Inovação

24 junho, 2019 • Inovação

Marketing de experiência: foco total no cliente

Mais do que nunca, o mercado está altamente competitivo para as empresas. Inovação e tecnologia desafiam a criatividade e a indústria da comunicação tem buscado, na ciência, estratégias para se reinventar.

Nesse sentido, os estudos sobre o comportamento do consumidor, conhecimentos da mente humana e emoções têm criado novas possibilidades de relacionamento entre pessoas e marcas. Uma dessas possibilidades é o marketing de experiência, estratégia focada em transformar o produto ou a marca em uma experiência exclusiva para o cliente ou público-alvo.

“O foco do marketing de experiência é criar uma vinculação afetiva e emocional entre o cliente e o produto ou marca; ou seja, as ações são voltadas para promover conexão”, explica Renato Lima, jornalista e psicólogo.

De acordo com Renato, há vários estudos apontando que experiências positivas fidelizam o cliente com a marca e aumentam o valor do ticket médio. Apostar nesse tipo de estratégia faz com que o cliente gaste mais, compre outros produtos e se torne um defensor da marca.

Thiago Müller

O professor do curso de Comunicação Social da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Thiago Müller, explica que ações que utilizam o marketing de experiência como norte acionam as áreas cerebrais que coordenam prazer e felicidade. “Na prática vemos; dinâmicas de premiações, trabalhos com músicas, iluminações e cheiros, endossamento com celebridades, degustações, entre outras práticas que possam caminhar de forma alinhada às diretrizes estratégicas da empresa”, diz.

Mas atenção: Marketing de experiência não funciona como receita de bolo. “Cada ação deve ser customizada, considerando o produto e o público impactado. É preciso considerar que a porta de entrada da experiência são os cinco sentidos, ou seja, quanto mais sentidos forem ativados, maior será a experiência do cliente”, alerta Renato Lima.

Colocando a estratégia para funcionar

Renato Lima

Há várias ações que podem ser feitas dentro do marketing de experiência, e Renato Lima nos dá um exemplo. “Um estudo da Universidade Rockfeller de Nova York atesta que a fragrância personalizada aumenta em 16% a permanência no ponto de venda; em 14,8% a probabilidade de compra e em 6% as vendas efetivas”.

Você já tinha parado para pensar que oferecer uma experiência olfativa agradável poderia agregar na relação com o cliente?! Pois é esse tipo de sacada que o marketing de experiência traz. E para colocá-lo em prática você deve olhar para o seu produto ou serviço para entender qual experiência deve ser oferecida.

Ainda dando exemplos, podemos citar o lançamento antecipado para um determinado grupo de pessoas, convidando-o antes de abrir para o público em geral, ou edições limitadas e numeradas de determinados produtos. Nesses casos, o lucro não é o objetivo e sim causar essa sensação de escassez e valorização dos poucos que tiveram acesso àquilo.

Outra forma de utilizar o marketing de experiência é criar um produto com o nome do cliente, o que causa um impacto emocional intenso e inesquecível.

Tendência dentro e fora das empresas

Estudar e entender como os clientes se relacionam com as marcas é um assunto tão interessante que as faculdades já notaram a necessidade de trazer disciplinas voltadas ao tema. “Quando uma universidade apresenta essa discussão aos seus alunos ainda na academia, não apenas os qualifica em comparação aos demais profissionais, mas capacita a sociedade sobre produções e limitações éticas importantes aos trabalhos com humanos”, explica o professor Thiago Müller.

Mais do que nunca, o mercado está altamente competitivo para as empresas. Inovação e tecnologia desafiam a criatividade e a indústria da comunicação tem buscado, na ciência, estratégias para se reinventar.

Nesse sentido, os estudos sobre o comportamento do consumidor, conhecimentos da mente humana e emoções têm criado novas possibilidades de relacionamento entre pessoas e marcas. Uma dessas possibilidades é o marketing de experiência, estratégia focada em transformar o produto ou a marca em uma experiência exclusiva para o cliente ou público-alvo.

“O foco do marketing de experiência é criar uma vinculação afetiva e emocional entre o cliente e o produto ou marca; ou seja, as ações são voltadas para promover conexão”, explica Renato Lima, jornalista e psicólogo.

De acordo com Renato, há vários estudos apontando que experiências positivas fidelizam o cliente com a marca e aumentam o valor do ticket médio. Apostar nesse tipo de estratégia faz com que o cliente gaste mais, compre outros produtos e se torne um defensor da marca.

Thiago Müller

O professor do curso de Comunicação Social da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Thiago Müller, explica que ações que utilizam o marketing de experiência como norte acionam as áreas cerebrais que coordenam prazer e felicidade. “Na prática vemos; dinâmicas de premiações, trabalhos com músicas, iluminações e cheiros, endossamento com celebridades, degustações, entre outras práticas que possam caminhar de forma alinhada às diretrizes estratégicas da empresa”, diz.

Mas atenção: Marketing de experiência não funciona como receita de bolo. “Cada ação deve ser customizada, considerando o produto e o público impactado. É preciso considerar que a porta de entrada da experiência são os cinco sentidos, ou seja, quanto mais sentidos forem ativados, maior será a experiência do cliente”, alerta Renato Lima.

Colocando a estratégia para funcionar

Renato Lima

Há várias ações que podem ser feitas dentro do marketing de experiência, e Renato Lima nos dá um exemplo. “Um estudo da Universidade Rockfeller de Nova York atesta que a fragrância personalizada aumenta em 16% a permanência no ponto de venda; em 14,8% a probabilidade de compra e em 6% as vendas efetivas”.

Você já tinha parado para pensar que oferecer uma experiência olfativa agradável poderia agregar na relação com o cliente?! Pois é esse tipo de sacada que o marketing de experiência traz. E para colocá-lo em prática você deve olhar para o seu produto ou serviço para entender qual experiência deve ser oferecida.

Ainda dando exemplos, podemos citar o lançamento antecipado para um determinado grupo de pessoas, convidando-o antes de abrir para o público em geral, ou edições limitadas e numeradas de determinados produtos. Nesses casos, o lucro não é o objetivo e sim causar essa sensação de escassez e valorização dos poucos que tiveram acesso àquilo.

Outra forma de utilizar o marketing de experiência é criar um produto com o nome do cliente, o que causa um impacto emocional intenso e inesquecível.

Tendência dentro e fora das empresas

Estudar e entender como os clientes se relacionam com as marcas é um assunto tão interessante que as faculdades já notaram a necessidade de trazer disciplinas voltadas ao tema. “Quando uma universidade apresenta essa discussão aos seus alunos ainda na academia, não apenas os qualifica em comparação aos demais profissionais, mas capacita a sociedade sobre produções e limitações éticas importantes aos trabalhos com humanos”, explica o professor Thiago Müller.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário