Empreendedorismo

17 fevereiro, 2020 • Empreendedorismo

Como superar os principais desafios de ser um profissional liberal?

Ser um profissional liberal é estar no controle da sua própria rotina, o que significa gerenciar todos os aspectos do negócio, desde a definição do horário de trabalho até os preços do seu produto ou serviço. 

Parece o cenário ideal, mas nada é tão simples quanto parece! Assim como em qualquer outra situação, o profissional liberal também encontra desafios pelo caminho e que se não forem totalmente superados, podem causar problemas nos negócios. 

Carga tributária/previdenciária nacional sobre a prestação do serviço

A advogada Ana Claudia Saliba atua como profissional liberal desde 2017, e viu na parceria com outros advogados uma forma de se consolidar no mercado. Entretanto, ela reconhece que há alguns problemas no dia a dia do profissional liberal, entre eles a carga tributária/previdenciária nacional sobre a prestação do serviço.

“Tanto nos casos de empresas quanto do próprio liberal pessoa física, ela trava sobremaneira o negócio. São valores que poderiam ser utilizados em investimento para o negócio, dos quais não se vê retorno”, diz. 

Neire Colman, gerente da Unidade de Relacionamento e Experiência do Cliente do Sebrae MS explica:

“Os profissionais autônomos pagam imposto sobre seu rendimento por meio de uma tabela progressiva que, quanto maior seu rendimento, maior será a incidência de imposto. Por isso é necessário se familiarizar com o Carnê-leão, ferramenta que é preenchida com os rendimentos e a Receita Federal aplica a alíquota e lembra o profissional que há taxas para execução de sua atividade”.

A gerente também destaca a questão do recolhimento de previdência social, que gira em torno dos 20% para os profissionais liberais. Mas, caso ele opte por abrir uma empresa, além do INSS há a tabela de imposto do Simples Nacional. “É muito importante que o profissional liberal busque a orientação de um contador para analisar qual a melhor opção para sua atividade e faturamento, se seria mais vantajoso e menos oneroso continuar como profissional liberal ou abrir uma empresa com CNPJ e optar pelo Simples Nacional”, aconselha Neire. 

Dificuldade de precificação 

Talvez esse seja o desafio mais comum entre os profissionais liberais, independentemente da área de atuação.

Quando você vende algo palpável, é mais simples perceber se a entrega está condizente com o preço do produto, mas no caso da venda de serviços, a questão pode se complicar.

“Cada serviço tem um valor agregado e o profissional liberal deve conseguir identificá-lo para poder precificar o seu serviço. O importante é ter em mente que existe mercado para tudo e para qualquer tipo de cliente, assim como os valores podem variar bastante. O Sebrae oferece palestras nesse sentido, nas quais explicamos como gerar lucro, calcular o preço de venda e conhecer a concorrência”, explica Neire. 

Gerenciamento de tempo 

Como comentamos no início no artigo, o profissional liberal é responsável por todos os aspectos do seu negócio, o que pode se tornar um grande problema. Neire acredita que para conseguir se organizar é essencial fazer um planejamento das atividades diárias, mensais, semestrais e anuais. 

“Existem muitas ferramentas para nos ajudar a gerenciar melhor nosso tempo, nossas tarefas, metas e ações do dia a dia. A começar pelo planejamento estratégico da empresa, onde é traçado objetivos, metas , planos de ação, quem, onde, como e porque”.

Neire ainda indica a palestra do Sebrae “Gestão do tempo e da produtividade pessoal”, que traz uma reflexão sobre utilização do tempo e formas de utilizá-lo da melhor forma possível. 

Prospecção de clientes 

O princípio básico de todo negócio é ligar o seu propósito às necessidades dos clientes e, com isso, gerar lucro e se manter no mercado. E na hora de conquistar os clientes, a advogada Ana Claudia destaca que no estado de MS há um comportamento peculiar. “Nota-se bastante no MS e em pequenas regiões uma cultura de indicação, o famoso ‘QI’. É extremamente difícil e demanda um trabalho muito maior conseguir negócios só pela demonstração do trabalho”, comenta. 

A gerente da Unidade de Relacionamento e Experiência do Cliente do Sebrae MS, Neire Colman, aponta três passos para que o profissional liberal consiga prospectar seus clientes:

Passo 1 

“Qual é o meu produto serviço? Para quem ele está direcionado? Para quem eu quero vender? Quem é o meu público? Quem está disposto a comprar meu produto/serviço? Onde está esse público? São várias questões que o profissional liberal deve responder antes de ter uma carteira de clientes”

Passo 2 

“Respondidas essas perguntas, vamos pra segunda fase da prospecção: Como me faço ser visto por esse público? Qual melhor canal de comunicação com ele? O que ele ouve? Vê? Qual melhor estratégia?”.

Passo 3

“A terceira fase engloba a conquista do cliente, cadastro, venda e fidelização do mesmo. Ou seja, a escada da lealdade. Mas, em todas essas fases é importante também entender: O que é, e a diferença entre cliente fiel e cliente transitório; o cliente fiel é o cliente rentável?

Além de aprofundar nas questões de pós venda, utilizando várias ferramentas incluindo CRM. No Bootcamp, oferecemos muitas ferramentas para que o profissional liberal consiga fazer tudo isso”, finaliza. 

Outros desafios do profissional liberal

Existem outras questões enfrentadas pelos profissionais liberais em seu dia a dia da busca do sucesso profissional. Wendell de Sousa Silva, da CW Marcenaria e Decorações, acredita que um ponto crítico é a oferta de crédito. “A falta de uma maior oferta de crédito com juros mais justos e a burocracia para conseguir recursos também é muito grande”, comenta.

Já Denise Cruz, arquiteta e urbanista, sente que a falta de uma renda fixa também é um desafio a ser superado. Esse tipo de incerteza, aliada à falta de um planejamento financeiro, pode aumentar as vulnerabilidades do profissional liberal. Por isso é necessário que haja um comprometimento muito grande com o controle das finanças. 

E pelo setor em que Denise atua, a empresária tem dificuldades em encontrar novidades em materiais construtivos e acaba tendo que sair do estado. “Isso encarece muito a obra e dificilmente o cliente aceita pagar. Acabamos fazendo coisas mais básicas porque é o que o mercado daqui fornece. E também há a desvalorização do profissional, até pelos colegas, que cobram preços fora da tabela para ganhar clientes”, explica.

Desafios e problemas sempre vão existir na carreira empreendedora, o importante é buscar ferramentas que não permitam que os aspectos ruins se tornem maiores do que o seu propósito de sucesso. E neste sentido, o Sebrae dispõe de inúmeras soluções que podem te ajudar. Conte com a gente!

Ser um profissional liberal é estar no controle da sua própria rotina, o que significa gerenciar todos os aspectos do negócio, desde a definição do horário de trabalho até os preços do seu produto ou serviço. 

Parece o cenário ideal, mas nada é tão simples quanto parece! Assim como em qualquer outra situação, o profissional liberal também encontra desafios pelo caminho e que se não forem totalmente superados, podem causar problemas nos negócios. 

Carga tributária/previdenciária nacional sobre a prestação do serviço

A advogada Ana Claudia Saliba atua como profissional liberal desde 2017, e viu na parceria com outros advogados uma forma de se consolidar no mercado. Entretanto, ela reconhece que há alguns problemas no dia a dia do profissional liberal, entre eles a carga tributária/previdenciária nacional sobre a prestação do serviço.

“Tanto nos casos de empresas quanto do próprio liberal pessoa física, ela trava sobremaneira o negócio. São valores que poderiam ser utilizados em investimento para o negócio, dos quais não se vê retorno”, diz. 

Neire Colman, gerente da Unidade de Relacionamento e Experiência do Cliente do Sebrae MS explica:

“Os profissionais autônomos pagam imposto sobre seu rendimento por meio de uma tabela progressiva que, quanto maior seu rendimento, maior será a incidência de imposto. Por isso é necessário se familiarizar com o Carnê-leão, ferramenta que é preenchida com os rendimentos e a Receita Federal aplica a alíquota e lembra o profissional que há taxas para execução de sua atividade”.

A gerente também destaca a questão do recolhimento de previdência social, que gira em torno dos 20% para os profissionais liberais. Mas, caso ele opte por abrir uma empresa, além do INSS há a tabela de imposto do Simples Nacional. “É muito importante que o profissional liberal busque a orientação de um contador para analisar qual a melhor opção para sua atividade e faturamento, se seria mais vantajoso e menos oneroso continuar como profissional liberal ou abrir uma empresa com CNPJ e optar pelo Simples Nacional”, aconselha Neire. 

Dificuldade de precificação 

Talvez esse seja o desafio mais comum entre os profissionais liberais, independentemente da área de atuação.

Quando você vende algo palpável, é mais simples perceber se a entrega está condizente com o preço do produto, mas no caso da venda de serviços, a questão pode se complicar.

“Cada serviço tem um valor agregado e o profissional liberal deve conseguir identificá-lo para poder precificar o seu serviço. O importante é ter em mente que existe mercado para tudo e para qualquer tipo de cliente, assim como os valores podem variar bastante. O Sebrae oferece palestras nesse sentido, nas quais explicamos como gerar lucro, calcular o preço de venda e conhecer a concorrência”, explica Neire. 

Gerenciamento de tempo 

Como comentamos no início no artigo, o profissional liberal é responsável por todos os aspectos do seu negócio, o que pode se tornar um grande problema. Neire acredita que para conseguir se organizar é essencial fazer um planejamento das atividades diárias, mensais, semestrais e anuais. 

“Existem muitas ferramentas para nos ajudar a gerenciar melhor nosso tempo, nossas tarefas, metas e ações do dia a dia. A começar pelo planejamento estratégico da empresa, onde é traçado objetivos, metas , planos de ação, quem, onde, como e porque”.

Neire ainda indica a palestra do Sebrae “Gestão do tempo e da produtividade pessoal”, que traz uma reflexão sobre utilização do tempo e formas de utilizá-lo da melhor forma possível. 

Prospecção de clientes 

O princípio básico de todo negócio é ligar o seu propósito às necessidades dos clientes e, com isso, gerar lucro e se manter no mercado. E na hora de conquistar os clientes, a advogada Ana Claudia destaca que no estado de MS há um comportamento peculiar. “Nota-se bastante no MS e em pequenas regiões uma cultura de indicação, o famoso ‘QI’. É extremamente difícil e demanda um trabalho muito maior conseguir negócios só pela demonstração do trabalho”, comenta. 

A gerente da Unidade de Relacionamento e Experiência do Cliente do Sebrae MS, Neire Colman, aponta três passos para que o profissional liberal consiga prospectar seus clientes:

Passo 1 

“Qual é o meu produto serviço? Para quem ele está direcionado? Para quem eu quero vender? Quem é o meu público? Quem está disposto a comprar meu produto/serviço? Onde está esse público? São várias questões que o profissional liberal deve responder antes de ter uma carteira de clientes”

Passo 2 

“Respondidas essas perguntas, vamos pra segunda fase da prospecção: Como me faço ser visto por esse público? Qual melhor canal de comunicação com ele? O que ele ouve? Vê? Qual melhor estratégia?”.

Passo 3

“A terceira fase engloba a conquista do cliente, cadastro, venda e fidelização do mesmo. Ou seja, a escada da lealdade. Mas, em todas essas fases é importante também entender: O que é, e a diferença entre cliente fiel e cliente transitório; o cliente fiel é o cliente rentável?

Além de aprofundar nas questões de pós venda, utilizando várias ferramentas incluindo CRM. No Bootcamp, oferecemos muitas ferramentas para que o profissional liberal consiga fazer tudo isso”, finaliza. 

Outros desafios do profissional liberal

Existem outras questões enfrentadas pelos profissionais liberais em seu dia a dia da busca do sucesso profissional. Wendell de Sousa Silva, da CW Marcenaria e Decorações, acredita que um ponto crítico é a oferta de crédito. “A falta de uma maior oferta de crédito com juros mais justos e a burocracia para conseguir recursos também é muito grande”, comenta.

Já Denise Cruz, arquiteta e urbanista, sente que a falta de uma renda fixa também é um desafio a ser superado. Esse tipo de incerteza, aliada à falta de um planejamento financeiro, pode aumentar as vulnerabilidades do profissional liberal. Por isso é necessário que haja um comprometimento muito grande com o controle das finanças. 

E pelo setor em que Denise atua, a empresária tem dificuldades em encontrar novidades em materiais construtivos e acaba tendo que sair do estado. “Isso encarece muito a obra e dificilmente o cliente aceita pagar. Acabamos fazendo coisas mais básicas porque é o que o mercado daqui fornece. E também há a desvalorização do profissional, até pelos colegas, que cobram preços fora da tabela para ganhar clientes”, explica.

Desafios e problemas sempre vão existir na carreira empreendedora, o importante é buscar ferramentas que não permitam que os aspectos ruins se tornem maiores do que o seu propósito de sucesso. E neste sentido, o Sebrae dispõe de inúmeras soluções que podem te ajudar. Conte com a gente!


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário