Gestão Financeira

Como prevenir perdas em farmácias

A economia brasileira vai, aos poucos, se recuperando; e um dos setores que tem apresentado um bom desempenho é o farmacêutico. O ano de 2017 teve resultados acima das expectativas: entre janeiro e novembro, o varejo farmacêutico cresceu 12,86%, de acordo com estudo da IQVIA. Para 2018, a expectativa é um crescimento entre 6,9% a 9,3%.

As boas perspectivas não devem substituir o cuidado em relação a perdas e desperdícios. Em tempos de recuperação de crise e de redução da margem de ganho, não há espaço para erros e para deixar de lucrar.

Na unidade da Avenida Albert Sabin da DrogaPopular, as perdas não chegam a 1%, graças a um conjunto de medidas que foram tomadas pelos donos, o casal Ana e Elson Carlos Pereira. Mas nem sempre foi assim: logo que a loja foi aberta, há seis anos, as perdas chegavam a 5% só com itens de perfumaria.

“Tínhamos duas portas de acesso à loja e próximo a uma delas ficavam os setores de perfumaria e produtos infantis. Com a loja movimentada, os funcionários priorizavam atender os clientes e inevitavelmente ficava sem ninguém cuidar”, explica Ana.

Depois de identificar onde estava o problema, a empresária fechou uma das portas, reorganizou os produtos dentro da loja e instalou câmeras de segurança em pontos estratégicos. De dentro do escritório administrativo, o casal acompanha em tempo real todo o movimento pelas câmeras.

Outro fator que levou a muitas perdas foram as compras erradas. Logo que abriram, não tinham noção do que o cliente do bairro comprava, e se espelharam na concorrência. No entanto, a estratégia não deu certo e eles perderam muitos produtos.

Hoje, a farmácia restringiu para três marcas principais de perfumaria e cosméticos para atender casos específicos, pois a região possui muitos salões de beleza, e guia suas novas compras por meio de um livro de anotações, chamado de “falteiro”, onde são listados os itens que os clientes pedem mas não encontram na loja.

Cuidado diário

Ainda falando sobre como reduziram perdas administrativas, Ana explica que, assim que os produtos chegam na farmácia, passam pelo sistema para serem cadastrados.

“Junto com o cadastro do lote, temos a informação da data de vencimento. Nem sempre um lote que chegou depois vence depois. Se é alguma promoção, temos que ficar atentos para vender primeiro aquele que vence antes. Além disso, toda a farmácia é setorizada e existem grupos de funcionários responsáveis por fazer o inventário e a revisão diários das prateleiras de antibióticos, dos anticoncepcionais, dos genéricos, e por aí vai”, conta Ana. 

Com medidas simples é possível reduzir os impactos das perdas em seu estabelecimento. Listamos aqui mais algumas soluções:

Etiquetas e antenas antifurto

Etiquetas adesivas colocadas nos produtos emitem alertas às antenas estrategicamente posicionadas na entrada e saída das drogarias quando algum item que não foi pago passa pela porta. Essa ferramenta é capaz de reduzir até 30% dos custos operacionais, pois, sem a utilização desse sistema, muitas farmácias acabam colocando produtos mais caros em vitrines fechadas, o que inibe a venda. Existem diversos modelos e tamanhos de etiquetas disponíveis, permitindo a segurança desde produtos maiores até os menores.

Posicionamento dos produtos 

Produtos de altíssimo valor agregado devem estar localizados em pontos estratégicos. Isso significa que precisam estar em locais que não tenham barreiras e possam ser vistos de vários ângulos. Principalmente para esses produtos, as câmeras de segurança não podem ter o seu foco obstruído por banners, gôndolas, balões, faixas promocionais, entre outros.

Contadores de fluxo 

O contador de fluxo consegue mensurar quais são os dias e horários com maior movimentação de pessoas e quais áreas da drogaria recebem mais visitação. Isso permite gerenciar escalas e posicionar funcionários de modo mais adequado, prevenindo furtos e quebras.

Treinamento da equipe

Treine a equipe para que eles saibam como manusear cada tipo de produto, pois é primordial que os colaboradores estejam comprometidos em controlar o estoque e, acima de tudo, saber como agir em suas tarefas diárias. Com funcionários comprometidos, se reduzem as chances de furtos e operação ineficaz.

 

 

 

 

 

 









Deixe seu Comentário