Planejamento Estratégico

24 abril, 2020 • Planejamento Estratégico

Com orientação de consultores, empreendedores de MS substituem dúvidas e incertezas por planejamento e tomada de atitude

Há 10 anos Wesley Alves Machado Júnior e a esposa  Ione Jeronimo Machado são sócios na Odonto Moria, uma empresa que vende equipamento odontológicos e também presta serviços técnicos especializados de manutenção em Campo Grande.

Com três funcionários e uma carteira de clientes fiel, Wesley afirma que os resultados da empresa vinham bem até janeiro deste ano. “Em fevereiro, a gente sempre tem uma queda, porque é quando acontece uma feira internacional do segmento em São Paulo, então as indústrias fazem atendimento direto. Todos os anos é assim, a gente já espera e se prepara, porque em março volta ao normal, mas não contávamos com a pandemia”, explica.

Para cumprir os decretos da prefeitura, não só os consultórios odontológicos (principais clientes da Odonto Moria) foram fechados, mas a própria empresa ficou 21 dias parada. Nesse intervalo, Wesley deu férias para seus funcionários, mas não mandou nenhum embora – e nem quer.

“O impacto no orçamento foi alto porque somos uma empresa pequena e a gente acaba sempre norteando as decisões baseado no que a gente fatura. Se não fatura, faz como? Além disso, não tínhamos planejamento, noção de investimento ou capital de emergência. Já participei de algumas palestras sobre renda passiva, o que fazer para não deixar de ter rendimento em um período de crise, mas nunca parei para olhar pra isso com atenção porque os compromissos do dia a dia acabam consumindo a gente”, conta.

Precisando de ajuda, Wesley entrou em contato com o Sebrae/MS e recebeu orientação gratuita e a distância de consultores em várias áreas.

“Durante os dias que a empresa ficou fechada, tive tempo livre para finalmente fazer o que já devia ter feito muito antes: planejar. Nesta semana, voltamos a abrir a empresa, só por meio período por enquanto, mas vamos começar a colocar em prática o que planejei. Nesse momento, vamos olhar também para o nosso marketing digital, que eu já acreditava que era indispensável e agora tenho mais que certeza. Sempre tivemos as redes sociais da empresa, mas não as atualizávamos com frequência. No dia a dia, nossos clientes vêm muito por indicação, o “boca a boca” funciona muito bem pra gente, mas nesse novo cenário talvez não tenha tanta efetividade, por isso vamos fortalecer a comunicação”, afirma Wesley, otimista.

Orientação para buscar crédito e superar a crise

Outro empreendedor que buscou orientação do Sebrae/MS para superar o momento foi Willian Dias Canteiro, da Qualifica Cursos e Treinamentos. Depois de quase uma década trabalhando como funcionário em instituições e escolas de cursos e treinamentos, há três anos empreende em seu próprio negócio e inaugurou sua unidade de Maracaju em janeiro deste ano.

Com 145 alunos matriculados e 6 funcionários, Willian teve que fechar as portas um mês depois da inauguração por conta da pandemia. Com muitos cursos e palestras e um Empretec no currículo, Willian teve a tranquilidade de colocar em prática tudo que aprendeu com o Sebrae/MS ao longo de suas capacitações.

“Estou renegociando com fornecedores e com o locatário do prédio onde funciona a escola. Fiz também um investimento em uma plataforma para continuar operando com as aulas on-line. Estou investindo em comunicação e criando campanhas promocionais para estimular novas matrículas e o recebimento das mensalidades daqueles que já são alunos. Tem funcionado bem, fechei novos contratos e cerca de 80% dos alunos estão mantendo a rotina de aulas de casa”, comenta.

Mesmo com todas essas medidas, Willian sabe que sua receita será comprometida, até porque manter as aulas on-line não dependem só dele: às vezes as pessoas não têm computador em casa ou um bom smartphone com boa internet.

Ciente disso, Willian buscou orientações sobre linhas de crédito pra EPP e também já fez seu cadastro para o FCO Giro.

“Minha prioridade é honrar os compromissos tributários e com os funcionários, outros gastos a gente segura. Caso não consiga o financiamento, não será motivo de desanimar, e sim motivo para trabalhar mais! Sei que teremos que ter paciência e calma nesse momento, mas eu trabalhei tanto para os outros, não vai ser agora, que estou trabalhando para mim mesmo, que vou desistir”, finaliza otimista.

Se você também é empresário e precisa de suporte para enfrentar esse momento difícil que o país vive, procure o Sebrae Orienta e conte com orientação especializada.

Há 10 anos Wesley Alves Machado Júnior e a esposa  Ione Jeronimo Machado são sócios na Odonto Moria, uma empresa que vende equipamento odontológicos e também presta serviços técnicos especializados de manutenção em Campo Grande.

Com três funcionários e uma carteira de clientes fiel, Wesley afirma que os resultados da empresa vinham bem até janeiro deste ano. “Em fevereiro, a gente sempre tem uma queda, porque é quando acontece uma feira internacional do segmento em São Paulo, então as indústrias fazem atendimento direto. Todos os anos é assim, a gente já espera e se prepara, porque em março volta ao normal, mas não contávamos com a pandemia”, explica.

Para cumprir os decretos da prefeitura, não só os consultórios odontológicos (principais clientes da Odonto Moria) foram fechados, mas a própria empresa ficou 21 dias parada. Nesse intervalo, Wesley deu férias para seus funcionários, mas não mandou nenhum embora – e nem quer.

“O impacto no orçamento foi alto porque somos uma empresa pequena e a gente acaba sempre norteando as decisões baseado no que a gente fatura. Se não fatura, faz como? Além disso, não tínhamos planejamento, noção de investimento ou capital de emergência. Já participei de algumas palestras sobre renda passiva, o que fazer para não deixar de ter rendimento em um período de crise, mas nunca parei para olhar pra isso com atenção porque os compromissos do dia a dia acabam consumindo a gente”, conta.

Precisando de ajuda, Wesley entrou em contato com o Sebrae/MS e recebeu orientação gratuita e a distância de consultores em várias áreas.

“Durante os dias que a empresa ficou fechada, tive tempo livre para finalmente fazer o que já devia ter feito muito antes: planejar. Nesta semana, voltamos a abrir a empresa, só por meio período por enquanto, mas vamos começar a colocar em prática o que planejei. Nesse momento, vamos olhar também para o nosso marketing digital, que eu já acreditava que era indispensável e agora tenho mais que certeza. Sempre tivemos as redes sociais da empresa, mas não as atualizávamos com frequência. No dia a dia, nossos clientes vêm muito por indicação, o “boca a boca” funciona muito bem pra gente, mas nesse novo cenário talvez não tenha tanta efetividade, por isso vamos fortalecer a comunicação”, afirma Wesley, otimista.

Orientação para buscar crédito e superar a crise

Outro empreendedor que buscou orientação do Sebrae/MS para superar o momento foi Willian Dias Canteiro, da Qualifica Cursos e Treinamentos. Depois de quase uma década trabalhando como funcionário em instituições e escolas de cursos e treinamentos, há três anos empreende em seu próprio negócio e inaugurou sua unidade de Maracaju em janeiro deste ano.

Com 145 alunos matriculados e 6 funcionários, Willian teve que fechar as portas um mês depois da inauguração por conta da pandemia. Com muitos cursos e palestras e um Empretec no currículo, Willian teve a tranquilidade de colocar em prática tudo que aprendeu com o Sebrae/MS ao longo de suas capacitações.

“Estou renegociando com fornecedores e com o locatário do prédio onde funciona a escola. Fiz também um investimento em uma plataforma para continuar operando com as aulas on-line. Estou investindo em comunicação e criando campanhas promocionais para estimular novas matrículas e o recebimento das mensalidades daqueles que já são alunos. Tem funcionado bem, fechei novos contratos e cerca de 80% dos alunos estão mantendo a rotina de aulas de casa”, comenta.

Mesmo com todas essas medidas, Willian sabe que sua receita será comprometida, até porque manter as aulas on-line não dependem só dele: às vezes as pessoas não têm computador em casa ou um bom smartphone com boa internet.

Ciente disso, Willian buscou orientações sobre linhas de crédito pra EPP e também já fez seu cadastro para o FCO Giro.

“Minha prioridade é honrar os compromissos tributários e com os funcionários, outros gastos a gente segura. Caso não consiga o financiamento, não será motivo de desanimar, e sim motivo para trabalhar mais! Sei que teremos que ter paciência e calma nesse momento, mas eu trabalhei tanto para os outros, não vai ser agora, que estou trabalhando para mim mesmo, que vou desistir”, finaliza otimista.

Se você também é empresário e precisa de suporte para enfrentar esse momento difícil que o país vive, procure o Sebrae Orienta e conte com orientação especializada.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário