Dicas de Empreendedorismo

Os três pilares do Design Thinking para micro e pequenas empresas

abcImagine a situação: você tem um restaurante que é vizinho de outro estabelecimento do mesmo ramo que o seu. Aparentemente, também oferece opções gastronômicas semelhantes. Então, o que fazer para atrair as pessoas ao seu negócio? Para o especialista em design de serviços da Livework, Luis Alt, olhar a empresa com a visão do cliente é o ponto de partida para se diferenciar no mercado.

“Tenho que conseguir estruturar um serviço dentro da necessidade do meu cliente”, diz Luis. E quanto menor o porte da empresa mais fácil é deixar o serviço personalizado. “Quando a empresa é pequena o dono está perto, conhece bem cada cliente e pode visualizar suas expectativas. Quando ela começa a crescer a distancia aumenta e é preciso ter maneiras estruturadas para que este cliente continue sendo colocado em primeiro lugar”, expõe.

Aí é que entra o design de serviços e o design thinking, que podem ser aplicados a micro e pequenas empresas de qualquer ramo, e, de acordo com Luis, se baseia em três pilares:
Empatia – criar vínculo com as pessoas;
Colaboração – fazê-las participar da criação de um novo padrão de atendimento e;
Experimentação – testar para angariar rapidamente feedbacks, e achar a melhor solução para o cliente o mais cedo possível.

Na prática, existem várias estratégias para tornar um serviço mais atrativo e conquistar a preferência do cliente. Nos dias 4 e 5 de novembro, Luis Alt vai abordar o assunto em palestra gratuita e workshop, promovidos pelo Sebrae, em Campo Grande. As inscrições podem ser feitas pelo site: www.ms.sebrae.com.br

Ouça em entrevista com Luis Alt, no Estação Sebrae Rádio Web e saiba mais.

Por Janaína Mansilha
Sebrae/MS

abcImagine a situação: você tem um restaurante que é vizinho de outro estabelecimento do mesmo ramo que o seu. Aparentemente, também oferece opções gastronômicas semelhantes. Então, o que fazer para atrair as pessoas ao seu negócio? Para o especialista em design de serviços da Livework, Luis Alt, olhar a empresa com a visão do cliente é o ponto de partida para se diferenciar no mercado.

“Tenho que conseguir estruturar um serviço dentro da necessidade do meu cliente”, diz Luis. E quanto menor o porte da empresa mais fácil é deixar o serviço personalizado. “Quando a empresa é pequena o dono está perto, conhece bem cada cliente e pode visualizar suas expectativas. Quando ela começa a crescer a distancia aumenta e é preciso ter maneiras estruturadas para que este cliente continue sendo colocado em primeiro lugar”, expõe.

Aí é que entra o design de serviços e o design thinking, que podem ser aplicados a micro e pequenas empresas de qualquer ramo, e, de acordo com Luis, se baseia em três pilares:
Empatia – criar vínculo com as pessoas;
Colaboração – fazê-las participar da criação de um novo padrão de atendimento e;
Experimentação – testar para angariar rapidamente feedbacks, e achar a melhor solução para o cliente o mais cedo possível.

Na prática, existem várias estratégias para tornar um serviço mais atrativo e conquistar a preferência do cliente. Nos dias 4 e 5 de novembro, Luis Alt vai abordar o assunto em palestra gratuita e workshop, promovidos pelo Sebrae, em Campo Grande. As inscrições podem ser feitas pelo site: www.ms.sebrae.com.br

Ouça em entrevista com Luis Alt, no Estação Sebrae Rádio Web e saiba mais.

Por Janaína Mansilha
Sebrae/MS


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.







Um Comentário

  1. […] design de serviço é muito diferente do design de produto. O design de produto também se preocupa em ouvir o cliente para criar produtos cada vez […]




Deixe seu Comentário