Marketing e Vendas

13 maio, 2020 • Marketing e Vendas

O que esperar e como se adaptar ao novo consumo pós-coronavírus

Todo empresário vem refletindo nesse momento se vai conseguir ou não sobreviver após a pandemia de Covid-19. Com a baixa na demanda, prefeituras ordenando fechamento dos negócios e a população em quarentena, só resta pensar em maneiras de conseguir manter o seu negócio agora e o que esperar do varejo no pós-crise.

Algumas medidas emergenciais já devem ter sido tomadas para conter os gastos, evitar a perda de empregos e fechar as portas do seu negócio. Mas o mais importante agora é buscar fontes alternativas de receitas e pensar para onde está indo o seu cliente, com esse novo comportamento de consumo de deliverys, e-commerces e marketplaces.

O crescimento acentuado de delivery

Quem já trabalha com isso, teve que intensificar o atendimento e, inclusive, se relacionar muito bem com a sua base de clientes para contornar os efeitos da quarentena nos últimos meses.

E os negócios que ainda não oferecem esse tipo de serviço, mas têm a possibilidade de incluí-lo, podem apostar nessa alternativa para que a empresa continue a vender.

Venda além da loja física

Para quem já tem e-commerce ou marketplace, intensificar foi palavra de ordem. E muitos até pensaram em meios de fazer com que os funcionários recebessem comissões para cada venda na loja virtual, por exemplo. Mantendo, assim, o entusiasmo e esforço da equipe, além de movimentar o fluxo de caixa.

E quem ainda não trabalha com essas estratégias, já passou da hora de começar. Essa crise vai fazer com que a transformação digital do varejo seja muito mais rápida, então, aproveite esse momento e faça a sua loja chegar até o cliente.

É hora de se preparar para um novo ciclo que está sendo transformado com o novo hábito de consumo dos clientes, e se você não estiver preparado agora, vai ser ainda mais difícil depois. Porque essa crise vai passar, então, quem melhor se adaptar sairá mais forte.

Consolidação da omnicanalidade

De acordo com o especialista em varejo, Daniel Zanco, não dá mais para pensar em um varejo só físico ou só digital, o consumidor hoje permeia esses dois mundos e você precisa estar presente em ambos. Então, integrá-los é a saída para sobreviver agora e se consolidar após a pandemia.

Essa é uma das fortes tendências do varejo que veio para ficar e que vai separar quem vai sobreviver e quem não vai. E só vai conseguir quem tiver atitude e capacidade de se adaptar a um novo cenário.

“Esse é um momento de treinar a equipe, fazer o inventário, pensar em como o seu negócio pode ser melhor, investir no e-commerce e aproveitar para assanhar sua base de clientes”, explica Daniel.

Para onde está indo o varejo?

Além da integração da loja física com o meio digital, o especialista também alerta sobre mais quatro grandes movimentos de tendências no varejo que você deve estar de olho para o pós-Covid-19:

1.   Capitalismo consciente

Seja impulsionado pelos consumidores, ou pelos próprios empresários, isso é uma mudança de comportamento geral, um reflexo na mudança de comportamento da população como um todo e a gente percebe um jeito mais consciente de fazer e planejar.

2.   Fidelidade

Não há um grande varejista que não tenha investido em bons programas de fidelidade, porque é muito caro trazer novos clientes. Então manter os meus consumidores é uma prática muito usual.

“Faz todo o sentido cuidar muito bem dos clientes, porque isso faz com que eu consiga mapear comportamento de compra, negociar melhor com a indústria, fazer ofertas customizadas e planejamento de sortimento”, explica Daniel.

3.   Experiência de compra

Investir em lojas encantadoras e que seduzam os consumidores. É cada vez mais importante ter uma loja que não seja só um ponto de venda, e sim de relacionamento.

“As marcas perceberam que a loja tem um papel muito mais do que só vender produto, é lá que eu reforço meu relacionamento e onde eu consigo transpirar e transmitir o DNA da minha marca”, comenta Daniel.

4.   Tecnovarejo

Tecnologia aplicada dentro do varejo, seja para melhorar a experiência de compra, ou na eficiência operacional, para gerar valor na experiência do consumidor.

Curtiu as nossas dicas? Sua empresa já está no rumo para ter muito sucesso agora e após a pandemia? Conte sempre com os especialistas do Sebrae para te orientar!

Todo empresário vem refletindo nesse momento se vai conseguir ou não sobreviver após a pandemia de Covid-19. Com a baixa na demanda, prefeituras ordenando fechamento dos negócios e a população em quarentena, só resta pensar em maneiras de conseguir manter o seu negócio agora e o que esperar do varejo no pós-crise.

Algumas medidas emergenciais já devem ter sido tomadas para conter os gastos, evitar a perda de empregos e fechar as portas do seu negócio. Mas o mais importante agora é buscar fontes alternativas de receitas e pensar para onde está indo o seu cliente, com esse novo comportamento de consumo de deliverys, e-commerces e marketplaces.

O crescimento acentuado de delivery

Quem já trabalha com isso, teve que intensificar o atendimento e, inclusive, se relacionar muito bem com a sua base de clientes para contornar os efeitos da quarentena nos últimos meses.

E os negócios que ainda não oferecem esse tipo de serviço, mas têm a possibilidade de incluí-lo, podem apostar nessa alternativa para que a empresa continue a vender.

Venda além da loja física

Para quem já tem e-commerce ou marketplace, intensificar foi palavra de ordem. E muitos até pensaram em meios de fazer com que os funcionários recebessem comissões para cada venda na loja virtual, por exemplo. Mantendo, assim, o entusiasmo e esforço da equipe, além de movimentar o fluxo de caixa.

E quem ainda não trabalha com essas estratégias, já passou da hora de começar. Essa crise vai fazer com que a transformação digital do varejo seja muito mais rápida, então, aproveite esse momento e faça a sua loja chegar até o cliente.

É hora de se preparar para um novo ciclo que está sendo transformado com o novo hábito de consumo dos clientes, e se você não estiver preparado agora, vai ser ainda mais difícil depois. Porque essa crise vai passar, então, quem melhor se adaptar sairá mais forte.

Consolidação da omnicanalidade

De acordo com o especialista em varejo, Daniel Zanco, não dá mais para pensar em um varejo só físico ou só digital, o consumidor hoje permeia esses dois mundos e você precisa estar presente em ambos. Então, integrá-los é a saída para sobreviver agora e se consolidar após a pandemia.

Essa é uma das fortes tendências do varejo que veio para ficar e que vai separar quem vai sobreviver e quem não vai. E só vai conseguir quem tiver atitude e capacidade de se adaptar a um novo cenário.

“Esse é um momento de treinar a equipe, fazer o inventário, pensar em como o seu negócio pode ser melhor, investir no e-commerce e aproveitar para assanhar sua base de clientes”, explica Daniel.

Para onde está indo o varejo?

Além da integração da loja física com o meio digital, o especialista também alerta sobre mais quatro grandes movimentos de tendências no varejo que você deve estar de olho para o pós-Covid-19:

1.   Capitalismo consciente

Seja impulsionado pelos consumidores, ou pelos próprios empresários, isso é uma mudança de comportamento geral, um reflexo na mudança de comportamento da população como um todo e a gente percebe um jeito mais consciente de fazer e planejar.

2.   Fidelidade

Não há um grande varejista que não tenha investido em bons programas de fidelidade, porque é muito caro trazer novos clientes. Então manter os meus consumidores é uma prática muito usual.

“Faz todo o sentido cuidar muito bem dos clientes, porque isso faz com que eu consiga mapear comportamento de compra, negociar melhor com a indústria, fazer ofertas customizadas e planejamento de sortimento”, explica Daniel.

3.   Experiência de compra

Investir em lojas encantadoras e que seduzam os consumidores. É cada vez mais importante ter uma loja que não seja só um ponto de venda, e sim de relacionamento.

“As marcas perceberam que a loja tem um papel muito mais do que só vender produto, é lá que eu reforço meu relacionamento e onde eu consigo transpirar e transmitir o DNA da minha marca”, comenta Daniel.

4.   Tecnovarejo

Tecnologia aplicada dentro do varejo, seja para melhorar a experiência de compra, ou na eficiência operacional, para gerar valor na experiência do consumidor.

Curtiu as nossas dicas? Sua empresa já está no rumo para ter muito sucesso agora e após a pandemia? Conte sempre com os especialistas do Sebrae para te orientar!


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário