Dicas de Empreendedorismo

26 outubro, 2018 • Dicas de Empreendedorismo

Desafios e oportunidades do Turismo na era digital

Se você acompanha o Blog do Sebrae MS, tem visto nossos conteúdos sobre como a revolução digital tem transformado importantes segmentos da economia, como o varejo, a indústria e o agronegócio. Hoje, vamos falar sobre um setor que cresceu 7% em um ano e em 2017 movimentou US$ 163 bilhões no Brasil, valor equivalente a 7,9% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro daquele ano: o Turismo.

Esses dados fazem parte do estudo econômico elaborado pela Oxford Economic para Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), principal consultoria independente do setor no mundo, que aponta, ainda, que a contribuição do turismo para o PIB nacional deve registrar crescimento de 2,5% em 2018 e chegar a 8,2% em 2028.

Diante desse cenário de expansão e crescimento, Claudio Forner, administrador de empresas, consultor e palestrante, chama atenção para as mudanças que a transformação digital traz para o segmento e que impactam as maneiras de vender, atender os clientes turistas e de fazer do turismo um bom negócio.

“Com a inteligência artificial, a digitalização e a automatização dos processos, cada vez mais sabe-se muito do consumidor de turismo antes mesmo de ele tomar decisões. Então a ‘guerra da concorrência’ vai acontecer em um ambiente que as pessoas não vão mais enxergar. Serão algoritmos complexos e customizados que irão manipular, de forma positiva, os dados e informações para capturar esses clientes, segundo suas preferências, gostos, comportamento, personalidade e performance financeira”, explica Forner.

Parece uma realidade distante, mas não é. Parece inacessível para o micro e pequeno empreendedor. E também não é. Pelo contrário, os pequenos negócios e o associativismo são os protagonistas desse novo cenário porque têm a cultura de manter as pessoas próximas e unidas. É comum os negócios do mesmo segmento se verem como concorrentes e tentarem esconder informações sobre o público, mas isso não existe mais, as informações estão aí, acessíveis para quem quiser. Por isso, não cabe mais ação isolada, o mundo digital é colaborativo.

Na prática, iniciativas que unem os diferentes serviços dentro do segmento de turismo (transporte, hotelaria, hospedagem, alimentação, gastronomia, entre outros) para que gastem uma única vez com estratégias digitais para atrair o cliente são soluções inteligentes para que todos lucrem.

“Mato Grosso do Sul tem o que o mundo deseja e compra: a natureza exuberante, que é um potencial a ser explorado. Precisa criar estrutura para atender bem e de uma maneira que preserve essa riqueza natural. Com investimento inteligente, é possível criar destinos com núcleos de excelência em muito pouco tempo”, defende Forner.

Empreendedorismo Social e Diversidade

“Viajar é uma grande potência que potencializa economia e pessoas.” A fala é do geólogo carioca e fundador da Diaspora.Black, Carlos Humberto da Silva, ao revelar que, entre 2013 e 2018, os gastos com turismo cresceram 105%, principalmente entre as classes C,D e E. 

E o setor pode faturar muito mais: as projeções são de 40 milhões novos consumidores até 2022. Mas, para dar conta da demanda, o setor precisa inovar e se preparar.

“Observando as tendências mundiais de turismo, a tecnologia vai tomar conta também aqui no Brasil. E é interessante ver como as informações capturadas pela tecnologia podem ser utilizadas como Inteligência, de modo a atender as preferências e as limitações das pessoas colocando-as diante das melhores experiências. Grupos específicos como idosos, famílias com crianças, e até mesmo animais de estimação, podem se beneficiar e garantir um bom retorno ao negócio”, exemplifica Carlos.

Do ponto de vista de comportamento, o mercado também vem sofrendo transformações, o que nos aponta algumas tendências e oportunidades:

– Destinos inexplorados – Destinos clichês que sofrem com a superlotação de turistas têm sido substituídos por cidades menores, mais vazias e baratas, locais históricos e importantes culturalmente, onde é possível “mergulhar” na cultura local e entrar em contato com a comunidade para adquirir conhecimento.

– Culinária Autêntica – O turista de hoje quer viver e conhecer a cultura do local, e não existe melhor maneira de fazer isso que conhecendo a culinária original do local. Agendar refeições com moradores da região pode ser uma experiência mais barata, porém, muito mais rica.

– Foco nos espaços comuns – Hotéis e pousadas podem investir em espaços amplos e comunitários sem medo, em vez de aumentar o tamanho dos quartos, pois é isto que os novos viajantes esperam: conhecer pessoas novas, compartilhar, trocar ideias e histórias.

– Turismo consciente – O turista tende a ser mais consciente e se preocupar com os impactos que sua viagem trará. Os turistas têm buscado destinos “eco-friendly” e maneiras de incentivar a economia local, adquirindo bens em pequenos comércios.

Em novembro e dezembro, “Turismo e Economia Criativa” são destaque no nosso Sebrae Inspira. Acesse https://www.sebraeinspira.com.br/, confira a programação e participe.

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário