Empreendedorismo

08 maio, 2020 • Empreendedorismo

A força da maternidade no empreendedorismo

Mesmo que nem todos possam viver a experiência de ser mãe, não é difícil perceber que essa é uma das “profissões” mais difíceis do mundo e repleta de desafios. Ser empreendedor também não é nada fácil. E o que dizer, então, daquelas mães que, inspiradas pela maternidade, resolveram encarar a dupla jornada entre filhos, marido, casa e a própria empresa?

No texto de hoje, você confere a história de uma super mamãe que se descobriu uma super empreendedora. E adivinhe só de onde veio a inspiração para suas ideias de negócios…

PerepePedro

Natural do Paraná, mas morando em Campo Grande desde 2001, Daniela Fracaro Gross teve sua primeira experiência como empreendedora com uma franquia na área de estética. Apesar da formação em administração de empresa, de ter feito o Programa Nascer Bem do Sebrae à época e se empenhado como franqueada, as coisas não saíram como ela gostaria e, depois de dois anos, vendeu sua franquia.

Logo na sequência, Daniela engravidou do seu primeiro filho, o Pedro. Mamãe de primeira viagem e com a família longe, enfrentou um momento difícil e delicado com a depressão pós-parto. “Pedro nasceu prematuro, então ficou uns dias no CTI e eu precisava tirar leite. Mesmo quando já estávamos em casa, eu não imaginava que amamentar seria tão difícil, me sentia muito sozinha, precisava fazer as coisas de casa, mas não sentia segurança de deixar ele sozinho”, relembra.

JumperooGoWild

Foi quando Daniela viu a propaganda do JumperooGoWild, um brinquedo que consiste em um assento giratório 360º com músicas, sons e luzes. Daniela pensou que seria ideal para distrair Pedro de uma forma segura enquanto ela resolvia as outras coisas. “Lembro que paguei bem caro na época, um R$ 800,00, parcelei. Quando o brinquedo chegou, Pedro estava com 7 meses, ele amou, ficou encantado”, conta.

Mas depois de 20 dias, o encanto acabou e Pedro não queria mais saber do brinquedo, fazia até escândalo quando a mãe tentava colocá-lo. E Daniela pensou: “o que eu vou fazer com esse brinquedo aqui que eu nem terminei de pagar? Foi quando eu pensei se não deveria ter alugado em vez de comprar, mas será que tem algum lugar que aluga esse tipo de coisas?”.

Daniela Fracaro Gross

Assim surgiu a ideia de negócio. Com uma pesquisa de mercado encomendada com o Sebrae, viu que a ideia foi muito bem aceita. Abriu seu MEI, criou um site e colocou alguns itens que Pedro não usava mais para alugar. Além disso, aproveitou uma viagem aos Estados Unidos, onde foi visitar os sogros, para também comprar mais algumas coisas.  Aí nasceu a Perepepê.com.

Pensando em sua própria experiência, Daniela queria facilitar a vida de outras mães, para que pudessem fazer tudo pela internet e receber o item em casa. Mas se deparou com algumas realidades diferentes: não eram só as mães que procuravam esse tipo de serviço, as avós – não muito adeptas da internet – também procuravam, mas tinham dificuldade em mexer. Além disso, o pagamento on-line ainda gerava uma certa insegurança e a mães pediam um local físico para ir, talvez pela necessidade de conversar com outras mães e trocar experiências.

Então há 7 anos abriu a loja física, que tem mais de 100 tipos de brinquedos para crianças de 0 a 6 anos para locação. O itens vão de bebê conforto a laptops infantis. Todos são seguros, com uma boa durabilidade e aprovados pelo Inmetro. “O foco maior da Perepepê são crianças de 0 a 2 anos porque o bebê muda o interesse muito rápido, os produtos costumam ser caros e são usados muito pouco, é difícil de guardar pra possibilidade de um segundo filho, ocupa espaço. Além disso, nossa empresa estimula o consumo consciente e a cultura do compartilhamento”, defende Daniela.

A Perepepê tem também alguns itens para as mamães que ainda estão gestantes, como o aparelho que permite ouvir os batimentos cardíacos pela barriga a partir de 14 semanas, e para as mamães que têm dificuldade para amamentar, como a bomba elétrica de tirar leite.

A higienização sempre foi muito rigorosa, mas nesses tempos de pandemia, ainda mais. Tudo é lavado com detergente ou sabão neutro, esterilizado com álcool 70% e até nos cantinhos são passados cotonetes.

Segundo filho, segunda empresa

Pedro e Fernando

O tempo passou e o segundo filho, Fernando, chegou. “Ele basicamente usou tudo que tinha na loja”, conta Daniela. Mas o tempo passou para o Pedro também (hoje com 8 anos) e começaram a surgir as festinhas de aniversário dos amiguinhos da escola pra ir.

Mais uma vez, Pedro foi inspiração para uma nova idade de negócios: a Perepepê Presentes Criativos. “Trabalhamos com almofadas, copos, mochilas, porta-retratos, estojos, itens de decoração e organização, tudo no estilo que as crianças maiores e os adolescentes gostam e pedem”, explica.

Daniela se considera uma mãe e empreendedora muito realizada. “Ser dona do meu próprio negócio me faz trabalhar muito, sem dúvida, ainda mais com duas empresas, mas também me permite ter o tempo necessário para dar atenção aos meus filhos. Penso em crescer mais com a empresa, mas sou muito realista e pé no chão, vou tomando as decisões de acordo com que as coisas vão acontecendo, nada que me tire o sono ou comprometa o meu tempo com a minha família”, finaliza.

É com essa história de sucesso de uma mãe empreendedora que o Sebrae MS parabeniza todas as mamães pelo seu dia!

