Empreendedorismo

20 outubro, 2017 • Empreendedorismo

Quer ser um líder completo? Não perca estes 8 filmes

Liderança é um assunto que nunca perde sua atualidade, afinal, quem a assume tem grande responsabilidade sobre os resultados que serão obtidos. Existem inúmeros formas de liderar, da mais autocrática à mais democrática. Atualmente, é cada vez mais comuns ver os perfis mais variados assumirem a função diante de equipes totalmente heterogêneas.

No Sebrae, você encontra cursos que te ajudam a se tornar um líder, por meio de aplicação de técnicas, ferramentas e habilidades que visam melhorar o seu desempenho e o de sua equipe. Um dos pontos essenciais é reconhecer potenciais, desenvolver competências e orientar para a definição de metas claras.

Pensando nisso, listamos oito filmes inspiradores, que apresentam comportamentos diversificados para líderes em contextos variados, nos quais têm de enfrentar desafios que vão da manutenção de uma trupe de artistas à resolução de questões linguísticas envolvendo alienígenas e militares. Confira:

  1. “Mad Max: Estrada da Fúria”, de George Miller (2015)

Max Rockatansky (Tom Hardy) é capturado pelo tirano Immortan Joe e seus rebeldes. Apesar de acreditar que estar sozinho é o melhor jeito de sobreviver, ele se vê obrigado a aceitar a ajuda da Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) para escapar. Embora o protagonista seja Max, a grande liderança nesse longa-metragem é Furiosa, que tenta salvar um grupo de garotas. Sempre preocupada com as pessoas que precisa proteger, ela não teme se sacrificar e enfrenta com coragem os desafios que surgem no caminho.

  1. “A Chegada”, de Denis Villeneuve (2016)

Quando gigantescos objetos alienígenas aparecem na superfície terrestre, cabe à doutora em linguística Louise Banks (Amy Adams) desvendar sinais que os extraterrestres usam como linguagem para entender se a humanidade está diante de uma ameaça ou não. Em um ambiente dominado por militares, cabe à especialista garantir conquistar seu espaço e descobrir como evitar uma catástrofe. O longa-metragem traz dilemas interessantes a serem observados, como a possibilidade de resolução de conflitos por meio de uma escuta atenta e o papel do conhecimento para a tomada de decisões estratégicas. Um filme complexo, mas que pode oferecer boas lições.

  1. “O Capital”, Costa-Gravas (2013)

O capitalismo financeiro exige audácia daqueles que decidem fazer parte desse jogo. Marc Tourneuil (Gad Elmaleh) assume o posto de CEO de um grande banco francês e precisa construir a imagem de um líder capaz de tomar as decisões necessárias para manter o poder. No entanto, os desdobramentos éticos de suas ações o colocam em uma posição que desagrada o conselho de diretores. Ao perceber que poderia ser usado como bode expiatório, Marc precisa mudar de postura e decidir se será ou não conivente com os planos exploratórios da empresa que lidera.

  1. “Cinema, Aspirinas e Urubus”, de Marcelo Gomes (2005)

Johann (Peter Ketnath) e Ranulpho (João Miguel) são os protagonistas desta história sobre amizade, que abre espaço para lições de empreendedorismo e liderança no sertão brasileiro. Viajando por pequenos vilarejos e exibindo filmes publicitários que divulgam as proezas de um novo medicamento chamado “aspirina”. Em uma espécie de road movie, Johann e Ranulpho exibem as imagens em movimento para pessoas simples, que nunca haviam tido contato com o audiovisual. O chamariz surge como oportunidade para vender os produtos, mas o filme vai além de constrõe um relacionamento no qual as diferenças somam-se para garantir o sucesso da empreitada.

  1. “Steve Jobs”, de Danny Boyle (2015)

Embora se trate de uma biografia de uma das mentes mais inquietas e brilhantes do século XX, “Steve Jobs” não segue a estrutura tradicional e a narrativa opta por focar no lançamento de três produtos importantes de sua carreira. A multidão em êxtase a cada um desses momentos é um dos sinais de que Jobs (Michael Fassbender) era capaz de inspirar sonhos muito além dos objetos que colocava no mercado. Nos bastidores, no entanto, o que vemos é a fragilidade de um homem real envolvido em problemas de relacionamento seja com a chefe de marketing da Apple, Joanna Hoffman (Kate Winslet), com sua filha ou com Steve Wozniack (Seth Rogen). Não confuda com “Jobs”, de 2013, estrelado por Ashton Kutcher.

  1. “A Lista de Schindler”, de Steven Spielberg (1993)

Baseado na história real do alemão Oskar Schindler, o filme dirigido por Steven Spielberg é um épico sobre o holocausto judeu durante a Segunda Guerra Mundial. O protagonista vê na mão de obra judia uma solução barata e viável para lucrar durante o conflito entre as nações, no entanto, a medida que se aproxima do povo judeu e percebe as intenções do Terceiro Reich, ele se vê moralmente obrigado a agir. A partir disso, Schindler não mede esforços para salvar quantos homens, mulheres e crianças puder. Um filme sobre coragem e compaixão que deverá inspirar aqueles que desejam se tornar líderes.

  1. “Tatuagem”, de Hilton Lacerda (2013)

O ano é 1978. Apesar de desgastada, a ditadura militar ainda exerce seu poder. É nesse cenário que uma trupe teatral mantém as atividades do cabaré Chão de Estrelas, um espaço da contra-cultura localizado entre duas cidades nordestinas. À frente deste cenário, Clécio Wanderley (Irandhir Santos) é a liderança responsável não apenas pelo funcionamento do cabaré, mas também pelas criações artísticas repletas de criatividade e anarquia, assim como por manter o equilíbrio entre os egos de atores e intelectuais que fazem parte da trupe. Um filme para ser visto sem preconceitos!

  1. “A Hora Mais Escura”, de Kathryn Bigelow (2013)

Os desafios da liderança feminina em um ambiente majoritariamente masculino são explorados neste filme, que recria a operação que capturou e assassinou Osama Bin Laden, líder da Al Qaeda morto no Paquistão. Maya (Jessica Chastain) é a agente da CIA designada para a busca de um dos homens mais procurados do mundo em um processo que durou cerca de dez anos. Numa cena, em um momento de descontração, fuzileiros navais conversam e um deles pergunta: “Você acredita nessa história? Osama Bin Laden?”. Outro responde que sim. “O que o convenceu”, retoma o primeiro. “A confiança dela”, finaliza o segundo. No final, a protagonista precisa se provar a todo o instante e inspirar aqueles que a acompanham em momento de muita tensão. O resultado, como sabemos, entrou para a história.

Quer saber como desenvolver suas habilidades de liderança? Confira as dicas da coach Maura Gabinio clicando aqui!

 

Liderança é um assunto que nunca perde sua atualidade, afinal, quem a assume tem grande responsabilidade sobre os resultados que serão obtidos. Existem inúmeros formas de liderar, da mais autocrática à mais democrática. Atualmente, é cada vez mais comuns ver os perfis mais variados assumirem a função diante de equipes totalmente heterogêneas.

No Sebrae, você encontra cursos que te ajudam a se tornar um líder, por meio de aplicação de técnicas, ferramentas e habilidades que visam melhorar o seu desempenho e o de sua equipe. Um dos pontos essenciais é reconhecer potenciais, desenvolver competências e orientar para a definição de metas claras.

Pensando nisso, listamos oito filmes inspiradores, que apresentam comportamentos diversificados para líderes em contextos variados, nos quais têm de enfrentar desafios que vão da manutenção de uma trupe de artistas à resolução de questões linguísticas envolvendo alienígenas e militares. Confira:

  1. “Mad Max: Estrada da Fúria”, de George Miller (2015)

Max Rockatansky (Tom Hardy) é capturado pelo tirano Immortan Joe e seus rebeldes. Apesar de acreditar que estar sozinho é o melhor jeito de sobreviver, ele se vê obrigado a aceitar a ajuda da Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) para escapar. Embora o protagonista seja Max, a grande liderança nesse longa-metragem é Furiosa, que tenta salvar um grupo de garotas. Sempre preocupada com as pessoas que precisa proteger, ela não teme se sacrificar e enfrenta com coragem os desafios que surgem no caminho.

  1. “A Chegada”, de Denis Villeneuve (2016)

Quando gigantescos objetos alienígenas aparecem na superfície terrestre, cabe à doutora em linguística Louise Banks (Amy Adams) desvendar sinais que os extraterrestres usam como linguagem para entender se a humanidade está diante de uma ameaça ou não. Em um ambiente dominado por militares, cabe à especialista garantir conquistar seu espaço e descobrir como evitar uma catástrofe. O longa-metragem traz dilemas interessantes a serem observados, como a possibilidade de resolução de conflitos por meio de uma escuta atenta e o papel do conhecimento para a tomada de decisões estratégicas. Um filme complexo, mas que pode oferecer boas lições.

  1. “O Capital”, Costa-Gravas (2013)

O capitalismo financeiro exige audácia daqueles que decidem fazer parte desse jogo. Marc Tourneuil (Gad Elmaleh) assume o posto de CEO de um grande banco francês e precisa construir a imagem de um líder capaz de tomar as decisões necessárias para manter o poder. No entanto, os desdobramentos éticos de suas ações o colocam em uma posição que desagrada o conselho de diretores. Ao perceber que poderia ser usado como bode expiatório, Marc precisa mudar de postura e decidir se será ou não conivente com os planos exploratórios da empresa que lidera.

  1. “Cinema, Aspirinas e Urubus”, de Marcelo Gomes (2005)

Johann (Peter Ketnath) e Ranulpho (João Miguel) são os protagonistas desta história sobre amizade, que abre espaço para lições de empreendedorismo e liderança no sertão brasileiro. Viajando por pequenos vilarejos e exibindo filmes publicitários que divulgam as proezas de um novo medicamento chamado “aspirina”. Em uma espécie de road movie, Johann e Ranulpho exibem as imagens em movimento para pessoas simples, que nunca haviam tido contato com o audiovisual. O chamariz surge como oportunidade para vender os produtos, mas o filme vai além de constrõe um relacionamento no qual as diferenças somam-se para garantir o sucesso da empreitada.

  1. “Steve Jobs”, de Danny Boyle (2015)

Embora se trate de uma biografia de uma das mentes mais inquietas e brilhantes do século XX, “Steve Jobs” não segue a estrutura tradicional e a narrativa opta por focar no lançamento de três produtos importantes de sua carreira. A multidão em êxtase a cada um desses momentos é um dos sinais de que Jobs (Michael Fassbender) era capaz de inspirar sonhos muito além dos objetos que colocava no mercado. Nos bastidores, no entanto, o que vemos é a fragilidade de um homem real envolvido em problemas de relacionamento seja com a chefe de marketing da Apple, Joanna Hoffman (Kate Winslet), com sua filha ou com Steve Wozniack (Seth Rogen). Não confuda com “Jobs”, de 2013, estrelado por Ashton Kutcher.

  1. “A Lista de Schindler”, de Steven Spielberg (1993)

Baseado na história real do alemão Oskar Schindler, o filme dirigido por Steven Spielberg é um épico sobre o holocausto judeu durante a Segunda Guerra Mundial. O protagonista vê na mão de obra judia uma solução barata e viável para lucrar durante o conflito entre as nações, no entanto, a medida que se aproxima do povo judeu e percebe as intenções do Terceiro Reich, ele se vê moralmente obrigado a agir. A partir disso, Schindler não mede esforços para salvar quantos homens, mulheres e crianças puder. Um filme sobre coragem e compaixão que deverá inspirar aqueles que desejam se tornar líderes.

  1. “Tatuagem”, de Hilton Lacerda (2013)

O ano é 1978. Apesar de desgastada, a ditadura militar ainda exerce seu poder. É nesse cenário que uma trupe teatral mantém as atividades do cabaré Chão de Estrelas, um espaço da contra-cultura localizado entre duas cidades nordestinas. À frente deste cenário, Clécio Wanderley (Irandhir Santos) é a liderança responsável não apenas pelo funcionamento do cabaré, mas também pelas criações artísticas repletas de criatividade e anarquia, assim como por manter o equilíbrio entre os egos de atores e intelectuais que fazem parte da trupe. Um filme para ser visto sem preconceitos!

  1. “A Hora Mais Escura”, de Kathryn Bigelow (2013)

Os desafios da liderança feminina em um ambiente majoritariamente masculino são explorados neste filme, que recria a operação que capturou e assassinou Osama Bin Laden, líder da Al Qaeda morto no Paquistão. Maya (Jessica Chastain) é a agente da CIA designada para a busca de um dos homens mais procurados do mundo em um processo que durou cerca de dez anos. Numa cena, em um momento de descontração, fuzileiros navais conversam e um deles pergunta: “Você acredita nessa história? Osama Bin Laden?”. Outro responde que sim. “O que o convenceu”, retoma o primeiro. “A confiança dela”, finaliza o segundo. No final, a protagonista precisa se provar a todo o instante e inspirar aqueles que a acompanham em momento de muita tensão. O resultado, como sabemos, entrou para a história.

Quer saber como desenvolver suas habilidades de liderança? Confira as dicas da coach Maura Gabinio clicando aqui!

 


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário