Empreendedorismo

4 coisas que os clientes realmente querem de você

o-vendedor-sapatoO cliente nem sempre sabe o que quer, e muitas vezes, cabe ao vendedor o papel de ajudá-lo a descobrir. Sim, existem clientes difíceis que parecem ter como missão complicar a vida de quem está do outro lado do balcão. Entretanto, vendedores e pequenos empresários precisam entender que a venda de um produto ou serviço não significa que a missão está cumprida.

Independente da área de atuação da sua pequena empresa, o treinamento da equipe é essencial para que a imagem da sua marca não seja arranhada e que a propaganda boca a boca tenha efeito, de forma positiva. “As empresas precisam pensar que o cliente quer ser surpreendido”, afirma Diego Maia, presidente do Grupo CDPV (Centro do Desenvolvimento do Profissional de Vendas).

Com a ajuda de Carlos Cruz, diretor do IBVendas, e Maia, Exame.com listou quatro coisas que os clientes esperam da sua empresa.

1. Respeito
O primeiro contato é crucial. O vendedor está falando em nome da empresa e, por mais que o cliente esteja em um dia ruim, as boas maneiras devem ser mantidas. Coloque-se no lugar do cliente e lembre-se de que atitudes grosseiras podem afastar qualquer tipo de pessoa. “Todo mundo gosta de ser bem tratado”, afirma Maia.

Para Cruz, deduzir o que o cliente quer antes mesmo de escutar o que ele está buscando é uma armadilha. “Não subestime o potencial do cliente”, afirma ele.

2. Agilidade
Quando a preguiça do vendedor é tão evidente que o próprio consumidor tem que ir atrás do que ele precisa, tem alguma coisa errada. Ser proativo, entretanto, não é despejar informações e inúmeras opções de produtos. Foque na solução e ajude o cliente a entender o que ele quer e o que vai comprar. “Só não vale tentar empurrar coisas que não tem nada a ver”, conta Cruz.

O atendimento foi todo perfeito, mas se em outras etapas da compra ou da prestação de serviços, a demora interferir a ponto de o cliente cogitar desistir da compra, tudo terá sido em vão. “Os processos não podem demorar”, afirma Maia. Para isso, é preciso que o empreendedor adote medidas ou invista em softwares que auxiliem o momento da venda.

3. Criatividade
Não use o mesmo discurso para todos. Aquela velha história de que o produto é perfeito para você é um clichê que não agrada ninguém. “Vendedor tem que focar na solução e saber fazer perguntas”, afirma Cruz.

O ideal, de acordo com o especialista, é sugerir até três opções que atendam à necessidade do cliente. “Fuja do script, porém conecte-se à realidade do cliente”, completa Cruz.

4. Credibilidade
Consistência no discurso e na prática é o que leva uma empresa a ter credibilidade no mercado, com seus fornecedores e clientes. Por isso, se o dono do negócio age de maneira que contraria os valores que ele expõe no slogan da loja, por exemplo, nem sua equipe de funcionários o respeitará.

O cliente precisa confiar no serviço e produto que está comprando e o responsável por essa ponte é o vendedor, que deve fazer com que a credibilidade da empresa não seja colocada em risco.

Ao omitir uma informação, só para que a venda seja realizada, o vendedor estará colocando a imagem da empresa, do dono do negócio e até mesmo do que ele acabou de vender em risco. “Se um vendedor falta com a verdade ou mente, isso pode ser catastrófico”, afirma Maia.

Caso o vendedor não tenha a informação que o consumidor necessita, a sinceridade é o único caminho. “Quero me certificar de que não lhe darei uma informação errada” é uma das frases que ele gostaria de escutar.

Camila Lam
Exame.com
Foto: Getty Images

o-vendedor-sapatoO cliente nem sempre sabe o que quer, e muitas vezes, cabe ao vendedor o papel de ajudá-lo a descobrir. Sim, existem clientes difíceis que parecem ter como missão complicar a vida de quem está do outro lado do balcão. Entretanto, vendedores e pequenos empresários precisam entender que a venda de um produto ou serviço não significa que a missão está cumprida.

Independente da área de atuação da sua pequena empresa, o treinamento da equipe é essencial para que a imagem da sua marca não seja arranhada e que a propaganda boca a boca tenha efeito, de forma positiva. “As empresas precisam pensar que o cliente quer ser surpreendido”, afirma Diego Maia, presidente do Grupo CDPV (Centro do Desenvolvimento do Profissional de Vendas).

Com a ajuda de Carlos Cruz, diretor do IBVendas, e Maia, Exame.com listou quatro coisas que os clientes esperam da sua empresa.

1. Respeito
O primeiro contato é crucial. O vendedor está falando em nome da empresa e, por mais que o cliente esteja em um dia ruim, as boas maneiras devem ser mantidas. Coloque-se no lugar do cliente e lembre-se de que atitudes grosseiras podem afastar qualquer tipo de pessoa. “Todo mundo gosta de ser bem tratado”, afirma Maia.

Para Cruz, deduzir o que o cliente quer antes mesmo de escutar o que ele está buscando é uma armadilha. “Não subestime o potencial do cliente”, afirma ele.

2. Agilidade
Quando a preguiça do vendedor é tão evidente que o próprio consumidor tem que ir atrás do que ele precisa, tem alguma coisa errada. Ser proativo, entretanto, não é despejar informações e inúmeras opções de produtos. Foque na solução e ajude o cliente a entender o que ele quer e o que vai comprar. “Só não vale tentar empurrar coisas que não tem nada a ver”, conta Cruz.

O atendimento foi todo perfeito, mas se em outras etapas da compra ou da prestação de serviços, a demora interferir a ponto de o cliente cogitar desistir da compra, tudo terá sido em vão. “Os processos não podem demorar”, afirma Maia. Para isso, é preciso que o empreendedor adote medidas ou invista em softwares que auxiliem o momento da venda.

3. Criatividade
Não use o mesmo discurso para todos. Aquela velha história de que o produto é perfeito para você é um clichê que não agrada ninguém. “Vendedor tem que focar na solução e saber fazer perguntas”, afirma Cruz.

O ideal, de acordo com o especialista, é sugerir até três opções que atendam à necessidade do cliente. “Fuja do script, porém conecte-se à realidade do cliente”, completa Cruz.

4. Credibilidade
Consistência no discurso e na prática é o que leva uma empresa a ter credibilidade no mercado, com seus fornecedores e clientes. Por isso, se o dono do negócio age de maneira que contraria os valores que ele expõe no slogan da loja, por exemplo, nem sua equipe de funcionários o respeitará.

O cliente precisa confiar no serviço e produto que está comprando e o responsável por essa ponte é o vendedor, que deve fazer com que a credibilidade da empresa não seja colocada em risco.

Ao omitir uma informação, só para que a venda seja realizada, o vendedor estará colocando a imagem da empresa, do dono do negócio e até mesmo do que ele acabou de vender em risco. “Se um vendedor falta com a verdade ou mente, isso pode ser catastrófico”, afirma Maia.

Caso o vendedor não tenha a informação que o consumidor necessita, a sinceridade é o único caminho. “Quero me certificar de que não lhe darei uma informação errada” é uma das frases que ele gostaria de escutar.

Camila Lam
Exame.com
Foto: Getty Images


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário


ankara escort çankaya escort ankara escort çankaya escort escort ankara çankaya escort escort bayan çankaya istanbul rus escort eryaman escort escort bayan ankara ankara escort kızılay escort istanbul escort ankara escort ankara rus escort escort çankaya ankara escort bayan istanbul rus Escort atasehir Escort beylikduzu Escort Ankara Escort malatya Escort kuşadası Escort gaziantep Escort izmir Escort