Finanças

27 agosto, 2021 • Finanças

3 empresas que organizaram suas finanças após a Consultoria Indicadores Econômico-Financeiros

Saber sobre finanças e entender quais ações são necessárias para manter sua empresa saudável é essencial. Com um setor financeiro bem organizado e conhecendo os indicadores econômico-financeiros e sua importância, é possível gerir o negócio de forma mais assertiva. A consultoria do Sebrae existe para isso, para dar um norte aos empreendedores que buscam uma luz no fim do túnel.

Muitos empresários são beneficiados com o apoio e o conhecimento desenvolvido pelas consultorias oferecidas pelo Sebrae na área. No post de hoje, contaremos a história de alguns deles!

Confira.

1- Apiários Pôr do Sol

3 empresas que organizaram suas finanças após a Consultoria Indicadores Econômico-Financeiros

Entre as empresas que reestruturaram o seu financeiro com a ajuda do Sebrae, temos o caso de sucesso da Laura Coelho e do seu marido Matheus Dallasta, que administram a empresa Apiários Pôr do Sol em Campo Grande – MS.

A loja, que hoje possui uma matriz e uma filial, atua na produção de mel, pólen, envase e os mais diversos produtos oriundos da abelha. Laura conta que o empreendimento começou como um negócio da família e foi crescendo: “A família do Matheus fabrica os produtos há bastante tempo. Eles começaram com o entreposto também, para o envase de mel para atacado e varejo. Depois, surgiu a oportunidade de abrir a loja e, no início, ela só vendia esses itens de produção própria”.

“Há mais ou menos seis anos, nós resolvemos dividir a empresa. Meu sogro e meu cunhado ficaram com a parte da produção e minha sogra, minha cunhada, eu e meu esposo ficamos com a parte comercial. Então, depois que a gente começou a mexer com o comércio na loja, resolvemos aumentar algumas coisas. Aos pouquinhos, adicionamos os produtos que os nossos clientes pediam para colocarmos na loja”, conta.

Com o apoio da consultoria do Sebrae, os processos tornaram-se mais sólidos

Matheus e Laura, aos poucos, profissionalizaram o negócio: “Tudo era feito de forma manual antigamente. Tudo anotado em caderno, então não tínhamos nenhum processo feito através de sistemas. O controle era feito à base de conta à mão. Até os pagamentos de impostos, de notas fiscais e todos os tributos que deveriam ser pagos eram feitos assim”, afirma Laura.

Por conta disso, e a fim de tornar os processos mais adequados ao negócio, eles procuraram a ajuda do Sebrae para organizar a empresa e as finanças: “Depois que assumimos a loja de vez, tivemos que ir atrás de tudo. Fizemos vários cursos no Sebrae, durante mais de um ano focados neste estudo”.

“Também realizamos consultorias da parte financeira, da gestão de pessoas, fluxo de caixa, e de tudo que envolve o funcionamento de uma empresa. Por conta disso, o Sebrae ofereceu um acompanhamento exclusivo para o nosso negócio. Fui muito bem amparada! Aprendemos muita coisa que a gente acaba não prestando atenção na correria do dia a dia. A consultoria ajudou muito no setor financeiro”, lembra Laura.

Para ela, o apoio do Sebrae foi essencial para que a empresa se organizasse e resolvesse alguns problemas de operação. “Não era algo extremamente organizado, apenas tínhamos uma base. Estávamos tentando colocar em ordem nossa parte financeira. Então as dicas que foram dadas aqui pra loja ajudaram muito”.

“Pudemos sentar e ver o que realmente estava acontecendo, quais eram os nossos custos, o que a gente ganhava de lucro e como tudo funcionava. Isso fez com que eu abrisse minha mente e entendesse que devíamos parar e fazer isso todo mês. Foi essencial para mensurar mesmo o que entrava e o que saía. Não apenas o controle de estoque, mas o que a gente comprava e vendia, os nossos impostos, os nossos custos fixos e variáveis, toda a parte financeira”.

