Dicas de Empreendedorismo

Como agir na crise – (parte 1)

Como devem procedr as micro e pequenas empresas no momento?

Antes de mais nada: manter a calma. Hora de ter cautela, atenção, sensatez e disposição para ajustes.

1) Micro e pequenas empresas que vendem para o consumidor final no mercado interno:

As empresas que vendem no mercado interno para o consumidor final devem, por enquanto, sentir menos a crise.
Haverá mais problemas se a recessão mundial for muito forte, atingir o Brasil e forma mais contundente e aumentar o desemprego no país. De qualquer forma,  o impacto será diferente dependendo do tipo de produto, populares ou não populares:

• As empresas que vendem produtos populares tendem a ser as menos fetadas, porque os salários menores continuarão com tendência de recuperação real  por exemplo, o salário mínimo que será reajustado em abril/maio acima da inflação.

• As empresas que vendem produtos mais caros enfrentarão condições de financiamento (ao consumo) mais desfavoráveis que nos anos anteriores (ver tem nº 4).

• As empresas que enfrentam a concorrência de produtos importados no mercado brasileiro podem ser até beneficiadas, porque os produtos importados ficarão 20% mais caros (supondo um novo patamar de equilíbrio próximo a R$ 2,00/R$ 2,10).

• As empresas que consomem • commodities agrícolas ou metálicas (ex.: soja, aço, ferro, cobre, etc.) também podem se beneficiar, devido à queda no preço dessas mercadorias no exterior, com possíveis impactos descendentes nos preços domésticos.

O que fazer:
• É fundamental controlar despesas e receitas. Atenção aos custos fixos. A crise será menos sentida por empresas com boa gestão. O esforço de venda deve ser redobrado, pense em alternativas para atrair novos clientes e fidelizar os antigos.

Fonte: Sebrae/SP
Enviado por Marli Sanches (Sebrae/MS)

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário