Dicas de Empreendedorismo

18 setembro, 2019 • Dicas de Empreendedorismo

Dicas de gestão de startups com Leonardo Rebitte

Para quem busca se informar e se atualizar sobre assuntos como empreendedorismo, inovação e gestão, o que não faltam são conteúdos sobre tendências, plano de negócios, fluxo de caixa, entre outros temas que parecem ser dúvidas e dificuldades comuns para quem empreende. Aqui no Blog do Sebrae MS, inclusive, você encontra muitos deles.

Existem, no entanto, situações no dia a dia da vida do empreendedor que manual algum consegue prever e só quem vivencia na prática os desafios de ser o dono do próprio negócio é que sabe.

gestão de startups

Leonardo Rebitte é CEO da Mutual, startup pioneira e líder do segmento de crédito colaborativo específico para pessoas físicas, que conta com mais de 200 mil usuários ativos, entre tomadores de empréstimos e investidores, e já intermediou mais de R$ 6 milhões em empréstimos.

Aos 39 anos, Leonardo conquistou seu primeiro milhão aos 18 anos, já escreveu dois livros e já fundou cinco startups, mas também já perdeu muito dinheiro, levou calote de sócio e faliu empresas. Em uma passagem por Campo Grande, Leonardo conversou com a equipe do Blog do Sebrae MS e é dessa experiência toda que vêm as lições que vamos dividir com você aqui. Confira!  

Time = Equipe = Pessoas

“Ninguém faz nada sozinho. É o clichê mais verdadeiro que eu conheço no mundo das startups. Não importa quão inovadora seja a ideia, se você não tiver as pessoas certas ao seu lado, o negócio não vai pra frente”, explica Leonardo.

Para montar o time, Leonardo recomenda que você busque pessoas diferentes de você. “Pessoas que pensam diferente, que trazem olhares novos para uma mesma situação, enriquecem as discussões e aumentam as chances de sucesso do negócio”.

Depois que você escolheu seu time, valorize esses profissionais: invista neles, pague treinamentos, não tenha medo de perdê-los por um salário maior oferecido por uma outra empresa. Quanto mais eles sentirem valorizados, mais gratos e fiéis e eles serão à sua empresa.

Estabeleça uma política de Governança desde o início, defina quem faz o que, estipule alçadas e cobre isso.

Como última dica do assunto “time”, Leonardo é enfático ao recomendar: tenha um DevOps no time! Por mais que seja um profissional difícil de ser encontrado e um pouco mais caro, o investimento vale a pena. É ele quem vai te ajudar em momentos que dinheiro nenhum vale o risco de perder a sua startup e a sua ideia.

Não se esqueça do básico

Não é porque a startup está começando – e ninguém sabe muito bem para onde vai – que você vai tratá-la com amadorismo. Faça contratos, tenha os registros comerciais e atente para os direitos e proteções relacionados ao nome e produtos da empresa, pague todos os impostos. Se sentir dificuldades, contrate uma assessoria jurídica ou contábil.

Execução

Para Leonardo, nada é mais importante que a execução da ideia. “É nessa fase que tudo dá errado e a gente tenda a desistir. Meu conselho é: fuja da síndrome do impostor, que surge quando a gente se depara com dificuldades e quer desistir da nossa ideia, procurar outras mais fáceis. Mantenha o foco e não tenha vergonha de pedir ajuda”, afirma.

Produto

Reid Hoffman, fundador do Linkedin, disse certa vez: “Se vc não tem vergonha da primeira versão de seu produto, você demorou demais para lançar”. Ou seja, tenha em mente a ideia completa (e não só a ideia inicial), mas não espere demais para lançar. Avance em pequenos MVPs, lance e teste.

Leonardo também recomenda que você tenha em mente as respostas para as seguintes perguntas:

– O que você vende?

– Qual a dor que o seu produto resolve?

– Quem é o seu cliente?

– Por que seu cliente compra seu produto?

Vendas

Considerada a segunda parte mais difícil do processo, é importante responder as perguntas listadas acima para descobrir onde estão os seus clientes e, assim, traçar estratégias de aquisição. Entre explicações sobre funil de vendas, custo de aquisição de clientes e ROI, Leonardo desmistifica a relação Faturamento x Lucro. “Estar negativo não é um problema, se a sua estratégia prevê isso. O Nubank está no prejuízo até hoje, mas captando cada vez mais clientes. Vai chegar uma hora que vai entrar na curva de quilíbrio e passar a ter lucro. Essa foi uma estratégia definida por eles”, explica. 

Escala

Grande diferencial de uma startup para outras empresas, o potencial de escalabilidade é também um grande desafio. Leonardo recomenda automatizar processos para reduzir custos e tempo, estabilizar tecnologia, terceirizar canais de aquisição e utilizar Beta Testers para colher feedbacks.

Parcerias

A princípio, estabelecer parcerias parece ser uma boa ideia, mas Leonardo faz um alerta: ao identificarem o potencial da sua ideia, vai aparecer de tudo, só feche a parceria se fizer MUITO sentido, caso contrário será uma âncora que vai te prender e prejudicar o seu negócio.

Saída

Sim, no mundo das startups, as histórias têm início, meio e fim. O fim, chamado de saída, acontece quando o empreendedor decide que chegou a hora de vender sua participação. E isso pode acontecer por vários motivos. Aqui, Leonardo faz uma única pergunta: qual o seu número? “O empreendedor precisa saber qua o valor de saída quer atingir, ou seja, quanto ele quer colocar no bolso por ter investido e participado do processo de crescimento da startup”, explica.

Para finalizar, Leonardo deixa uma último conselho. “Independentemente do que as pessoas disserem, confie no seu instinto e faça o que tem em mente. Persista e o sucesso virá!”.

Viu só quantas ficas legais? Inspire-se e conte com o Sebrae MS e o Living Lab MS sempre para levar seu negócio adiante.

Para quem busca se informar e se atualizar sobre assuntos como empreendedorismo, inovação e gestão, o que não faltam são conteúdos sobre tendências, plano de negócios, fluxo de caixa, entre outros temas que parecem ser dúvidas e dificuldades comuns para quem empreende. Aqui no Blog do Sebrae MS, inclusive, você encontra muitos deles.

Existem, no entanto, situações no dia a dia da vida do empreendedor que manual algum consegue prever e só quem vivencia na prática os desafios de ser o dono do próprio negócio é que sabe.

gestão de startups

Leonardo Rebitte é CEO da Mutual, startup pioneira e líder do segmento de crédito colaborativo específico para pessoas físicas, que conta com mais de 200 mil usuários ativos, entre tomadores de empréstimos e investidores, e já intermediou mais de R$ 6 milhões em empréstimos.

Aos 39 anos, Leonardo conquistou seu primeiro milhão aos 18 anos, já escreveu dois livros e já fundou cinco startups, mas também já perdeu muito dinheiro, levou calote de sócio e faliu empresas. Em uma passagem por Campo Grande, Leonardo conversou com a equipe do Blog do Sebrae MS e é dessa experiência toda que vêm as lições que vamos dividir com você aqui. Confira!  

Time = Equipe = Pessoas

“Ninguém faz nada sozinho. É o clichê mais verdadeiro que eu conheço no mundo das startups. Não importa quão inovadora seja a ideia, se você não tiver as pessoas certas ao seu lado, o negócio não vai pra frente”, explica Leonardo.

Para montar o time, Leonardo recomenda que você busque pessoas diferentes de você. “Pessoas que pensam diferente, que trazem olhares novos para uma mesma situação, enriquecem as discussões e aumentam as chances de sucesso do negócio”.

Depois que você escolheu seu time, valorize esses profissionais: invista neles, pague treinamentos, não tenha medo de perdê-los por um salário maior oferecido por uma outra empresa. Quanto mais eles sentirem valorizados, mais gratos e fiéis e eles serão à sua empresa.

Estabeleça uma política de Governança desde o início, defina quem faz o que, estipule alçadas e cobre isso.

Como última dica do assunto “time”, Leonardo é enfático ao recomendar: tenha um DevOps no time! Por mais que seja um profissional difícil de ser encontrado e um pouco mais caro, o investimento vale a pena. É ele quem vai te ajudar em momentos que dinheiro nenhum vale o risco de perder a sua startup e a sua ideia.

Não se esqueça do básico

Não é porque a startup está começando – e ninguém sabe muito bem para onde vai – que você vai tratá-la com amadorismo. Faça contratos, tenha os registros comerciais e atente para os direitos e proteções relacionados ao nome e produtos da empresa, pague todos os impostos. Se sentir dificuldades, contrate uma assessoria jurídica ou contábil.

Execução

Para Leonardo, nada é mais importante que a execução da ideia. “É nessa fase que tudo dá errado e a gente tenda a desistir. Meu conselho é: fuja da síndrome do impostor, que surge quando a gente se depara com dificuldades e quer desistir da nossa ideia, procurar outras mais fáceis. Mantenha o foco e não tenha vergonha de pedir ajuda”, afirma.

Produto

Reid Hoffman, fundador do Linkedin, disse certa vez: “Se vc não tem vergonha da primeira versão de seu produto, você demorou demais para lançar”. Ou seja, tenha em mente a ideia completa (e não só a ideia inicial), mas não espere demais para lançar. Avance em pequenos MVPs, lance e teste.

Leonardo também recomenda que você tenha em mente as respostas para as seguintes perguntas:

– O que você vende?

– Qual a dor que o seu produto resolve?

– Quem é o seu cliente?

– Por que seu cliente compra seu produto?

Vendas

Considerada a segunda parte mais difícil do processo, é importante responder as perguntas listadas acima para descobrir onde estão os seus clientes e, assim, traçar estratégias de aquisição. Entre explicações sobre funil de vendas, custo de aquisição de clientes e ROI, Leonardo desmistifica a relação Faturamento x Lucro. “Estar negativo não é um problema, se a sua estratégia prevê isso. O Nubank está no prejuízo até hoje, mas captando cada vez mais clientes. Vai chegar uma hora que vai entrar na curva de quilíbrio e passar a ter lucro. Essa foi uma estratégia definida por eles”, explica. 

Escala

Grande diferencial de uma startup para outras empresas, o potencial de escalabilidade é também um grande desafio. Leonardo recomenda automatizar processos para reduzir custos e tempo, estabilizar tecnologia, terceirizar canais de aquisição e utilizar Beta Testers para colher feedbacks.

Parcerias

A princípio, estabelecer parcerias parece ser uma boa ideia, mas Leonardo faz um alerta: ao identificarem o potencial da sua ideia, vai aparecer de tudo, só feche a parceria se fizer MUITO sentido, caso contrário será uma âncora que vai te prender e prejudicar o seu negócio.

Saída

Sim, no mundo das startups, as histórias têm início, meio e fim. O fim, chamado de saída, acontece quando o empreendedor decide que chegou a hora de vender sua participação. E isso pode acontecer por vários motivos. Aqui, Leonardo faz uma única pergunta: qual o seu número? “O empreendedor precisa saber qua o valor de saída quer atingir, ou seja, quanto ele quer colocar no bolso por ter investido e participado do processo de crescimento da startup”, explica.

Para finalizar, Leonardo deixa uma último conselho. “Independentemente do que as pessoas disserem, confie no seu instinto e faça o que tem em mente. Persista e o sucesso virá!”.

Viu só quantas ficas legais? Inspire-se e conte com o Sebrae MS e o Living Lab MS sempre para levar seu negócio adiante.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário