Destaque

Sucessão familiar: mantendo o negócio em família

A sucessão familiar é um assunto central das empresas familiares que constituem uma grande parcela dos grupos empresariais mundiais e nacionais.


A sucessão familiar é um assunto central das empresas familiares que constituem uma grande parcela dos grupos empresariais mundiais e nacionais.

Estudos revelam que este tipo de companhia representa a maioria das organizações do planeta, o que lhes garante um lugar de destaque na economia global. Geralmente, quando as pessoas pensam nesse segmento, imaginam empresas de “pequeno porte”, mas elas podem se desenvolver e se transformar em grandes organizações multinacionais.

No Estudo “Pesquisa de Empresas Familiares 2016” da PWC, lançado no fim do ano passado, 79% de 2,8 mil empresas pesquisadas dizem que esperam crescimento nos próximos cinco anos, mostrando otimismo dos empresários nesse segmento.

Mas, apesar dessa esperança geral, há um momento que todas essas empresas podem passar: a sucessão para membros mais jovens da família. Como fazê-la do melhor jeito? Listamos algumas dicas para lhe ajudar a proteger o legado de sua empresa.

Estabelecer o Plano de Sucessão Familiar

O primeiro passo, nesse caso, é saber quem serão os sucessores – tanto entre os membros da família gestores da empresa quanto a outros funcionários, identificando papéis ativos e não ativos para todos os membros da família. “Para lidar com as pressões dos pais em relação ao filho, é importante ouvir e ver este filho de perto. O mais importante é verificar se ele realmente tem as competências e as habilidades para, de fato, assumir o cargo”, afirma a psicóloga Sanami Esaki.

Crescimento e Sustentabilidade

As empresas familiares costumam ter histórias íntimas e culturas complexas que são difíceis de serem compreendidas por quem não é membro da família. As famílias de hoje costumam ser menos tradicionais do que já foram.“Uma das coisas mais complicadas nesse processo é o conflito de gerações, por isso, é preciso muita paciência e aprendizado de ambos os lados”, afirma Roberta Maia, gerente de marketing e capital humano da Servsal, empresa criada e gerida por seu pai o Sr. Roberto.

Além disso, essas companhias possuem várias outras questões que trabalham contra a continuação bem sucedida do negócio.

Felizmente, com foco e planejamento, a maioria destes problemas pode ser facilmente superado, prestando atenção aos detalhes. “Para o sucessor assumir o cargo, em primeiro momento, deve-se verificar se há o desejo em exercer. Caso exista este desejo, é importante lembrar que ninguém nasce pronto, ou seja, se o mesmo não apresenta esta habilidade e a competência, é necessário passar por um processo de desenvolvimento pessoal e profissional – processos estes que levam por volta de dois anos para desenvolver a capacidade para assumir este cargo”, explica Sanami.

Estabelecer Metas e Objetivos

É preciso analisar o plano de sucessão familiar atual e como de alcançar os objetivos desejados para isso. Desenvolver uma visão, metas e objetivos coletivos para o negócio é fundamental. “Entrei na empresa para contribuir para uma melhoria da gestão, tentando sempre aprender sobre o mercado”, comenta Roberta.

É preciso analisar o plano de sucessão familiar atual e como de alcançar os objetivos desejados para isso.

Estabelecer um processo decisório

Identificar e estabelecer processos de governança da sucessão familiar para envolver os membros da família na tomada de decisões e desenvolver um método para a resolução de eventuais disputas entre os membros da família são bons passos para isso.

Criar um plano de negócio

Abordar as implicações fiscais para o proprietário ou negócio após a venda ou transferência de propriedade da sucessão familiar, morte ou divórcio. Apesar de ser um assunto que ninguém quer falar, às vezes o negócio pode tomar caminhos inesperados devido a problemas de saúde. Por isso, ter um planejamento para um caso desses é fundamental para o contínuo sucesso da empresa. A Drª. Esaki ainda explica que “Caso haja necessidade de contratar uma pessoa de fora da família, é importante abrir um processo seletivo interno e oferecer a oportunidade para um colaborador que já tem o conhecimento do funcionamento desta empresa”.

Aprendizado sempre

A geração que criou a empresa sempre terá expertise sobre seu próprio negócio, por isso, é bom ficar atento a tudo o que eles fazem. A empresa familiar é aquela que está identificada com os valores que há em uma família, resultando daí em uma influência recíproca, tanto na política geral da firma, como nos interesses e objetivos da família.

O maior desafio das empresas familiares é superar os diferentes interesses da família e aceitar a capacidade da próxima geração para crescer o negócio. Levar os cinco passos acima em consideração economizará tempo e dinheiro para garantir o sucesso contínuo do seu negócio.

Quero receber mais conteúdos como esse

 


Que bom tê-lo como leitor do blog do Sebrae MS!
Tem interesse em saber mais sobre as nossas consultorias?

Clique aqui!







Deixe seu Comentário