A consultoria auxiliou a empreendedora a prestar mais atenção aos detalhes do seu processo diário e à gestão das suas finanças. Isso refletiu diretamente nos resultados da empresa: “Conseguimos aumentar bastante as nossas vendas, com todas as dicas que foram dadas. Aumentamos muito a gama de produtos aqui da loja e ela tem crescido bastante, graças a Deus”.

O crescimento fez parte do processo de melhoria da empresa, e hoje a Apiários Pôr do Sol colhe os frutos de muito estudo e dedicação na gestão do negócio. “Na verdade, acho que conseguimos ter uma constância nas nossas vendas e entender como tomar conta do nosso negócio. Porque a gente já havia feito cursos antes, mas não sabíamos nada de como tocar uma empresa a fundo. Existem muitas coisas que precisam ser vistas e aprendidas neste processo”, diz Laura.

“Não é fácil, mas tivemos que ter uma base para começar a fazer a empresa funcionar e dar certo. São várias dificuldades que enfrentamos, por acharmos que sabemos tudo. Na verdade, é preciso correr atrás, estudar, aprender e colocar em prática. Sem isso não conseguimos lidar com todas as situações que temos que lidar no nosso dia a dia”, finaliza.

2 – C.M Guimarães – Cirurgiã Dentista

Carolina Guimarães, cirurgiã dentista, também contou com o apoio do Sebrae para administrar sua carreira. Ela atua na área há 21 anos, e começou aos poucos, com auxílio da família. Nos primeiros anos de profissão, ela realizava seus atendimentos nos postos de saúde da sua cidade. Logo após, conseguiu abrir o seu próprio consultório.

“Eu não tinha dinheiro, aluguei uma casa e reparti no meio: em uma metade ficou o consultório e na outra metade, a minha casa. E dali eu fui crescendo, fui estudando, tudo que eu ganhava eu investia em mim, no meu conhecimento. Minha carreira foi crescendo. Depois de terminar a construção da minha casa, tudo o que eu ganhava na época, eu investia em mim e nos meus estudos”.

A empresária sempre prezou investir em sua carreira e estudos, e com o tempo, buscou o Sebrae para saber mais sobre gestão e como administrar o seu negócio.

“Fiz minhas especializações, estou na minha terceira, e fui crescendo. Meu nome foi crescendo e quando eu me dei conta as pessoas procuravam pelo bom atendimento, pelo trabalho. Pelo boca a boca mesmo, que é a melhor propaganda que tem, ainda mais em cidade pequena! Assim eu fui crescendo”, lembra.

“Quando eu vi eu estava trabalhando com duas funcionárias, às vezes três. Estava com mais duas dentistas e eu não tinha um planejamento, eu não sabia nada sobre a questão de custos do negócio. E um dia um colega meu perguntou se eu sabia quanto eu ganhava, quanto custava uma restauração ou um procedimento e eu falei que não. Foi aí que eu percebi que eu não sabia nada dessa parte de gestão, então ele comentou do Sebrae”.

Aprendendo a administrar o negócio

Carolina teve dificuldades com o setor financeiro no começo da sua jornada. Assim que recebeu a orientação do Sebrae para cuidar do seu negócio, esta e outras questões começaram a melhorar muito:

“Fui atrás do Sebrae, e ainda estou fazendo alguns cursos, consultorias e gostei muito. Pra mim foi um aprendizado muito grande! Ainda está sendo. Mudou muita coisa aqui no consultório: a forma de ver, a forma de pensar. Por exemplo, uma empresa tem que dar lucro senão ela pode falir, e eu não pensava nesse lado”.

“Eu não sabia o que era custo fixo, custo variável, quanto custa uma restauração, quanto custa pra você manter. Eu vi que o material em si nem é tão caro e eu achava que era, o que é caro é manter um consultório aberto, a estrutura física, o funcionário. Então deu pra ver esse lado, o que gasta mais e onde que dá pra economizar, eu fui atrás e troquei o banco, pra ter taxas menores da maquininha, etc.”, conta.

Depois das consultorias, Carol deu um novo rumo para sua empresa. Ela aprendeu e cresceu com estudo e orientação do Sebrae: “No início era tudo junto, tanto o profissional quanto o pessoal, as contas saíam do mesmo banco, vamos dizer assim. Hoje é separado, o que é do consultório é do consultório, o que é meu pessoal é meu pessoal. Eu misturava minhas contas pessoais com as contas jurídicas, hoje eu separo. Então minha vida profissional está mais organizada. Na verdade, ainda não está 100% mas estou no caminho”.

3 – Erva-Mate São Roque

3 empresas que organizaram suas finanças após a Consultoria Indicadores Econômico-Financeiros

Com a consultoria do Sebrae, o casal conseguiu ter uma melhor visão do planejamento financeiro do seu empreendimento.

Outro caso de sucesso da consultoria do Sebrae foi o da Urani Matozo de Souza Soares, sócia-proprietária da Erva-Mate São Roque, da cidade de Amambaí (MS). Eles estão no mercado há mais de 40 anos. Atualmente, a empresa é a única que industrializa erva-mate no Estado do Mato Grosso do Sul, e conta com 32 funcionários. Em 2021 abriram uma filial em Presidente Prudente devido à logística.

“Comecei a empreender em 2018 com o nascimento do meu filho. Tenho a Erva-Mate São Roque na minha família desde 2016, quando meu sogro, que é o fundador, faleceu, ficando de herança para meu esposo que já trabalhava com ele desde 2007”, conta.

“Eu trabalhava fora, e com o nascimento do meu filho e como meu esposo estava tocando nosso negócio sozinho, resolvi unir forças a ele e empreender junto. É muito difícil, pois venho de uma área de trabalho que não tem nada a ver, sou formada em Contabilidade pela UFMS e sempre fui bancária, nunca exerci a contabilidade diretamente”.

Urani explica que o setor financeiro do negócio foi se reestruturando. No início, ela e o esposo não tinham muito entendimento de finanças:

“Pra mim, cuidar das finanças era só receber e pagar. O setor financeiro da empresa, quando cheguei, estava nas mãos do meu esposo. Ele fazia de tudo: administrativo, comercial, financeiro e RH. Ele é muito organizado, por esse motivo dava certo, mas ele não tinha em mente qual o real custo de cada produto. Eu levava como ele, mas ele entendia do negócio… eu não”.

O contato com a Consultoria do Sebrae mudou a visão do negócio

Foi então que eles decidiram entrar em contato com o Sebrae, para que pudessem receber um treinamento adequado e otimizar as finanças do negócio.

“Quando vimos o nosso custo de venda de cada produto, entendemos que estávamos errados na nossa forma de calcular, pois a empresa estava fechando no vermelho. Precisamos rever a forma de precificar a mercadoria corretamente, de vender bem e com um preço de venda que cubra os custos, etc. Depois da consultoria, tudo mudou. Hoje, se compro um parafuso, peço o recibo, coloco na planilha tudo o que gastei e tudo que vendi para enxergar minha empresa como ela é”.

“Aos empresários que estão passando por dificuldades em organizar sua vida financeira, minha dica é que procure o Sebrae, pois já fizemos inúmeras parcerias e todas deram muito certo. Desde a produção de embalagem, pesquisas de mercado, o gerenciamento financeiro e muito mais. Eu ainda quero fazer mais cursos com eles, tenho muito a aprender!”, finaliza.

Gostou de conhecer essas histórias?

Que tal começar a organizar sua gestão financeira para crescer, da mesma forma que esses empresários conseguiram fazer com seu negócio? O Sebrae oferece diversas formas de apoio para empreendedores que desejam otimizar seus processos. Acesse o material exclusivo para saber mais sobre a nossa consultoria.

Saber sobre finanças e entender quais ações são necessárias para manter sua empresa saudável é essencial. Com um setor financeiro bem organizado e conhecendo os indicadores econômico-financeiros e sua importância, é possível gerir o negócio de forma mais assertiva. A consultoria do Sebrae existe para isso, para dar um norte aos empreendedores que buscam uma luz no fim do túnel.

Muitos empresários são beneficiados com o apoio e o conhecimento desenvolvido pelas consultorias oferecidas pelo Sebrae na área. No post de hoje, contaremos a história de alguns deles!

Confira.

1- Apiários Pôr do Sol

3 empresas que organizaram suas finanças após a Consultoria Indicadores Econômico-Financeiros

Entre as empresas que reestruturaram o seu financeiro com a ajuda do Sebrae, temos o caso de sucesso da Laura Coelho e do seu marido Matheus Dallasta, que administram a empresa Apiários Pôr do Sol em Campo Grande – MS.

A loja, que hoje possui uma matriz e uma filial, atua na produção de mel, pólen, envase e os mais diversos produtos oriundos da abelha. Laura conta que o empreendimento começou como um negócio da família e foi crescendo: “A família do Matheus fabrica os produtos há bastante tempo. Eles começaram com o entreposto também, para o envase de mel para atacado e varejo. Depois, surgiu a oportunidade de abrir a loja e, no início, ela só vendia esses itens de produção própria”.

“Há mais ou menos seis anos, nós resolvemos dividir a empresa. Meu sogro e meu cunhado ficaram com a parte da produção e minha sogra, minha cunhada, eu e meu esposo ficamos com a parte comercial. Então, depois que a gente começou a mexer com o comércio na loja, resolvemos aumentar algumas coisas. Aos pouquinhos, adicionamos os produtos que os nossos clientes pediam para colocarmos na loja”, conta.

Com o apoio da consultoria do Sebrae, os processos tornaram-se mais sólidos

Matheus e Laura, aos poucos, profissionalizaram o negócio: “Tudo era feito de forma manual antigamente. Tudo anotado em caderno, então não tínhamos nenhum processo feito através de sistemas. O controle era feito à base de conta à mão. Até os pagamentos de impostos, de notas fiscais e todos os tributos que deveriam ser pagos eram feitos assim”, afirma Laura.

Por conta disso, e a fim de tornar os processos mais adequados ao negócio, eles procuraram a ajuda do Sebrae para organizar a empresa e as finanças: “Depois que assumimos a loja de vez, tivemos que ir atrás de tudo. Fizemos vários cursos no Sebrae, durante mais de um ano focados neste estudo”.

“Também realizamos consultorias da parte financeira, da gestão de pessoas, fluxo de caixa, e de tudo que envolve o funcionamento de uma empresa. Por conta disso, o Sebrae ofereceu um acompanhamento exclusivo para o nosso negócio. Fui muito bem amparada! Aprendemos muita coisa que a gente acaba não prestando atenção na correria do dia a dia. A consultoria ajudou muito no setor financeiro”, lembra Laura.

Para ela, o apoio do Sebrae foi essencial para que a empresa se organizasse e resolvesse alguns problemas de operação. “Não era algo extremamente organizado, apenas tínhamos uma base. Estávamos tentando colocar em ordem nossa parte financeira. Então as dicas que foram dadas aqui pra loja ajudaram muito”.

“Pudemos sentar e ver o que realmente estava acontecendo, quais eram os nossos custos, o que a gente ganhava de lucro e como tudo funcionava. Isso fez com que eu abrisse minha mente e entendesse que devíamos parar e fazer isso todo mês. Foi essencial para mensurar mesmo o que entrava e o que saía. Não apenas o controle de estoque, mas o que a gente comprava e vendia, os nossos impostos, os nossos custos fixos e variáveis, toda a parte financeira”.

A consultoria auxiliou a empreendedora a prestar mais atenção aos detalhes do seu processo diário e à gestão das suas finanças. Isso refletiu diretamente nos resultados da empresa: “Conseguimos aumentar bastante as nossas vendas, com todas as dicas que foram dadas. Aumentamos muito a gama de produtos aqui da loja e ela tem crescido bastante, graças a Deus”.

O crescimento fez parte do processo de melhoria da empresa, e hoje a Apiários Pôr do Sol colhe os frutos de muito estudo e dedicação na gestão do negócio. “Na verdade, acho que conseguimos ter uma constância nas nossas vendas e entender como tomar conta do nosso negócio. Porque a gente já havia feito cursos antes, mas não sabíamos nada de como tocar uma empresa a fundo. Existem muitas coisas que precisam ser vistas e aprendidas neste processo”, diz Laura.

“Não é fácil, mas tivemos que ter uma base para começar a fazer a empresa funcionar e dar certo. São várias dificuldades que enfrentamos, por acharmos que sabemos tudo. Na verdade, é preciso correr atrás, estudar, aprender e colocar em prática. Sem isso não conseguimos lidar com todas as situações que temos que lidar no nosso dia a dia”, finaliza.

2 – C.M Guimarães – Cirurgiã Dentista

Carolina Guimarães, cirurgiã dentista, também contou com o apoio do Sebrae para administrar sua carreira. Ela atua na área há 21 anos, e começou aos poucos, com auxílio da família. Nos primeiros anos de profissão, ela realizava seus atendimentos nos postos de saúde da sua cidade. Logo após, conseguiu abrir o seu próprio consultório.

“Eu não tinha dinheiro, aluguei uma casa e reparti no meio: em uma metade ficou o consultório e na outra metade, a minha casa. E dali eu fui crescendo, fui estudando, tudo que eu ganhava eu investia em mim, no meu conhecimento. Minha carreira foi crescendo. Depois de terminar a construção da minha casa, tudo o que eu ganhava na época, eu investia em mim e nos meus estudos”.

A empresária sempre prezou investir em sua carreira e estudos, e com o tempo, buscou o Sebrae para saber mais sobre gestão e como administrar o seu negócio.

“Fiz minhas especializações, estou na minha terceira, e fui crescendo. Meu nome foi crescendo e quando eu me dei conta as pessoas procuravam pelo bom atendimento, pelo trabalho. Pelo boca a boca mesmo, que é a melhor propaganda que tem, ainda mais em cidade pequena! Assim eu fui crescendo”, lembra.

“Quando eu vi eu estava trabalhando com duas funcionárias, às vezes três. Estava com mais duas dentistas e eu não tinha um planejamento, eu não sabia nada sobre a questão de custos do negócio. E um dia um colega meu perguntou se eu sabia quanto eu ganhava, quanto custava uma restauração ou um procedimento e eu falei que não. Foi aí que eu percebi que eu não sabia nada dessa parte de gestão, então ele comentou do Sebrae”.

Aprendendo a administrar o negócio

Carolina teve dificuldades com o setor financeiro no começo da sua jornada. Assim que recebeu a orientação do Sebrae para cuidar do seu negócio, esta e outras questões começaram a melhorar muito:

“Fui atrás do Sebrae, e ainda estou fazendo alguns cursos, consultorias e gostei muito. Pra mim foi um aprendizado muito grande! Ainda está sendo. Mudou muita coisa aqui no consultório: a forma de ver, a forma de pensar. Por exemplo, uma empresa tem que dar lucro senão ela pode falir, e eu não pensava nesse lado”.

“Eu não sabia o que era custo fixo, custo variável, quanto custa uma restauração, quanto custa pra você manter. Eu vi que o material em si nem é tão caro e eu achava que era, o que é caro é manter um consultório aberto, a estrutura física, o funcionário. Então deu pra ver esse lado, o que gasta mais e onde que dá pra economizar, eu fui atrás e troquei o banco, pra ter taxas menores da maquininha, etc.”, conta.

