos desafios e oportunidades, e gera também uma mudança na economia.

Citada pela primeira vez no final da década de 1990 por Joseph Pine e James Gilmore, ambos especialistas em mercado pela Universidade de Harvard, a chamada economia da experiência reforça a necessidade de surpreender e criar uma ligação diferente com o cliente que escolheu a sua marca. Em Campo Grande, tem empresário que já entendeu o conceito do novo consumo, ou o consumo do novo.

Flavio Estevam, fundador da Dinneer, conta que a ideia de criar os jantares compartilhados entre desconhecidos nasceu da observação. “Uma pessoa postou no Instagram um jantar que fez e, nos comentários, os seguidores escreveram coisas do tipo ‘me convida’”. Assim como os sites mundiais que conectam viajantes a pessoas que abrem suas casas para o aluguel de quartos, Estevam se desafiou a estruturar a maior comunidade dos apaixonados por gastronomia.

Mas como fazer para experimentar? Quem gosta de comer fora, entra no site, escolhe o que deseja provar do cardápio e quanto quer pagar. Tudo online. O anfitrião prepara a sua especialidade e abre as portas de casa com uma pitada de ansiedade. Afinal, não sabe realmente quem vem para jantar.

Mesa posta, a partilha às escuras tem comprovado que além da experiência gourmet acessível e surpreendente, novas amizades são formadas. Em 2015, ano de estreia da Dinneer, o primeiro jantar foi promovido em apenas 2 dias. Hoje, a comunidade soma 49 países, 500 cidades, mais de 3 mil anfitriões e 40 mil usuários. “É uma prova real de que os negócios podem ser globais mesmo surgindo em Campo Grande”, incita Estevam, lembrando ainda que a Dinneer configura como a 1ª startup do Living Lab do Sebrae de Mato Grosso do Sul.

Novos lugares, diversas culturas

Na mesma estratégia de promover o desenvolvimento pessoal, a sócia-proprietária da Premier Turismo, Ana Paula Silveira, decidiu embarcar em roteiros de viagens sensoriais. Desde quando um grupo sai de Campo Grande, o acompanhante é sempre um chef de renome que conhece os restaurantes e a cultura culinária do destino escolhido. Isso ajuda a evitar desprazeres, como pegar um cardápio e não fazer ideia do que será servido; ou não saber que, para fazer uma reserva na Europa, você já tem que escolher o menu.

A proposta é garantir uma experiência agradável e saborosa. O chef Marcílio Galeano vai, em breve, para a França acompanhando dez casais que querem mais que conhecer a região do espumante mais célebre do mundo, ou os imponentes castelos do Vale do Luar. Para aguçar o momento, os restaurantes de raiz fazem parte do roteiro fora do lugar comum.

Já foi assim no Festival Gastronômico de Pipa, ciceroneado por Edu Rejala. O encanto da viagem está registrado na vida da Débora Charro, umas das participantes do passeio. “É maravilhoso poder unir dois prazeres: viajar e comer, ainda mais em alto nível”, comemora a efusão de sensações.

E você? Lembra quando foi a última vez que deslumbrou o seu cliente? Para continuar lendo mais sobre o assunto e se inspirando, acesse este artigo, este outro e baixe a Cartilha do Projeto Economia da Experiência preparada pelo Sebrae.


Que bom tê-lo como leitor do blog do Sebrae MS!
Tem interesse em saber mais sobre as nossas consultorias?

Clique aqui!







Deixe seu Comentário