Inovação

02 março, 2018 • Inovação

Fotografar para lucrar: dicas e diferentes nichos de atuação

O mercado de eventos e festas está em expansão e representa oportunidade para muitos que querem entrar para a vida de empreendedorismo. E junto com o pacote que existe quando um evento é organizado estão também os serviços de fotografia. A fotografia, que pode ser um hobby para muitos, é um mercado com diferentes nichos e, com muita dedicação e um certo investimento, representa uma ótima oportunidade para lucrar.

Além do registro de aniversários e casamentos, existem outros momentos nos quais cada vez mais pessoas topam pagar pelo registro. Conversamos com duas fotógrafas que trabalham em mercados bem específicos e completamente diferentes entre si: a fotografia pet e a fotografia de parto.

Fotografando o melhor amigo

A fotografia de animais de estimação é algo relativamente recente. Leiliane Assis, da Melhor Amigo Fotografia, trabalha com fotografia desde 2013, quando começou como freelancer em aniversários infantis. Depois de uma pausa, voltou em agosto de 2017 com fotografia pet. “Tenho feito cursos nessa área específica, de fotografia e direção de modelos, fotografia pet e até sobre comportamento animal”, conta.

Leiliane explica que os clientes que contratam serviços de fotografia pet são bem variados. “Alguns têm o pet como um membro da família e querem ter fotos com ele ou apenas dele; e também casais novos que não pretendem ter filhos e tratam os pets como seus bebês. Mas existem ainda criadores de cães de raça que querem divulgar os animais e até mesmo empresas do segmento, que precisam de fotos para publicidade”.

Se você gosta de animais e pensa em ter uma carreira na fotografia, este pode ser um ótimo segmento para apostar. Se não é o seu caso, existem muitos outros segmentos para se trabalhar na fotografia. Marithê Lopes, da Thê Fotografia, é um exemplo de quem trocou de uma área para outra dentro da fotografia e hoje descobriu seu talento.

O registro do nascimento

Marithê contou que foi quase por acaso que saiu do fotojornalismo para a fotografia de partos. “Sou formada em Jornalismo há seis anos e foi estagiando em um jornal online que entrei para a fotografia. Aprendi muito com o fotojornalismo. Até chegar num ponto em que eu decidi parar de fotografar pessoas morrendo ou já em óbito para registrar pessoas nascendo”, comenta.

A fotógrafa relata que seu início nessa área foi quando uma prima engravidou e pediu para fotografar o seu parto. “Pedi pra fotografar o parto esperando uma negação, só que para minha surpresa eles toparam. O resultado foi ótimo e ali eu vi que tenho sensibilidade suficiente e singular para fotografar a estreia dos bebês ao mundo. Depois do primeiro parto foram aparecendo mais famílias solicitando meu trabalho. Desde então sigo nesse segmento retratando excelentes emoções”.

A fotografia de partos também é um segmento relativamente novo, que ganha visibilidade especialmente na internet, onde mulheres postam registros emocionantes do nascimento de seus filhos. Nas palavras de Marithê: “a fotografia de parto é um portal que levará os pais daquele recém-nascido de volta ao momento em que conheceram o verdadeiro amor de suas vidas”.

Além de fotografia de partos, Marithê também faz fotografia documental de famílias, para registrar todas as fases que as famílias desejam, a famosa tríade: gestante, parto e acompanhamento do bebê.

Quer começar a fotografar? As experts dão suas dicas!

Leiliane acredita que a chave para quem quer trabalhar com fotografia é a dedicação. “Minha dica pra quem está começando a trabalhar com fotografia, independente de segmento, é buscar sempre fotografar e estudar. Sejam técnicas de fotografia, seja o que outros fotógrafos estão fazendo no momento, seja assistir filmes e buscar referências para acrescentar no próprio trabalho”.

Além disso, Leiliane também ressalta a importância do contato com o cliente que irá contratar o seu trabalho: “busque conhecer e conversar com o cliente, entender o que ele espera, dar segurança. Estabelecer uma conexão positiva com quem será fotografado pode ajudar muito no resultado do trabalho!”.

Marithê comenta que a emoção é um fator muito importante no trabalho com a fotografia. “A melhor dica que eu posso dar para quem quer trabalhar com fotografia é fotografar o que te fará feliz, pois quando a gente ama o que faz, passar noites em claro acompanhando trabalhos de partos é muito simples e, mesmo que canse, quando o bebê nasce a energia se revigora. Fotografem o que fará suas energias se recarregarem”, completa.

 









Deixe seu Comentário