Finanças

12 agosto, 2020 • Finanças

Quando é a hora de pedir crédito?

A Jornada do Crédito continua e no último webinar transmitido ao vivo pelo Sebrae, Hudson Garcia, Virgínia Scaquete, do Sicredi, e Dimas Amauri, do Sicoob, conduziram um bate-papo sobre as principais questões que permeiam a tomada de decisão para “pegar” crédito junto a uma instituição financeira.

Neste post, reunimos o que foi debatido de mais importante para que você consiga fazer a sua própria avaliação e decidir se é ou não o melhor momento para procurar um financiamento ou pedir crédito. Vamos lá?

De olho nos detalhes

Os especialistas alertaram sobre a importância de prestar atenção nos pormenores das opções de crédito e financiamentos disponíveis, como, por exemplo, as taxas reais, nominais, SELIC, pré e pós fixada, entre outras. “Aconselho também a analisar o valor das parcelas, porque lá estarão discriminados todos os dados e custos da operação”, disse Virgínia Scaquete, representante do Sicred.

Já Dimas Amauri, do Sicoob, chamou a atenção para o Seguro Presta Mista, uma garantia da operação e que é vantajosa para os empresários. “É importante saber desse tipo de detalhe, caso não seja oferecido pela sua instituição financeira. O Presta Mista é uma forma de não deixar a dívida com o financiamento ou tomada de crédito recair sobre a família, caso a pessoa que esteja pedindo venha a faltar antes de quitar os pagamentos”, explicou.

Crédito para o MEI

As mesmas boas práticas citadas no webinar anterior sobre análise de crédito também valem para o micro e pequeno empreendedor, como, por exemplo, a adimplência e relação saudável com a instituição financeira.

Hudson Garcia, consultor do Sebrae e economista, ressaltou que caso o MEI ainda não tenha um banco, uma boa opção são as Fintechs, startups do sistema financeiro com operações de crédito e financiamento semelhantes às instituições financeiras convencionais.

“Importante lembrar que seja uma Fintech ou um banco, eles necessitam ver um projeto viável de empresa para conceder o recurso, por isso se prepare e apresente seus números para garantir que você terá condições de arcar com aquele crédito ou financiamento”, disse.

Virgínia e Dimas, representantes do Sicredi e Sicoob, respectivamente, afirmaram que ambas as instituições não possuem limitações quanto ao tamanho das empresas para as quais aprovam crédito, apenas reforçaram que o essencial é conhecer as particularidades de cada operação financeira.

Metodologia de análise da capacidade de pagamento

Hudson finalizou o webinar ensinando como realizar um estudo sobre a situação da empresa e que pode ser utilizado como base para entender se é possível arcar com um pedido de crédito ou financiamento. Confira:

  1. Histórico de fluxo de caixa
    “Durante essa situação de pandemia, analisar como estava o seu caixa antes e como está agora, além de listar os custos com a prestação de serviço, com mercadoria e os operacionais”, aconselha.
  2. Avaliação da situação financeira
    Realizar um demonstrativo de produtos e/ou serviços, analisar sua taxa de endividamento e avaliar quais produtos e/ou serviços geram caixa positivo e os que geram caixa negativo.
  3. Gestão financeira
    Realizar um estudo do que pode ser feito para diminuir os seus custos, pois talvez você não precise de crédito. Hudson lembra que ele é uma das ferramentas, não a única solução possível.

O economista ainda reforça 3 pontos fundamentais que amparam a decisão da tomada de crédito. São eles:

  • Organização;
  • Buscar ajuda de um profissional ou instituição especializada;
  • Seguir as boas práticas do crédito.

Para ter acesso ao crédito sem problemas, você precisa:

Estar adimplente. Qualquer dívida que o seu negócio tenha ou custo que não consiga arcar, tente renegociar para que sua situação esteja positiva ao procurar uma instituição financeira para a tomada de crédito ou financiamento.

Também é importante ter e desenvolver um relacionamento com o banco, estar sempre se comunicando com o seu gerente e repassando a situação da empresa. Ainda dentro dessa boa relação, mantenha o seu cadastro atualizado e tente fazer parcerias com o banco, buscando adequar os produtos disponíveis a favor da sua empresa e, assim, oferecer diferenciais para seus clientes.

