Dicas de Empreendedorismo

11 dezembro, 2017 • Dicas de Empreendedorismo

Sabores e aromas de bons negócios

O mercado cervejeiro cresceu exponencialmente nos últimos cinco anos e isso fica bastante claro ao se perceber a variedade de produtos que podem ser encontrados no cardápio de bares e o aparecimento massivo de microcervejarias. Do artesanal à produção em larga escala, o caminho é cheio de aprendizado, sempre pensando-se em oferecer o melhor produto ao consumidor.

Um dos pioneiros nesse cenário é Felipe Augusto Zuffo, criador da Moagem, uma das primeiras cervejarias artesanais do Estado. “Eu e um colega começamos isso há 11 anos, em uma época na qual não se falava de cervejas especiais”, lembra. Segundo ele, o contato com cervejeiros de outros estados foi essencial para levantar informações e ter acesso às matérias-primas como malte, lúpulo e outros ingredientes, além de receitas, para criar a própria cerveja.

Há pouco mais de dois anos, Felipe decidiu se lançar profissionalmente no mercado cervejeiro e inaugurou a fábrica da Moagem. “As pessoas já conheciam o produto, pois havíamos feito algumas degustações. Com a fábrica, pude aumentar a rede de distribuição, mas o mercado em Campo Grande ainda é complicado, são poucos os estabelecimentos que oferecem esse tipo de cerveja”, explica.

Tendo como diferenciais o uso de ingredientes diferentes como a guavira ou palo santo, as cervejas e chopps da Moagem têm conquistado os paladares mais exigentes. Atualmente, sua capacidade de produção é de nove mil litros mensais, mas existem planos para uma ampliação no próximo semestre. Para o proprietário, um problema central ao cenário estadual é a dificuldade de distribuição. “Vendo mais para outros estados”, explica.

Em agosto deste ano, Felipe inovou com a criação do Recanto da Moagem, uma choperia com auto-atendimento. O funcionamento é simples: por meio de um aplicativo e um cartão pré-pago, o cliente pode servir a quantidade de chopp que quiser e pagar por isso. “Encontrei um meio de chegar ao consumidor final e oferecer meu produto de uma maneira que chama a atenção”.

Pegada sustentável

Em um mercado em ascensão, encontrar diferenciais é uma maneira de cativar o público. A cervejaria Pantanal Growler surgiu há um ano e os sócios Marco Aurélio Braga e Luan Argemon decidiram apostar na sustentabilidade ao oferecer a possibilidade de seus clientes levarem cervejas artesanais para casa nos growlers, recipientes de vidro, cerâmica ou plástico, no qual as bebidas podem ser armazenadas.

Há também a opção de consumir os diferentes rótulos no próprio local. São seis torneiras, com cervejas de São Paulo, Rio de Janeiro e Campo Grande. Há também a Ipantaneira, produzida pela própria cervejaria. “Isso surgiu para suprir uma necessidade própria devido à falta de fornecedores. Deu certo, o público aceitou bem nosso produto”, explica Luan, que já foi proprietário de um quiosque especializado em cervejas em um shopping da Capital. Segundo ele, a “estação de cerveja” é um conceito novo no País e a Pantanal Growler foi a segunda loja do tipo. “Hoje existem pelo menos oito estabelecimentos no Brasil”, contabiliza.

“Além de oferecer um produto diferenciado ao público, procuramos oferecer informações e conquistar novos clientes por meio da informação. Quem toma uma cerveja artesanal sem conhecer o que está tomando pode não gostar”, explica Marco. Engenheiro, ele decidiu se aventurar no setor das cervejarias por acreditar na proposta trazida por Luan. “Ele falou dessa máquina russa, que permite a venda de cerveja a granel. Aliamos isso à proposta sustentável e o público que conquistamos é a certeza de nosso sucesso”, pontua.

Do micro ao macro

Com uma produção média de 720 mil litros mensais, a Bamboa não pode ser incluída no cenário artesanal, mas também é produzida em Mato Grosso do Sul e apresenta diferenciais em relação às grandes marcas do mercado. “Optamos por lançar uma cerveja 100% puro malte no mercado, ou seja, não fazemos uso de milho e arroz. Isso garante um produto suave, mas de sabor muito especial”, afirma José Antônio Avesani Júnior, diretor da unidade industrial.

“Vários fatores nos motivaram a instalar a cervejaria em Mato Grosso do Sul. Posso destacar o pioneirismo de trazer uma indústria desse porte para o Estado, a altíssima qualidade da nossa água e as políticas de incentivos fiscais do governo”, explica o diretor. De acordo com o cronograma estabelecido, ele informa que novos produtos serão lançados com o decorrer do tempo. “Prevemos o lançamento de um chopp puro malte, assim como o lançamento de cervejas com novas formulações”, adianta.

Com cursos na área de gestão de negócios e empreendedorismo, o Sebrae MS oferece suporte a quem deseja se aventurar no ramo das microcervejarias. Para aprender mais sobre essa área, dê uma olhada neste guia sobre “Como montar uma microcervejaria”.

 


Que bom tê-lo como leitor do blog do Sebrae MS!
Tem interesse em saber mais sobre as nossas consultorias?

Clique aqui!







Deixe seu Comentário