Dicas de Empreendedorismo

29 Março, 2018 • Dicas de Empreendedorismo

O frio chegou. O negócio esfriou?

Com o verão indo embora e as temperaturas diminuindo, as academias veem seu movimento seguir o mesmo ritmo. O outono e o inverno afastam até as pessoas mais fitness, afinal, os cobertores são bem mais atrativos do que os exercícios. Outro negócio que sofre com as temperaturas mais frias são as sorveterias.

Empreendedores de ambos os setores precisam ser criativos para garantir que a queda no movimento não prejudique os negócios. É o que afirma o proprietário da Academia M3, Marcelo Miranda. “A gente faz muita promoção, dispensa os alunos da matrícula, fazemos mais atividades, aulões especiais. A estratégia da maioria das academias é a utilização de planos semestrais e anuais com um preço especial. Isso garante o pagamento da mensalidade mesmo nos períodos ruins”, conta.

Mas numa academia, nenhuma atividade é tão prejudicada na época de frio quanto as realizadas dentro da água. “A gente se preocupa em deixar o ambiente quente, não deixar vento circulando e, principalmente, caprichamos no aquecimento da piscina. O movimento cai, mas as atividades não param”, garante Marcelo.

A personal Mariana Barbosa não trabalha em academia, mas percebe que no inverno seus alunos costumam reclamar mais para se exercitar. “Pessoal reclama bastante! Mas sempre dou ênfase nos benefícios. Nos dias mais frios, a queima de gordura é maior, pois o corpo trabalha 30% a mais para manter a temperatura corporal. Também há um ganho de energia por conta da diminuição na produção de suor, onde essa energia pode e deve ser gasta no treino”, explica.

Se nas academias a solução é manter o lugar mais quente e aconchegante, o mesmo não dá pra ser feito nas sorveterias. Apesar de ter gente que não se importa de comer a sobremesa no inverno, é nítida a diminuição do fluxo de clientes. O gerente da Amoré, Anderson Micai, explica que com a sorveteria recém-inaugurada (no início de fevereiro), ainda vão passar pelo primeiro período de sazonalidade. “Sabemos que precisamos agregar produtos diversificados fora ou dentro do segmento para passar por esse momento”, afirma.

A ideia de Anderson, em conjunto com o proprietário do negócio, é que no inverno o local também sirva caldos para atrair novos clientes e diversificar o movimento.

Sazonalidade exige, de fato, criatividade e planejamento. Temos mais alguns conteúdos sobre estudo de mercado e estratégias de vendas para você. E lembre-se: sempre que precisar, os consultores do Sebrae estão à sua disposição e do seu negócio.









Deixe seu Comentário