Internet e Redes Sociais

14 fevereiro, 2018 • Internet e Redes Sociais

Apostando nos e-marketplaces

A internet mudou a maneira de fazer negócios, mas isso não é novidade. Entre redes sociais e lojas virtuais (e-commerces), as e-marketplaces surgem como uma opção atrativa para micros e pequenas empresas que querem vender pela internet com pouco investimento, baixo risco e grandes chances de crescer – em faturamento e valor de marca.

O e-marketplace é o shopping center do mundo virtual; ou seja, dentro de uma mesma estrutura, várias empresas de diferentes segmentos anunciam e vendem seus produtos on-line. O consumidor pode decidir com facilidade os itens que quer comprar, e paga tudo de uma só vez. A plataforma fica com uma percentagem da venda (que pode variar de 9,5% a 30%, dependendo da visibilidade da marca dentro da plataforma), e a sua empresa se responsabiliza pelo atendimento e entrega do produto.

Esse modelo de negócio foi popularizado no mundo pela norte-americana Amazon, que até hoje é a maior referência no assunto. No Brasil, começou a ganhar força em 2012; Mercado Livre e Elo7 são os mais conhecidos.

Como todo negócio, as e-marketplaces possuem riscos, desafios e vantagens. Os dois primeiros caminham juntos: lojistas ruins com atendimento ruim, produtos de baixa qualidade e dificuldade de cumprir prazos podem destruir a reputação de uma boa plataforma e de todas as outras lojas que nela estão.

Para o empresário que está inserido neste tipo de plataforma, o desafio continua sendo os mesmos da loja física: gestão do negócio e divulgação/visibilidade dos produtos.

Quando falamos de vantagens, a primeira delas é a possibilidade de testar seu modelo de negócio, já que vender online demanda bastante dedicação e tempo com os processos de estoque, administração, atendimento e logística.

O investimento é reduzido, uma vez que você não tem que criar um site novo do zero e investir em divulgação em sites de busca, redes sociais e em marketing digital para se tornar conhecido.

O tráfego de clientes dos e-marketplaces é alto, já que a maioria deles está no ar há bastante tempo e tem certa credibilidade. Isso aumenta as chances de visibilidade da sua empresa e, consequentemente, de vendas e faturamento.

A plataforma facilita, também, o processo de fidelização de clientes, já que o e-marketplace oferece uma estrutura completa de atendimento e operação de venda. O trabalho do lojista se torna mais simples, fazendo valer o investimento na comissão de venda da plataforma, que se transforma na métrica do custo por aquisição de novos clientes.

Algumas dicas

Para quem quer operar em uma plataforma de e-marketplace, além de entender o funcionamento da parte financeira da loja e suas regras, é preciso se atentar a alguns detalhes:

  1. Invista em boas fotos dos produtos, com boa resolução e de diferentes ângulos e partes;
  1. Faça descrição completa e detalhada dos produtos;
  1. Para se destacar da concorrência, invista em algum diferencial, como oferecer uma cortesia ou um brinde na primeira compra;
  1. Monitore a concorrência e coloque preços atrativos em tempo real;
  1. Organize o fluxo de caixa: nem sempre o repasse do valor da compra é imediato.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o funcionamento de um e-marketplace e acha que é uma boa alternativa para o seu negócio, procure o Sebrae. Temos as melhores soluções para você.

 

Fonte: https://www.jn2.com.br/blog/o-que-e-marketplace/

 









Deixe seu Comentário