Depois das consultorias, Carol deu um novo rumo para sua empresa. Ela aprendeu e cresceu com estudo e orientação do Sebrae: “No início era tudo junto, tanto o profissional quanto o pessoal, as contas saíam do mesmo banco, vamos dizer assim. Hoje é separado, o que é do consultório é do consultório, o que é meu pessoal é meu pessoal. Eu misturava minhas contas pessoais com as contas jurídicas, hoje eu separo. Então minha vida profissional está mais organizada. Na verdade, ainda não está 100% mas estou no caminho”.

3 – Erva-Mate São Roque

3 empresas que organizaram suas finanças após a Consultoria Indicadores Econômico-Financeiros

Com a consultoria do Sebrae, o casal conseguiu ter uma melhor visão do planejamento financeiro do seu empreendimento.

Outro caso de sucesso da consultoria do Sebrae foi o da Urani Matozo de Souza Soares, sócia-proprietária da Erva-Mate São Roque, da cidade de Amambaí (MS). Eles estão no mercado há mais de 40 anos. Atualmente, a empresa é a única que industrializa erva-mate no Estado do Mato Grosso do Sul, e conta com 32 funcionários. Em 2021 abriram uma filial em Presidente Prudente devido à logística.

“Comecei a empreender em 2018 com o nascimento do meu filho. Tenho a Erva-Mate São Roque na minha família desde 2016, quando meu sogro, que é o fundador, faleceu, ficando de herança para meu esposo que já trabalhava com ele desde 2007”, conta.

“Eu trabalhava fora, e com o nascimento do meu filho e como meu esposo estava tocando nosso negócio sozinho, resolvi unir forças a ele e empreender junto. É muito difícil, pois venho de uma área de trabalho que não tem nada a ver, sou formada em Contabilidade pela UFMS e sempre fui bancária, nunca exerci a contabilidade diretamente”.

Urani explica que o setor financeiro do negócio foi se reestruturando. No início, ela e o esposo não tinham muito entendimento de finanças:

“Pra mim, cuidar das finanças era só receber e pagar. O setor financeiro da empresa, quando cheguei, estava nas mãos do meu esposo. Ele fazia de tudo: administrativo, comercial, financeiro e RH. Ele é muito organizado, por esse motivo dava certo, mas ele não tinha em mente qual o real custo de cada produto. Eu levava como ele, mas ele entendia do negócio… eu não”.

O contato com a Consultoria do Sebrae mudou a visão do negócio

Foi então que eles decidiram entrar em contato com o Sebrae, para que pudessem receber um treinamento adequado e otimizar as finanças do negócio.

“Quando vimos o nosso custo de venda de cada produto, entendemos que estávamos errados na nossa forma de calcular, pois a empresa estava fechando no vermelho. Precisamos rever a forma de precificar a mercadoria corretamente, de vender bem e com um preço de venda que cubra os custos, etc. Depois da consultoria, tudo mudou. Hoje, se compro um parafuso, peço o recibo, coloco na planilha tudo o que gastei e tudo que vendi para enxergar minha empresa como ela é”.

“Aos empresários que estão passando por dificuldades em organizar sua vida financeira, minha dica é que procure o Sebrae, pois já fizemos inúmeras parcerias e todas deram muito certo. Desde a produção de embalagem, pesquisas de mercado, o gerenciamento financeiro e muito mais. Eu ainda quero fazer mais cursos com eles, tenho muito a aprender!”, finaliza.

Gostou de conhecer essas histórias?

Que tal começar a organizar sua gestão financeira para crescer, da mesma forma que esses empresários conseguiram fazer com seu negócio? O Sebrae oferece diversas formas de apoio para empreendedores que desejam otimizar seus processos. Acesse o material exclusivo para saber mais sobre a nossa consultoria.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário