Empreendedorismo

23 março, 2020 • Empreendedorismo

De zootecnista a empreendedora, conheça a história de Luciana Reis e a Imprensa Gráfica e Editora

Não é de hoje que acompanhamos a ascensão do tema empreendedorismo feminino na mídia, e isso não se deve ao fato de discussões sobre gênero e feminismo estarem em alta, mas porque é um fato o crescimento – e a retomada – do protagonismo das mulheres frente aos negócios e como chefes de família. 

Dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor, divulgados pelo Sebrae, mostram que o Brasil possui atualmente cerca de 24 milhões de mulheres empreendedoras. Tendo este número como pano de fundo e o Dia Internacional da Mulher, preparamos histórias de empreendedoras de Mato Grosso do Sul que apostaram no seu sonho e alcançaram sucesso profissional e satisfação pessoal. 

No post de hoje, você irá conhecer a trajetória de Luciana Reis, sua irmã Carol e o empreendimento da família, a Imprensa Gráfica e Editora.

Lembranças do passado que dão a certeza do futuro 

O grande responsável por instigar o espírito empreendedor de Luciana e sua irmã, Carol, foi o pai e sua longa trajetória trabalhando no ramo de gráficas. “Me lembro desde de criança do cheiro da gráfica, do papel sendo impresso e do barulho da máquina de impressão…Isso é muito forte na minha lembrança”, conta. 

As irmãs sempre participaram ativamente de todas as atividades desempenhadas pelo pai no dia a dia da gráfica da família, desde o atendimento aos clientes até visitar os distribuidores de matéria prima. Mas, segundo Luciana, a melhor parte era assistir ao pai cortar o papel, colocar na máquina de impressão e depois participar o acabamento do material. 

“Nessa hora Carol e eu entrávamos em cena para ajudá-lo. E assim entregávamos o material impresso para o cliente. Essas lembranças estão muito fortes na gente, e nos fazem recordar sempre toda a nossa trajetória. Da onde começamos, onde estamos e onde queremos chegar”, afirma. 

Luciana é zootecnista por formação e Carol é bancária. Em 2011 decidiram abandonar suas carreiras para assumir as rédeas de um negócio próprio, e de família, a Imprensa Gráfica e Editora. No começo, as irmãs se revezavam no atendimento externo e entrega dos pedidos, o pai assumiu a produção e acabamento e haviam apenas mais dois funcionários que auxiliavam onde era preciso. 

“Com muito trabalho e dedicação, as coisas foram acontecendo, fomos crescendo, buscando mais oportunidades, nos apresentando mais, visitando novos clientes e sendo indicadas pelo nosso trabalho, pois respeitamos muito o prazo de entrega e zelamos sempre por um bom atendimento. Com isso, fomos tendo realmente uma credibilidade perante todos os clientes”, conta Luciana.

A experiência como empreendedora no Mulher de Negócios 

O dia a dia como empreendedora à frente da empresa trouxe inúmeros desafios e Luciana foi notando que crescer como empreendimento exigia habilidades que ela ainda não possuía. Foi quando soube do edital para o Programa Mulher de Negócios do Sebrae, após ter feito alguns cursos na instituição. 

“Tínhamos que fazer algo diferente para que saíssemos da nossa rotina e tentar algo transformador na nossa empresa. Não estávamos satisfeitas com a forma que vínhamos trabalhando, queríamos que a nossa equipe fosse mais engajada com nossos valores e que cada um soubesse da sua responsabilidade durante o processo da realização da entrega dos nossos serviços”, conta. 

Luciana relembra que o Programa, além de oferecer muito conhecimento e ferramentas para melhorar sua empresa, a impactou muito ao ensinar que nenhuma empreendedora precisa ser a Mulher Maravilha. “Não precisamos dar conta de tudo ao mesmo tempo, podemos sempre contar com o apoio de alguém, seja do marido, das filhas, do pai, dos irmãos, para continuarmos nesta jornada”, afirma. 

Aprendendo a ampliar as oportunidades 

O Programa trouxe inúmeros aprendizados para Luciana e Carol, como, por exemplo, maior compreensão sobre networking, mostrando que todo encontro – sejam palestras, workshops ou rodadas de negócios -, gera trocas de experiências muito preciosas. “As parcerias são fundamentais, quando não estamos sozinhas na jornada, quando temos o apoio de alguém, o caminho é bem mais rápido e mais prazeroso”, afirma. 

Luciana também destaca a nova visão dos clientes que aprendeu durante o Programa, o que a ajudou a definir melhor o posicionamento da empresa perante ao mercado. Deixando claro em qualquer tipo de comunicação da marca que a Imprensa Gráfica e Editora é um negócio sério e que entrega um serviço de qualidade que atende às expectativas. 

“Também aprendemos muito sobre como delegar tarefas, nós, como mulheres e empreendedoras, temos a ‘mania’ de sermos centralizadoras e de achar que damos conta de tudo. E não é bem assim, precisamos confiar e pedir ajuda para outras pessoas, temos que confiar na nossa equipe”, diz. 

Após o Mulher de Negócios, e ao aplicar os conhecimentos adquiridos, Luciana viu uma grande melhora no engajamento e motivação da equipe. 

Como ser uma empreendedora de sucesso?

De acordo com Luciana, o caminho de uma empreendedora que também preza muito pela família nunca é fácil, pois os “dois turnos” sempre irão se chocar em algum momento. Mas cabe a cada mulher administrar da melhor forma, tanto a sua empresa quanto a sua vida vida pessoal. Para as mulheres que estão na dúvida sobre abrir um negócio próprio, Luciana aconselha a não desistir do que você acredita e estar preparada para os desafios.

“Outra coisa que sempre falo aqui na empresa é que nunca se acomodem, nós temos muitas oportunidades de crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional, tanto na internet – com cursos gratuitos, por exemplo. Nunca fique contente na posição que você está ocupando na sua empresa, nós sempre podemos entregar e nos desenvolver mais”, finaliza.

Não é de hoje que acompanhamos a ascensão do tema empreendedorismo feminino na mídia, e isso não se deve ao fato de discussões sobre gênero e feminismo estarem em alta, mas porque é um fato o crescimento – e a retomada – do protagonismo das mulheres frente aos negócios e como chefes de família. 

Dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor, divulgados pelo Sebrae, mostram que o Brasil possui atualmente cerca de 24 milhões de mulheres empreendedoras. Tendo este número como pano de fundo e o Dia Internacional da Mulher, preparamos histórias de empreendedoras de Mato Grosso do Sul que apostaram no seu sonho e alcançaram sucesso profissional e satisfação pessoal. 

No post de hoje, você irá conhecer a trajetória de Luciana Reis, sua irmã Carol e o empreendimento da família, a Imprensa Gráfica e Editora.

Lembranças do passado que dão a certeza do futuro 

O grande responsável por instigar o espírito empreendedor de Luciana e sua irmã, Carol, foi o pai e sua longa trajetória trabalhando no ramo de gráficas. “Me lembro desde de criança do cheiro da gráfica, do papel sendo impresso e do barulho da máquina de impressão…Isso é muito forte na minha lembrança”, conta. 

As irmãs sempre participaram ativamente de todas as atividades desempenhadas pelo pai no dia a dia da gráfica da família, desde o atendimento aos clientes até visitar os distribuidores de matéria prima. Mas, segundo Luciana, a melhor parte era assistir ao pai cortar o papel, colocar na máquina de impressão e depois participar o acabamento do material. 

“Nessa hora Carol e eu entrávamos em cena para ajudá-lo. E assim entregávamos o material impresso para o cliente. Essas lembranças estão muito fortes na gente, e nos fazem recordar sempre toda a nossa trajetória. Da onde começamos, onde estamos e onde queremos chegar”, afirma. 

Luciana é zootecnista por formação e Carol é bancária. Em 2011 decidiram abandonar suas carreiras para assumir as rédeas de um negócio próprio, e de família, a Imprensa Gráfica e Editora. No começo, as irmãs se revezavam no atendimento externo e entrega dos pedidos, o pai assumiu a produção e acabamento e haviam apenas mais dois funcionários que auxiliavam onde era preciso. 

“Com muito trabalho e dedicação, as coisas foram acontecendo, fomos crescendo, buscando mais oportunidades, nos apresentando mais, visitando novos clientes e sendo indicadas pelo nosso trabalho, pois respeitamos muito o prazo de entrega e zelamos sempre por um bom atendimento. Com isso, fomos tendo realmente uma credibilidade perante todos os clientes”, conta Luciana.

A experiência como empreendedora no Mulher de Negócios 

O dia a dia como empreendedora à frente da empresa trouxe inúmeros desafios e Luciana foi notando que crescer como empreendimento exigia habilidades que ela ainda não possuía. Foi quando soube do edital para o Programa Mulher de Negócios do Sebrae, após ter feito alguns cursos na instituição. 

“Tínhamos que fazer algo diferente para que saíssemos da nossa rotina e tentar algo transformador na nossa empresa. Não estávamos satisfeitas com a forma que vínhamos trabalhando, queríamos que a nossa equipe fosse mais engajada com nossos valores e que cada um soubesse da sua responsabilidade durante o processo da realização da entrega dos nossos serviços”, conta. 

Luciana relembra que o Programa, além de oferecer muito conhecimento e ferramentas para melhorar sua empresa, a impactou muito ao ensinar que nenhuma empreendedora precisa ser a Mulher Maravilha. “Não precisamos dar conta de tudo ao mesmo tempo, podemos sempre contar com o apoio de alguém, seja do marido, das filhas, do pai, dos irmãos, para continuarmos nesta jornada”, afirma. 

Aprendendo a ampliar as oportunidades 

O Programa trouxe inúmeros aprendizados para Luciana e Carol, como, por exemplo, maior compreensão sobre networking, mostrando que todo encontro – sejam palestras, workshops ou rodadas de negócios -, gera trocas de experiências muito preciosas. “As parcerias são fundamentais, quando não estamos sozinhas na jornada, quando temos o apoio de alguém, o caminho é bem mais rápido e mais prazeroso”, afirma. 

Luciana também destaca a nova visão dos clientes que aprendeu durante o Programa, o que a ajudou a definir melhor o posicionamento da empresa perante ao mercado. Deixando claro em qualquer tipo de comunicação da marca que a Imprensa Gráfica e Editora é um negócio sério e que entrega um serviço de qualidade que atende às expectativas. 

“Também aprendemos muito sobre como delegar tarefas, nós, como mulheres e empreendedoras, temos a ‘mania’ de sermos centralizadoras e de achar que damos conta de tudo. E não é bem assim, precisamos confiar e pedir ajuda para outras pessoas, temos que confiar na nossa equipe”, diz. 

Após o Mulher de Negócios, e ao aplicar os conhecimentos adquiridos, Luciana viu uma grande melhora no engajamento e motivação da equipe. 

Como ser uma empreendedora de sucesso?

De acordo com Luciana, o caminho de uma empreendedora que também preza muito pela família nunca é fácil, pois os “dois turnos” sempre irão se chocar em algum momento. Mas cabe a cada mulher administrar da melhor forma, tanto a sua empresa quanto a sua vida vida pessoal. Para as mulheres que estão na dúvida sobre abrir um negócio próprio, Luciana aconselha a não desistir do que você acredita e estar preparada para os desafios.

“Outra coisa que sempre falo aqui na empresa é que nunca se acomodem, nós temos muitas oportunidades de crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional, tanto na internet – com cursos gratuitos, por exemplo. Nunca fique contente na posição que você está ocupando na sua empresa, nós sempre podemos entregar e nos desenvolver mais”, finaliza.


Continuar Lendo

Confira todos os conteúdos que o Sebrae MS disponibiliza para você!
Clique aqui e acesse diversos temas de empreendedorismo para guiar a sua jornada.






Deixe um comentário