A Jornada do Crédito continua e no último webinar transmitido ao vivo pelo Sebrae, Hudson Garcia, Virgínia Scaquete, do Sicredi, e Dimas Amauri, do Sicoob, conduziram um bate-papo sobre as principais questões que permeiam a tomada de decisão para “pegar” crédito junto a uma instituição financeira.

Neste post, reunimos o que foi debatido de mais importante para que você consiga fazer a sua própria avaliação e decidir se é ou não o melhor momento para procurar um financiamento ou pedir crédito. Vamos lá?

De olho nos detalhes

Os especialistas alertaram sobre a importância de prestar atenção nos pormenores das opções de crédito e financiamentos disponíveis, como, por exemplo, as taxas reais, nominais, SELIC, pré e pós fixada, entre outras. “Aconselho também a analisar o valor das parcelas, porque lá estarão discriminados todos os dados e custos da operação”, disse Virgínia Scaquete, representante do Sicred.

Já Dimas Amauri, do Sicoob, chamou a atenção para o Seguro Presta Mista, uma garantia da operação e que é vantajosa para os empresários. “É importante saber desse tipo de detalhe, caso não seja oferecido pela sua instituição financeira. O Presta Mista é uma forma de não deixar a dívida com o financiamento ou tomada de crédito recair sobre a família, caso a pessoa que esteja pedindo venha a faltar antes de quitar os pagamentos”, explicou.

Crédito para o MEI

As mesmas boas práticas citadas no webinar anterior sobre análise de crédito também valem para o micro e pequeno empreendedor, como, por exemplo, a adimplência e relação saudável com a instituição financeira.

Hudson Garcia, consultor do Sebrae e economista, ressaltou que caso o MEI ainda não tenha um banco, uma boa opção são as Fintechs, startups do sistema financeiro com operações de crédito e financiamento semelhantes às instituições financeiras convencionais.

“Importante lembrar que seja uma Fintech ou um banco, eles necessitam ver um projeto viável de empresa para conceder o recurso, por isso se prepare e apresente seus números para garantir que você terá condições de arcar com aquele crédito ou financiamento”, disse.

Virgínia e Dimas, representantes do Sicredi e Sicoob, respectivamente, afirmaram que ambas as instituições não possuem limitações quanto ao tamanho das empresas para as quais aprovam crédito, apenas reforçaram que o essencial é conhecer as particularidades de cada operação financeira.

Metodologia de análise da capacidade de pagamento

Hudson finalizou o webinar ensinando como realizar um estudo sobre a situação da empresa e que pode ser utilizado como base para entender se é possível arcar com um pedido de crédito ou financiamento. Confira:

  1. Histórico de fluxo de caixa
    “Durante essa situação de pandemia, analisar como estava o seu caixa antes e como está agora, além de listar os custos com a prestação de serviço, com mercadoria e os operacionais”, aconselha.
  2. Avaliação da situação financeira
    Realizar um demonstrativo de produtos e/ou serviços, analisar sua taxa de endividamento e avaliar quais produtos e/ou serviços geram caixa positivo e os que geram caixa negativo.
  3. Gestão financeira
    Realizar um estudo do que pode ser feito para diminuir os seus custos, pois talvez você não precise de crédito. Hudson lembra que ele é uma das ferramentas, não a única solução possível.

O economista ainda reforça 3 pontos fundamentais que amparam a decisão da tomada de crédito. São eles:

  • Organização;
  • Buscar ajuda de um profissional ou instituição especializada;
  • Seguir as boas práticas do crédito.

Para ter acesso ao crédito sem problemas, você precisa:

Estar adimplente. Qualquer dívida que o seu negócio tenha ou custo que não consiga arcar, tente renegociar para que sua situação esteja positiva ao procurar uma instituição financeira para a tomada de crédito ou financiamento.

Também é importante ter e desenvolver um relacionamento com o banco, estar sempre se comunicando com o seu gerente e repassando a situação da empresa. Ainda dentro dessa boa relação, mantenha o seu cadastro atualizado e tente fazer parcerias com o banco, buscando adequar os produtos disponíveis a favor da sua empresa e, assim, oferecer diferenciais para seus clientes.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário