Casos de Sucesso

Agregar valor aos produtos é um caminho para o aumento da renda do produtor rural

Uma das principais alternativas para assentados, agricultores familiares e produtores rurais para aumentar a renda com sua atividade é agregar valor à produção, e a industrialização dos alimentos surge como uma boa opção.

Esse foi o caso da produtora Vanilce Aparecida Souza dos Santos, de Terenos, que em um momento de dificuldade financeira transformou a produção de doces de banana, que era destinada apenas ao consumo da família, em uma atividade comercial.

“A experiência foi muito boa. Fiz o aproveitamento, industrializando, o que agrega valor ao produto, que é o objetivo maior da agroindústria”, explica Vanilce, completando que com ajuda da produção de barrinhas e geléias conseguiu superar a adversidade.

Para que o negócio desse certo, a produtora rural foi buscar informação. “Procuramos saber como seria, quais os trâmites legais para eu conseguir a licença; participei de seminários para conhecer melhor o mercado que estava entrando”, diz a produtora.

Segundo o consultor do Sebrae/MS, Alberto Silva Escote, esse é o caminho para o produtor. “A primeira vantagem seria a agregação de valor, em que a pessoa vende por um preço mais competitivo e também entra em outros mercados. Ao agregar valor ao produto, ela aumenta o leque de opções de mercado”.

Escote comenta que criar uma agroindústria exige mais do que aptidão, é necessário seguir as normas de boas práticas definidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – quando o produto é de origem vegetal – e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) – para produtos de origem animal.

Segundo a consultora do Sebrae/MS e médica veterinária, Raquel Braga, o empresário que pretende abrir o negócio ou se formalizar deve seguir as normas estabelecidas. “Se o empresário não estiver adequado às normas de produção, ele não conseguirá o alvará”.

De acordo com a consultora, seguir as normas é fundamental para o sucesso do empreendimento. “As normas vão fazer com que o empresário produza o alimento seguro, isento de qualquer coisa que possa tirar a saúde de quem está consumindo”, explica a médica veterinária.

Ela ainda ressalta as principais falhas dos empresários, quando montam uma agroindústria sem orientação. “Os principais erros estão na adequação do layout do maquinário, no uso de materiais incorretos que podem contaminar os alimentos, na falta de higienização na produção e de padronização do produto”, complementa que o processo deve ser sempre acompanhado por um técnico especializado.

PADRONIZAR

Com o sucesso dos seus doces no mercado, Vanilce diz que o próximo passo do trabalho é padronizar a produção. “Agora vamos criar um rótulo para comercializar em supermercados e, assim, fazer a venda em grande escala”, enfatiza.

Conexão Sebrae – Ed. 63

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário