Casos de Sucesso

20 dezembro, 2019 • Casos de Sucesso, Destaque

Bataguassu: turismo, oportunidades e um futuro promissor

Acelerar o desenvolvimento econômico local dos municípios por meio da articulação entre o poder público, empresários, produtores rurais e a população. Foi com esse grande desafio que o programa Cidade Empreendedora surgiu.

Em Bataguassu, os trabalhos que começaram em setembro de 2018 se encerraram na última terça (17). A parceria entre Sebrae e Prefeitura Municipal rendeu bons frutos: após reuniões com os moradores, líderes empresariais e gestores públicos definiram o turismo com foco na pesca como eixo prioritário. Desde então, uma série de ações foram realizadas para estruturar a atividade na região.

A criação de um ambiente favorável aos negócios proporcionada pelo Cidade Empreendedora, com estímulo a oportunidades, desburocratização, desenvolvimento da cultura empreendedora e fortalecimento empresarial, resultou em avanços para empresários como Heser Fagundes, proprietário do frigorífico Best Fish.

Ele começou as atividades na região em 2019, mas desde 2017 já trabalhava com psicultura. Ao identificar uma oportunidade de agregar valor ao empreendimento, decidiu ofertar o pescado por meio do frigorífico. O caminho não foi fácil: o empresário tinha uma série de selos, documentos e desafios pela frente, mas os estímulos da prefeitura e o apoio do Sebrae fizeram a diferença.

“Conseguimos junto à Prefeitura de Bataguassu os incentivos e também o terreno, e resolvemos implantar o beneficiamento do pescado aqui no Mato Grosso do Sul. Nós fizemos o uso da consultoria do Sebrae para implantação dos rótulos e do programa de autocontrole. Foi muito útil pra nós, porque a implantação desses programas é muito complicada e burocrática. O pessoal do Sebrae deu todo o apoio necessário”, destaca Heser.

Para o empreendedor, o programa mudou a mentalidade da administração pública, que passou a ver não só a implantação de indústrias como um potencial no município, mas também o Turismo. Ações como a construção de um parque aquático, áreas de lazer, píeres para receber turistas, Balneário Municipal e também a integração com o Distrito de Nova Porto XV são alguns dos principais pontos do Plano de Desenvolvimento Econômico de Bataguassu.

“O que eu tenho percebido é que várias empresas de pequeno porte estão se programando para se instalar no município de Bataguassu. Mas a principal diferença que eu vi com esse programa foi a mudança de mentalidade da administração pública, que antes era exclusivamente voltada pro estímulo à implantação de indústrias, e agora volta suas atenções para o turismo”, afirma.

Números que fazem a diferença

O Cidade Empreendedora é dividido em oito etapas, que preparam os municípios para promover o crescimento econômico. São elas: Mapear oportunidades; Desburocratização; Sala do Empreendedor; Compras locais; Liderança; Cultura Empreendedora e Inovação; Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE); e Desenvolvimento empresarial.

Em Bataguassu, os resultados são expressivos: 316 empresas foram atendidas no programa Negócio a Negócio; 20 produtores foram habilitados a fornecer para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); 632 alunos participaram do programa Jovem Empreendedor Primeiros Passos (JEPP); e mais de 920 pessoas conferiram de perto as ações realizadas no Dia da Oportunidade, feira gratuita que expôs as principais atividades do Cidade Empreendedora.

Para a gerente da Unidade Regional do Sebrae/MS, Josi Signori, o programa trouxe contribuições comprovadas. “Vimos a integração do setor público com o privado, a dinamização do fomento econômico por meio das contribuições de pesquisa, como o Municípios em Números. Os próprios empresários viram que eles têm potenciais e que precisam ser trabalhados”.

Acelerar o desenvolvimento econômico local dos municípios por meio da articulação entre o poder público, empresários, produtores rurais e a população. Foi com esse grande desafio que o programa Cidade Empreendedora surgiu.

Em Bataguassu, os trabalhos que começaram em setembro de 2018 se encerraram na última terça (17). A parceria entre Sebrae e Prefeitura Municipal rendeu bons frutos: após reuniões com os moradores, líderes empresariais e gestores públicos definiram o turismo com foco na pesca como eixo prioritário. Desde então, uma série de ações foram realizadas para estruturar a atividade na região.

A criação de um ambiente favorável aos negócios proporcionada pelo Cidade Empreendedora, com estímulo a oportunidades, desburocratização, desenvolvimento da cultura empreendedora e fortalecimento empresarial, resultou em avanços para empresários como Heser Fagundes, proprietário do frigorífico Best Fish.

Ele começou as atividades na região em 2019, mas desde 2017 já trabalhava com psicultura. Ao identificar uma oportunidade de agregar valor ao empreendimento, decidiu ofertar o pescado por meio do frigorífico. O caminho não foi fácil: o empresário tinha uma série de selos, documentos e desafios pela frente, mas os estímulos da prefeitura e o apoio do Sebrae fizeram a diferença.

“Conseguimos junto à Prefeitura de Bataguassu os incentivos e também o terreno, e resolvemos implantar o beneficiamento do pescado aqui no Mato Grosso do Sul. Nós fizemos o uso da consultoria do Sebrae para implantação dos rótulos e do programa de autocontrole. Foi muito útil pra nós, porque a implantação desses programas é muito complicada e burocrática. O pessoal do Sebrae deu todo o apoio necessário”, destaca Heser.

Para o empreendedor, o programa mudou a mentalidade da administração pública, que passou a ver não só a implantação de indústrias como um potencial no município, mas também o Turismo. Ações como a construção de um parque aquático, áreas de lazer, píeres para receber turistas, Balneário Municipal e também a integração com o Distrito de Nova Porto XV são alguns dos principais pontos do Plano de Desenvolvimento Econômico de Bataguassu.

“O que eu tenho percebido é que várias empresas de pequeno porte estão se programando para se instalar no município de Bataguassu. Mas a principal diferença que eu vi com esse programa foi a mudança de mentalidade da administração pública, que antes era exclusivamente voltada pro estímulo à implantação de indústrias, e agora volta suas atenções para o turismo”, afirma.

Números que fazem a diferença

O Cidade Empreendedora é dividido em oito etapas, que preparam os municípios para promover o crescimento econômico. São elas: Mapear oportunidades; Desburocratização; Sala do Empreendedor; Compras locais; Liderança; Cultura Empreendedora e Inovação; Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE); e Desenvolvimento empresarial.

Em Bataguassu, os resultados são expressivos: 316 empresas foram atendidas no programa Negócio a Negócio; 20 produtores foram habilitados a fornecer para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); 632 alunos participaram do programa Jovem Empreendedor Primeiros Passos (JEPP); e mais de 920 pessoas conferiram de perto as ações realizadas no Dia da Oportunidade, feira gratuita que expôs as principais atividades do Cidade Empreendedora.

Para a gerente da Unidade Regional do Sebrae/MS, Josi Signori, o programa trouxe contribuições comprovadas. “Vimos a integração do setor público com o privado, a dinamização do fomento econômico por meio das contribuições de pesquisa, como o Municípios em Números. Os próprios empresários viram que eles têm potenciais e que precisam ser trabalhados”.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.









Deixe seu Comentário