Mesmo que nem todos possam viver a experiência de ser mãe, não é difícil perceber que essa é uma das “profissões” mais difíceis do mundo e repleta de desafios. Ser empreendedor também não é nada fácil. E o que dizer, então, daquelas mães que, inspiradas pela maternidade, resolveram encarar a dupla jornada entre filhos, marido, casa e a própria empresa?

No texto de hoje, você confere a história de uma super mamãe que se descobriu uma super empreendedora. E adivinhe só de onde veio a inspiração para suas ideias de negócios…

PerepePedro

Natural do Paraná, mas morando em Campo Grande desde 2001, Daniela Fracaro Gross teve sua primeira experiência como empreendedora com uma franquia na área de estética. Apesar da formação em administração de empresa, de ter feito o Programa Nascer Bem do Sebrae à época e se empenhado como franqueada, as coisas não saíram como ela gostaria e, depois de dois anos, vendeu sua franquia.

Logo na sequência, Daniela engravidou do seu primeiro filho, o Pedro. Mamãe de primeira viagem e com a família longe, enfrentou um momento difícil e delicado com a depressão pós-parto. “Pedro nasceu prematuro, então ficou uns dias no CTI e eu precisava tirar leite. Mesmo quando já estávamos em casa, eu não imaginava que amamentar seria tão difícil, me sentia muito sozinha, precisava fazer as coisas de casa, mas não sentia segurança de deixar ele sozinho”, relembra.

JumperooGoWild

Foi quando Daniela viu a propaganda do JumperooGoWild, um brinquedo que consiste em um assento giratório 360º com músicas, sons e luzes. Daniela pensou que seria ideal para distrair Pedro de uma forma segura enquanto ela resolvia as outras coisas. “Lembro que paguei bem caro na época, um R$ 800,00, parcelei. Quando o brinquedo chegou, Pedro estava com 7 meses, ele amou, ficou encantado”, conta.

Mas depois de 20 dias, o encanto acabou e Pedro não queria mais saber do brinquedo, fazia até escândalo quando a mãe tentava colocá-lo. E Daniela pensou: “o que eu vou fazer com esse brinquedo aqui que eu nem terminei de pagar? Foi quando eu pensei se não deveria ter alugado em vez de comprar, mas será que tem algum lugar que aluga esse tipo de coisas?”.

Daniela Fracaro Gross

Assim surgiu a ideia de negócio. Com uma pesquisa de mercado encomendada com o Sebrae, viu que a ideia foi muito bem aceita. Abriu seu MEI, criou um site e colocou alguns itens que Pedro não usava mais para alugar. Além disso, aproveitou uma viagem aos Estados Unidos, onde foi visitar os sogros, para também comprar mais algumas coisas.  Aí nasceu a Perepepê.com.

Pensando em sua própria experiência, Daniela queria facilitar a vida de outras mães, para que pudessem fazer tudo pela internet e receber o item em casa. Mas se deparou com algumas realidades diferentes: não eram só as mães que procuravam esse tipo de serviço, as avós – não muito adeptas da internet – também procuravam, mas tinham dificuldade em mexer. Além disso, o pagamento on-line ainda gerava uma certa insegurança e a mães pediam um local físico para ir, talvez pela necessidade de conversar com outras mães e trocar experiências.

Então há 7 anos abriu a loja física, que tem mais de 100 tipos de brinquedos para crianças de 0 a 6 anos para locação. O itens vão de bebê conforto a laptops infantis. Todos são seguros, com uma boa durabilidade e aprovados pelo Inmetro. “O foco maior da Perepepê são crianças de 0 a 2 anos porque o bebê muda o interesse muito rápido, os produtos costumam ser caros e são usados muito pouco, é difícil de guardar pra possibilidade de um segundo filho, ocupa espaço. Além disso, nossa empresa estimula o consumo consciente e a cultura do compartilhamento”, defende Daniela.

A Perepepê tem também alguns itens para as mamães que ainda estão gestantes, como o aparelho que permite ouvir os batimentos cardíacos pela barriga a partir de 14 semanas, e para as mamães que têm dificuldade para amamentar, como a bomba elétrica de tirar leite.

A higienização sempre foi muito rigorosa, mas nesses tempos de pandemia, ainda mais. Tudo é lavado com detergente ou sabão neutro, esterilizado com álcool 70% e até nos cantinhos são passados cotonetes.

Segundo filho, segunda empresa

Pedro e Fernando

O tempo passou e o segundo filho, Fernando, chegou. “Ele basicamente usou tudo que tinha na loja”, conta Daniela. Mas o tempo passou para o Pedro também (hoje com 8 anos) e começaram a surgir as festinhas de aniversário dos amiguinhos da escola pra ir.

Mais uma vez, Pedro foi inspiração para uma nova idade de negócios: a Perepepê Presentes Criativos. “Trabalhamos com almofadas, copos, mochilas, porta-retratos, estojos, itens de decoração e organização, tudo no estilo que as crianças maiores e os adolescentes gostam e pedem”, explica.

Daniela se considera uma mãe e empreendedora muito realizada. “Ser dona do meu próprio negócio me faz trabalhar muito, sem dúvida, ainda mais com duas empresas, mas também me permite ter o tempo necessário para dar atenção aos meus filhos. Penso em crescer mais com a empresa, mas sou muito realista e pé no chão, vou tomando as decisões de acordo com que as coisas vão acontecendo, nada que me tire o sono ou comprometa o meu tempo com a minha família”, finaliza.

É com essa história de sucesso de uma mãe empreendedora que o Sebrae MS parabeniza todas as mamães pelo seu dia!


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário