Plano de Negócios

21 janeiro, 2018 • Plano de Negócios

Escolha bem o ponto do seu negócio

Um dos aspectos que podem definir o sucesso de seu empreendimento diz respeito à escolha da localização do ponto comercial. Entender o perfil do público que você deseja atingir, assim como a logística exigida pelo tipo de produto que irá comercializar, o tipo de estrutura necessária, horários de funcionamento, entre outros detalhes, faz toda a diferença.

Especialistas indicam que um dos primeiros passos antes de definir onde abrir seu negócio é a preparação de uma lista com 20 a 30 itens fundamentais. Parece exaustivo, mas a ideia é esgotar ao máximo os imprevistos.

João Paulo Meirelles é proprietário de uma loja especializada em cervejas especiais, a Hop Beer, no Shopping Bosque dos Ipês. O empreendimento que existe há dois anos cresceu e chamou a atenção do público. “Estamos indo muito bem, desde que mudamos para cá e passamos a oferecer novos tipos de choppe, aumentamos em mais de 100% o número de clientes e também o faturamento. A tendência é que 2018 seja ainda melhor”, afirma. Meirelles já comandou um bar em Campo Grande e, há quatro anos e meio, iniciou o trabalho com cervejas especiais.

“Minha esposa assumiu o quiosque de uma franquia no Shopping Campo Grande, mas a estrutura era bem menor e ela decidiu fechá-lo uns três meses depois que abri a loja”, explica. Segundo ele, dessa vez, no Bosque, a opção foi por criar uma nova marca, sem atrelá-la a qualquer franquia. “Desenvolvi a marca do zero. Do quiosque fui para uma loja, na qual tenho toda a estrutura de que necessito. Lugar para lavar copos, estoque, geladeiras, uma chopeira com quatro torneiras. Isso me permitiu mudar minha forma de atendimento”, comenta.

Em um centro comercial, as regras costumam ser mais rígidas e específicas, fazendo com que o lojista tenha de se adaptar. Por outro lado, há a comodidade e a segurança oferecidas pelo local.

Da rua para o shopping

Há quase três anos em Campo Grande, a loja da Cavalera – renomada marca de roupas que alia moda, música e arte – é comandada por Daniel Simioli e Cristiane Marques. Depois de uma aposta na Rua Antônio Maria Coelho, eles decidiram mudar de ponto e abrir a loja no Shopping Campo Grande. “Optamos por começar na rua porque sabemos que todo negócio oferece risco, e ali os custos seriam menores. A própria marca nos incentivou a isso, a loja-modelo da Cavalera fica na Oscar Freire em São Paulo”, afirma.

No entanto, Daniel conta que acabou se decepcionando. “Embora a rua escolhida tenha o perfil de público que buscávamos, é uma via de fluxo muito intenso, as pessoas não viam a vitrine nem paravam para visitar a loja”, conta.

Com a mudança para o centro comercial, o faturamento da loja quadruplicou e o sócio-proprietário ressalta ter sido um grande acerto. “O shopping tem um apelo para o cliente, principalmente quando se trata do segmento de moda. Embora tenhamos mais gastos com encargos, o fluxo na loja compensou bastante a mudança”, explica.

Vice-versa

Para o publicitário Saulo Flores, a mudança da loja Santo Anjo do Shopping Norte Sul Plaza para a Rua Euclides da Cunha foi necessária por diversos motivos. “Em uma loja de rua, existe mais liberdade em vários aspectos que me pareceram importantes, como os custos com aluguel, por exemplo”, explica. Segundo Saulo, é mais difícil para um lojista pequeno negociar com a administração de um shopping. “O empresário tem menos controle. Esse foi um dos motivos da mudança”, explica.

A Santo Anjo foi vendida para um novo proprietário um ano e meio após a mudança para a Euclides da Cunha. “Tive que reestruturar a loja, fazer as mercadorias girarem novamente e me recuperar dos prejuízos que tive antes de passar o ponto. Foi uma experiência importante em muitos aspectos”, explica. Em razão das dificuldades enfrentadas por conta da primeira escolha, Sampaio ressalta a importância de um bom planejamento. “Escolher bem o local é fundamental. Optamos pelo shopping porque achávamos que a nossa clientela se sentiria mais segura e teria acesso mais fácil a nossos produtos. Mas não foi bem assim”.

Apesar de ter abandonado o comércio para retornar à sua profissão de formação, a publicidade, Saulo afirma que aprendeu muito com o empreendimento próprio. Inclusive, ele sentiu necessidade de buscar conhecimentos específicos e fez o curso “Transformando gerentes em líderes”, no Sebrae em 2011. “Foi uma forma de melhorar meu trabalho com os colaboradores, criar um relacionamento que fosse benéfico para a loja. Isso fez toda a diferença”, pontua.

Existem algumas dicas podem ajudar na escolha de um local para o seu ponto de negócio. Além da lista de prioridades, também é importante conhecer as regras e saber o que se está autorizado a fazer. Visitar o ponto e checar detalhes como a movimentação da rua, a possibilidade dos clientes chegarem a pé, a presença de locais para estacionamento e, até mesmo, se o sol incide diretamente, pode ajudar a acertar. Como  o movimento muda, vale visitar em dias alternados e nos fins de semana.

Também é importante prestar atenção na concorrência e definir bem a duração de seu contrato, exigindo a chamada cláusula de vigência, que garante que o tempo de locação será respeitado até o final do prazo. E, na hora de decidir, esteja de cabeça fria, pense bastante a respeito e não haja por impulso. Se quiser mais dicas, o Sebrae preparou um artigo específico sobre o tema. Confira!

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário